sábado, 3 de junho de 2017

MARIA, IRMÃ DE LAZARO, UMA DEVOÇÃO AMOROSA

"... e certa mulher, por nome Marta, O recebeu em sua casa; E tinha esta uma irmã chamada Maria ..." (Lucas 10:38,39).
Dentre tantas mulheres deixadas por Deus na Bíblia e que nos servem de exemplo , vamos conhecer mais duas que viveram no tempo de Jesus e que foram amadas por Ele. Marta e Maria viveram em um povoado chamado Betânia. Elas eram irmãs de Lázaro, grande amigo do nosso Senhor.
Ambas tinham personalidades diferentes, mas, cada uma a seu modo, amava Jesus. O Senhor também amava muito esta família
O EXEMPLO DE MARIA DE BETANIA
A família de Marta, Maria e Lázaro morava em Betânia. Jesus algumas vezes foi recebido em sua casa. Marta, a irmã mais velha, preocupava-se em servir com excelência ao Mestre. Maria, por sua vez, quedava-se aos pés de Jesus para aprender (Lc 10.38- 42).
Em Mateus 26.6-13, Marcos 14.3-9 e João 12.1-3, a protagonista é Maria, a “que escolheu a boa parte”, irmã de Marta e Lázaro, da aldeia de Betânia.
Os três evangelistas falam da murmuração dos que julgaram desperdício a oferenda, bem como da defesa de Jesus a Maria. Tanto Mateus quanto Marcos mencionam a promessa de que o gesto será contado onde o Evangelho for pregado.
Diferente da bíblia, as tradições judaicas eram incisivamente patriarcais, algo comum e notório na antiguidade. Por isso as mulheres não comiam com os homens, mas ficavam de pé enquanto eles comiam, servindo-os á mesa. Nas ruas e nos átrios do templo, elas ficavam a uma certa distancia dos homens. Sua vida se passava em casa, e com frequência ficavam nas janelas que davam para a rua e tinham grades, para que não fossem vistas.
Nos primeiros tempos elas nunca saiam sem véu, era impróprio que uma israelita falasse a um homem na rua, até mesmo – na verdade, acima de tudo – se fosse seu marido. Contudo cabia ao Marido dar total manutenção a mulher, que deveria dar-lhe teto, alimento e vestuário segundo sua posição e meios, caso não fosse mantida adequadamente, ela poderia pedir auxílio e proteção ao Pai e este repreenderia o genro. Em geral não era necessário, pois os israelitas gostavam de ver suas esposas bem vestidas, adornadas com colares, anéis e broches.
Percebe-se que Maria não tinha direito social de estar na mesma sala que Jesus, muito menos aos seus pés ouvindo-o, pois provavelmente estava falando para os discípulos que estavam com Ele e a família de Lázaro, ou seja, espaço do homem, mesmo com a justificativa de estar adorando ou ouvindo a Deus, ela não tinha este direito de ficar no espaço. Pois ela deveria fazê-lo num espaço para mulheres. Por isso o papel da mulher neste espaço era o de Marta, que era servi-lo e foi o que ela fez e se moeu de servir.
"um perfume muito caro" (João 12:3)
A adoração tem preço. É necessário preparação, esforço e sacrifício. Este perfume era importado da Índia em jarras de alabastro (vasos especiais para perfumes) seladas, a fim de conservar o perfume. Somente alguém muito rico, ao receber convidados especiais, quebrava o selo da jarra de alabastro, e procedia a unção em quem quisesse, como demonstração de uma honra toda especial.
Há muitos cristãos bons e sinceros, mas que tem o selo da religiosidade ou conceitos humanos que não permite o quebrantamento diante da presença do Senhor. É necessário quebrar o selo para o perfume destilar por todo o ambiente.
A vida de um adorador se sente no ar, leva em si o perfume de Cristo e é possível sentir esta fresca e agradável fragrância de um coração que está constantemente na presença do Senhor em adoração.


