segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

O PROPÓSITO DO FRUTO DO ESPÍRITO

A VIDA CONTROLADA PELO ESPÍRITO
Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio”. Gálatas 5:22
O capítulo cinco de Gálatas nos versos de 1-15 trata da liberdade cristã conquistada através do sacrifício de Jesus na cruz: “Estai, pois firmes na liberdade com que Cristo nos libertou, e não torneis a meter-vos debaixo do jugo da servidão” Gálatas 5:1.
Vida conduzida pelo Espírito Santo dá lugar à “Obra do Espírito”. Todos nós crentes precisamos depender totalmente de Deus que opera sua em obra em nós
As pessoas que têm a mente controlada pela natureza humana acabarão morrendo espiritualmente; mas as que têm a mente controlada pelo Espírito de Deus terão a vida eterna e a paz.
Portanto, meus irmãos, nós temos uma obrigação, que é a de não vivermos de acordo com a nossa natureza humana. Porque, se vocês viverem de acordo com a natureza humana, vocês morrerão espiritualmente; mas, se pelo Espírito de Deus vocês matarem as suas ações pecaminosas, vocês viverão espiritualmente. Pois aqueles que são guiados pelo Espírito de Deus são filhos de Deus.” (ROMANOS 8 v. 6-9, 12-14)
Vivendo sob o controle do Espírito
Ao final da apresentação das três seções acerca das nove características do fruto do Espírito, o apóstolo Paulo apresenta a temperança. Esta característica nos mostra como o indivíduo pode ser capaz de viver uma vida abençoada ao permitir ser completamente controlado pelo Espírito Santo. Quando faz esta escolha, o homem aprende a viver e experimentar uma vida melhor (II Tm 1.7).
Ao escolher ter uma vida controlada pelo Espírito, o indivíduo começa a controlar os seus desejos e paixões, buscando sempre pureza em seus atos. No primeiro capítulo do livro de Tito, Paulo mostra algumas características naturais do homem sem Deus e também qual deve ser a postura daquele que almeja o episcopado. Neste texto. Paulo destaca a importância da temperança (Tt 1.8). O discurso de Paulo está coerente com tudo que se espera de um servo fiel a Deus. A Igreja e a sociedade observam as ações daquele que se diz temente ao Criador. Afinal estamos rodeados por testemunhas e por isso devemos fugir dos embaraços que nos cercam cada vez mais de perto (Hb 12.1).
O homem vivendo sob o Espírito e a comunhão com Deus
Ao criar o homem, o Criador lhe deu uma opção de escolher como iria caminhar sobre a Terra. Conhecida como livre arbítrio, é cercada por um limite estabelecido pelo próprio Deus. É importante ressaltar que nunca será a intenção dEle invadir este limite, pois se Ele quisesse ter o homem como um fantoche em Suas mãos, assim teria feito. Deus criou o homem para que O louvasse e o louvor só tem valor se for espontâneo (Sl 118.1a). O propósito sempre foi guiar o homem. Sendo assim, Ele providenciou para que recebêssemos o fruto do Espírito. Ao desenvolver a temperança o homem passa a viver segundo o padrão divino e em plena comunhão com Deus.
QUALIDADES DO CARÁTER – FRUTO DO ESPÍRITO
Caráter, no grego “charakter”,significa literalmente “estampa”, “marca”, “sinal”, “reprodu-ção exata”.
Caráter é, portanto, aquilo que a pessoa é “por baixo” de sua personalidade. É a sua maneira de ser. É a soma de suas qualidades e defeitos morais integrados na sua personalidade, o qual determinam sua conduta em relação a Deus, a si mesmo e ao próximo.
De acordo com o dicionário Aurélio, caráter é a qualidade inerente de uma pessoa que a distingue de outra; é o conjunto de traços particulares, o modo de ser de um indivíduo, sua natureza e temperamento que o faz ser que é.
Como deve ser o caráter cristão? E o fruto do espírito? O que ele tem a ver com o meu jeito de ser, pensar, agir? Por que eu tenho que ser diferente dos não-crentes?
O Caráter: É o que formamos (construímos) ao longo da vida, à medida que nos relacionamos com as pessoas e com o meio que nos cerca; é aquilo que aprendemos ser, através do ensino, dos exemplos e daquilo que é aceito socialmente.
Nosso desafio não está somente em sermos pessoas de caráter, mas em imprimirmos estas qualidades na formação da geração subsequente. Fica claro, que a responsabilidade é minha. Fomos chamados para ser a imagem de Deus e para que isso aconteça, ao recebermos a Cristo, entramos no processo de mudança, de regeneração, sendo gerados de novo (Rom 8:29).
O CARÁTER CRISTÃO
Quando dizemos que o crente deve possuir o caráter de Cristo, estamos falando que devemos buscar as qualidades que Jesus tinha em sua vida.
Quem tem o caráter de Cristo: tem amor, alegria, paz, fé, paciência, domínio próprio, é benigno, bondoso e manso (Gl 5.22).
Amor de Deus
O amor é o primeiro elemento indispensável na formação do caráter cristão. O amor teve origem no Céu. Deus nos amou de tal maneira que entregou o seu Filho para morrer por nós (Jo 3.16).
A única definição completa de amor vem de Deus. Deus é amor, e Jesus é a personificação desse amor, não há amor sem Deus.