Para Maria era muito caro. Correspondia a 300 dias de trabalho (João 12:5). Ela levou quase um ano para ajuntar todo o dinheiro necessário para comprar aquele perfume para em um momento quebrar aos pés de Cristo? Sim, ela fez isto! Chamo esta atitude de “inversão na adoração”. 
Estar na presença de Deus não tem preço!
Quando fazemos o melhor para Deus?*
Maria descobriu este segredo. Não é uma questão material; muito ou pouco, não é tamanho ou largura...é “profundidade”!
Maria numa atitude de desprendimento material, social, emocional... pega um vaso de unguento e unge os pés de Jesus e enxuga-os com seus cabelos.
Para muitos, uma atitude desequilibrada, louca, sem sentido! Já que o unguento era de grande valor material e custava ao equivalente 300 dias de trabalho.
Enquanto “nós avaliamos” o valor das cifras do perfume, o que não foi diferente dos que ali estavam a contar também com os discípulos, em particular citado por João, o próprio traidor Judas; Jesus avalia o valor daquela atitude: 300 dias de luta, 300 dias economizando, 300 dias de sonhos... e tudo derramado aos seus pés.
Um vaso quebrado e um perfume caro derramado mexem com o bolso e pensamento dos homens; uma vida quebrantada e um ser contrito movem o coração de Deus!
Eis então o resultado de tamanha grandeza de atitude: Críticas de muitos que embora dizem andar com Jesus, não alcançaram tal grandeza. Estão alheios a esse relacionamento de intimidade e comunhão com Deus, não entende tais atitudes.
Jesus aprova o gesto de Maria
O evangelho de Marcos 14:4 e 6 nos deixa claro que alguns que estavam presente se indignaram, e Jesus a defende: “Deixai-a, para que a molestai?” Acho que eles queriam tirar Maria dos pés de Jesus, por estar fazendo o melhor para Deus - mas não conseguiram! Como se não bastassem os discípulos, ela também teve que resistir a sua irmã Marta
E tinha esta uma irmã chamada Maria, a qual, assentando-se também aos pés de Jesus, ouvia a sua palavra. Marta, porém andava distraída em muitos serviços; e, aproximando-se, disse: Senhor, não se te dá de que minha irmã me deixe servir só? Dize-lhe que me ajude. E respondendo Jesus, disse-lhe: Marta, Marta, estás ansiosa e afadigada com muitas coisas, mas uma só é necessária; E Maria escolheu a boa parte, a qual não lhe será tirada”. Lc.10:39-40
Que perfume Maria derramou sobre a cabeça de Jesus? Era o nardo puro. Nardo era um bálsamo raro extraído de uma planta do Himalaia. Ficava muito caro o produto final deste raro perfume; desde a extração da planta, até o transporte à longas distâncias. Era o melhor perfume da época.
Qual era o valor do perfume? 300 denários. Naquele tempo um denário equivalia ao valor de um dia de trabalho, para um trabalhador comum. A 5,00€ a hora, a 8 horas diárias= 40,00€ x 300 dias= 12.000,00 euros. Hoje consegue-se obter um excelente perfume por 100 ou 200€. Imagine o esforço que fez Maria para economizar todo aquele dinheiro, e naquela época!
A SUA ADORAÇÃO TEVE A MARCA DA QUALIDADE
Maria ofereceu a Jesus o melhor que ela possuía. Maria ofereceu a Jesus um perfume de qualidade “preciosíssimo” diz a Bíblia, com um valor correspondente a aproximadamente um ano de trabalho de um trabalhador comum:
E, estando ele em Betânia, assentado à mesa, em casa de Simão, o leproso, veio uma mulher, que trazia um vaso de alabastro, com unguento de nardo puro, de muito preço, e quebrando o vaso, lho derramou sobre a cabeça. Marcos 14:3. “Porque podia vender-se por mais de trezentos dinheiros, e dá-lo aos pobres. E bramavam contra ela.” Marcos 14:5.
A ADORAÇÃO DE MARIA FOI PRÁTICA
Maria teve uma agilidade crescente tremenda. Foi buscar o perfume, quebrou e derramou sobre a cabeça de Jesus. Maria só tinha um objetivo: Adorar Jesus. Ela não se importou com os outros, e nem com aquilo que iriam dizer. O ato de Maria causou indignação por parte dos discípulos, mas a aprovação de Jesus foi imediata, Ele disse:
Deixai-a, por que a molestais? Ela fez-me boa obra. Porque sempre tendes os pobres convosco, e podeis fazer-lhes bem, quando quiserdes; mas a mim nem sempre me tendes. Esta fez o que podia; antecipou-se a ungir o meu corpo para a sepultura. Em verdade vos digo que, em todas as partes do mundo onde este evangelho for pregado, também o que ela fez será contado para sua memória”. Marcos 14:6-9.
A ADORAÇÃO COMPLETA.
Aquela mulher fez algo para o Senhor, mas não fez pela metade ela terminou a obra que começou a fazer.
Será que muitos de nós temos realmente dado a Deus uma adoração completa?
Será que temos terminado o que começamos a fazer para o Senhor? Ou temos iniciado as obras e deixado de lado para outros terminarem? Temos demonstrado ao senhor nosso interesse em sua obra?
Aquela mulher além de ter derramado o óleo sobre os pés de Jesus, a Bíblia vai nos dizer que ela também enxugou com seus cabelos, ela sabia que Jesus ao terminar o jantar, iria embora, sabia que as ruas de Betânia não eram asfaltadas, portanto tinha muita poeira, e poeira aliada a óleo....não é uma mistura muito boa, então, tudo o que ela havia feito seria esquecido, o que era para ser bonito, passaria a ser asqueroso, nojento. Então ela completou a obra que começou a fazer, ela enxugou os pés de Jesus com os seus cabelos.
O lucro de Maria
Maria, pois, escolheu a boa parte e esta não lhe será tirada” (Lc 10.42). Maria escolheu estar aos pés de Jesus, numa atitude de adoração e como discípula. Ela não precisava ser repreendida, mas sim elogiada, pois havia feito a melhor escolha.
Ela quebrou todas as etiquetas e presta uma homenagem ao Senhor: derrama um precioso perfume nos Seus pés e os enxuga com os cabelos. Foi a manifestação da sua alma, efeito de uma profunda afeição.
Uma manifestação de crítica
Que extravagância! Que desperdício!” disse Judas. E os demais discípulos concordaram (Mt 26.8).
Talvez nós tivéssemos, também, criticado Maria, se ali estivéssemos. Não é assim que fazemos? Criticamos a igreja, criticamos o pastor, criticamos os oficiais, criticamos os velhos, os moços, as crianças … A oferta que a mulher ofereceu a Jesus, inspirada pelo amor, mal interpretada pelos homens, foi bem recebida pelo Senhor e recompensada pela história. Maria se imortalizou e, por isso, estamos a falar dela, hoje (Mt 26.13). O seu desejo era mostrar amor e simpatia ao Senhor. Ele compre­endeu, aceitou e recompensou o gesto condescendente.
O que a adoração a Deus promove em minha vida? A) Sensibiliza o meu coração; pois adorar o Criador é uma atitude grandiosa, não é um ato qualquer. B) Edifica a minha fé. Ler a Bíblia, fazer orações, ir à igreja, cantar hinos, aumenta a minha fé em Deus. C) Promove a minha semelhança com Cristo, pois “pela contemplação somos transformados”. D) A adoração ajuda-me a ouvir Deus falando comigo. No ato da adoração ninguém pode ter pressa. Deus é perfeito, e a pressa é inimiga da perfeição E) A adoração expulsa os temores. Maria não teve medo dos preconceitos, embora tivesse recebido algumas críticas dos discípulos. F) A adoração aprofunda o relacionamento com Cristo.///
Pr. Dr. Adaylton Conceição de Almeida (Th.B.;Th.M.Th.D.;D.Hu.)
Facebook: Adayl Manancial

Email: adayl.alm@hotmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço e será um prazer receber seu comentário que depois de aprovado será publicado.