Esse amor só é possível mediante a regeneração em nossas vidas, este é o tipo de amor que o Espírito Santo quer manifestar em nossa vida quando nos entregamos inteiramente a Deus. É este amor que nos capacita a amar a obra missionária, os pecadores, a obra de Deus, as crianças de rua, os mendigos, os colegas de trabalho ou da escola, e a maioria das pessoas com quem convivemos.
Um novo estilo de vida
A salvação é um processo que traz o homem à comunhão com Deus, pois retira o pecado do homem, que era o que fazia separação entre ele e Deus (Is.59:2). Este processo é uma verdadeira transformação, que muda o homem completamente, atingindo o homem como um todo: corpo, alma e espírito. “Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é: as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo”(II Co.5:17).
A transformação radical que alcança uma pessoa que é salva foi bem ilustrada pelo Senhor Jesus, que afirmou que quem nEle crer passa da morte para a vida (Jo.5:24), das trevas para a luz (Jo.3:21). Assim sendo, a salvação, necessariamente, vem acompanhada de uma mudança de atitudes, de uma mudança de hábitos, de uma mudança de práticas. O homem que alcança a salvação passa a ter um novo conjunto de qualidades, um novo conjunto de atitudes, “não anda mais segunda a carne, mas, segundo e Espírito”(Rm 8:1).Este novo conjunto de ações, que estão de acordo com a vontade de Deus, é o que o apóstolo Paulo denominou de “o fruto do Espírito” (Gl.5:22) e que será o assunto de todo este trimestre.
As pessoas quando aceitam a Cristo, não deixam de ser indivíduos, não perdem a sua individualidade: o caráter muda, mas não o temperamento, que passa a ser controlado pelo Espírito Santo.
TESTEMUNHANDO AS VIRTUDES DO REINO DE DEUS
Num de seus últimos ensinamentos aos discípulos, Jesus discorreu sobre a importância da frutificação espiritual (Joao 15:1-5) O Mestre fez uma analogia da videira e seus ramos com ele o crente, para ensinar que este precisa daquele, a fim de tornar-se semelhante a Cristo. É o Espírito Santo que produz o fruto em nós à proporção que lhe entregamos a vida. EU sou a videira verdadeira, e meu Pai e o lavrador. Toda a vara em mim, que não da fruto, a tira; e limpa toda aquela que da fruto, para que de mais fruto. 3 Vos já estais limpos, pela palavra que vos tenho falado. 4 Estai em mim, e eu em vos; como a vara de si mesma não pode dar fruto, se não estiver na videira, assim também vos, se não estiverdes em mim. Eu sou a vi-deira, vos as varas; quem esta em mim, e eu nele, esse da muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer. (João 15:1) Para que o fruto seja gerado, é necessário que haja uma relação de interdependência entre o tronco e seus ramos. Jesus declarou aos discípulos que viera ao mundo com a missão de revelar-lhes o Pai. E que, ao partir, enviaria o Espírito Santo para estar com eles, ajudando-os em todas as coisas. Assim como Jesus fez-se homem para revelar o Pai à humanidade, o Espírito habita no crente a fim de que Cristo seja conhecido (I Cor 6:19).
Uma vida produtiva
Somos transformados pelo poder do Reino de Deus para sermos agentes transformadores desta sociedade narcisista, hedonista e consumista. Somos desafiados a todo o instante a quebrar paradigmas. Chamados ao serviço amoroso e solidário num mundo preconceituoso e miserável. Ordenados a sermos fecundos numa sociedade estéril. A sermos um oásis no deserto. Chamados para uma revolução poderosa e silenciosa sob a égide do Reino de Deus. Transformados pelo poder do Reino de Deus não transformaremos a Grande Comissão na Grande Omissão (Mt 28.18-20; Lc 24.44-49; Mc 16.15; At 1.8). Sim, transformados pelo poder do Reino de Deus vivamos para a Sua glória!
Os propósitos da frutificação espiritual
Ao considerarmos os propósitos da frutificação espiritual, constataremos quatro palavras relacionadas ao fruto do Espírito: expressão, discipulado, bênção e glória. Expressar o caráter de Cristo. Todo fruto revela sua árvore de origem. Da mesma maneira, como membros do corpo de Cristo, devemos refletir naturalmente o seu caráter para que o mundo o veja em nós. Quando pessoas tomam conhecimento de nossa confissão cristã, podemos vir a ser a única bíblia que muitas delas "lerão". Evidenciar o discipulado. Jesus ensinou que devemos dar "muito fruto" a fim de confirmarmos que somos seus discípulos (Jo 15:8). Ele ressaltou que todo discípulo bem instruído será como o seu mestre (Lc 6:40) Isto significa que não é o bastante aceitar Jesus para afirmar: "Veja, sou crente!" Ele deseja que produzamos muito fruto. Se assim fizermos, estaremos demonstrando que verdadeiramente somos seus discípulos. Nisto e glorificado meu Pai, que deis muito fruto; e assim sereis meus discípulos. (João 15:8)//
Pr. Adaylton Conceição de Almeida (Th.B.;Th.M.;Th.D.)
Ass. de Deus em Santos (Ministério do Belém) - São Paulo.
Email: adayl.alm@hotmail.com
Facebook: adayl manancial

BIBLIOGRAFIA
Luciano de Paula Lourenço – O caráter cristão e o fruto do espírito
Jônatas Câmara - O Fruto do Espírito Santo e o Caráter do Cristão
Oswaldo Luiz Gomes Jacob - Transformados pelo poder do reino de Deus
Ozéas Dias Gomes – Vida controlada pelo espírito


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço e será um prazer receber seu comentário que depois de aprovado será publicado.