segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

ALEGRIA, FRUTO DO ESPIRITO; INVEJA, HÁBITO DA VELHA NATUREZA

Pr. Adaylton de Almeida Conceição
A ALEGRIA NO CRISTÃO

ALEGRIA ou GOZO. (Gr. chara); sensação de alegria baseada no amor, na graça, nas bênçãos, nas promessas e na presença de Deus.

Alegria é uma expressão de contentamento, satisfação.
A alegria do cristão, porém, é muito mais que uma simples sensação, é uma virtude caracterizada pelo bem-estar espiritual. Ela, na verdade, é uma consequência de um reto relacionamento com Deus.

Aquele que recebe as boas novas em seu coração, o evangelho de Cristo, tem em sua alma uma constante alegria, pois tem a certeza de sua salvação, sabe que Jesus está presente em quaisquer circunstâncias da vida, e que é mais do que vencedor em Cristo Jesus porque se Jesus venceu todo o mal, nós com Ele venceremos também todas as batalhas desse mundo.

ALEGRIA COMO IMAGEM E SEMELHANÇA DE DEUS
A narrativa da criação do mundo (Gênesis 1) contém uma frase que se repete ao termino de cada dia: Viu Deus que isso era bom.
A criação do mundo, parte por parte, deu prazer a Deus. No primeiro dia, Ele não olhou para o que restava e se lamentou. Antes, Ele se alegrou no que já tinha feito. Sua atitude é diferente de muitos de nós, pessimistas profissionais, sempre a lamentar o que falta ser feito, como um peso incarregável.
Deus é alegre. Ao relembrar a promessa divina ao seu povo, prestes a entrar na terra prometida, Moisés afirmou: "O Senhor teu Deus te fará prosperar grandemente em todas as obras das tuas mãos, no fruto do teu ventre e no fruto dos teus animais e no fruto do teu solo, porquanto o Senhor tornará a alegrar-se em ti para te fazer bem, como se alegrou em teus pais" (Deuteronômio 30.9).
Onde Deus está, há "honra e majestade", mas também "força e alegria" (1Crônicas 16.27). Na presença dEle, há plenitude de alegria (Salmo 16).
Jesus disse que no céu há alegria quando um pecador se arrepende (Lucas 15.7). O mesmo Jesus informou a motivação a sua pregação: para que seus discípulos (os ontem e os de hoje) "tenham a "minha alegria completa" em si mesmos" (João 17.13).
Essa alegria, é fruto de uma total e firme confiança no Espírito de Deus, é fruto do evangelho de Jesus Cristo dentro de nós que nos faz viver voltados para o que Ele nos ensina em todo o tempo sem permitir que nada e ninguém venha penetrar nesse relacionamento de forma contrária.
Devemos crer em TUDO que a bíblia, a palavra de Deus nos revela para termos um espírito vivo, e permanentemente alegre dentro de nós.

A alegria possui uma fonte em resposta a uma promessa. É companheira da Salvação da pessoa e do corpo de Cristo. Também podemos experimentá-la mesmo em grandes tribulações, vejamos:

1º) A alegria provem de Deus: “o qual, nas gerações passadas, permitiu que todos os povos andassem nos seus próprios caminhos; contudo, não se deixou ficar sem tes-temunho de si mesmo, fazendo o bem, dando-vos do céu chuvas e estações frutíferas, enchendo o vosso coração de fartura e de alegria.” (At 14.16,17)

Há alegria quando estamos na presença de Deus: “Tu me farás ver os caminhos da vida; na tua presença há plenitude de alegria, na tua destra, delícias perpetuamente.” (Sl 16.11)

A alegria é uma promessa de Deus: “Assim também agora vós tendes tristeza; mas outra vez vos verei; o vosso coração se alegrará, e a vossa alegria ninguém poderá tirar.” (Jo 16.22)

A alegria pode ser experimentada mesmo na tribulação:

Amados, não estranheis o fogo ardente que surge no meio de vós, destinados a provar-vos, como se alguma coisa extraordinária vos estivesse acontecendo; pelo contrário, alegrai-vos na medida em que sois co-participantes dos sofrimentos de Cristo, para que também, na revê-lação de sua glória, vos alegreis exultando”(1 Pe 4.12,13).

Vale lembrar que a epístola aos Filipenses, conhecida como epístola da alegria, foi escrita em grande tribulação da parte do apóstolo Paulo que encontrava-se encarcerado em uma prisão. Mesmo assim não vemos um homem desanimado, triste ou decepcionado, muito pelo contrário. O ápice da carta está no capítulo quatro: "Alegrai-vos, sempre, no Senhor; outra vez vos digo alegrai-vos."(Fp 4.4).

INDEPENDE DAS CIRCUNSTANCIAS = SEMPRE;
A alegria é independente das circunstâncias – “Alegrai-vos sempre”. Paulo não está falando de alegria como um teórico. Ele não está hospedado num hotel cinco estrelas em Roma. Ele está preso, algemado, acuado, trazendo no corpo as marcas de Cristo. Ele já havia passado por lutas tremendas, por perseguições atrozes, por açoites humilhantes, por injustiças inumanas, mas a alegria do seu coração estava tremulando no mastro da sua vida.
Ser cristão não é viver numa redoma de vidro. Ser cristão não é ser poupado dos problemas. O que nos diferencia do ímpio não são as circunstâncias, mas o fundamento sobre o qual construímos nossa vida. Jesus falou que a diferença entre o salvo e o perdido não é aparência da casa que cada um constrói, mas o alicerce. Sobre ambas as casas, cai a chuva, sopram os ventos e batem os rios.
A que foi construída sobre a rocha fica firme, a que foi edificada sobre a areia desmorona. Ser cristão é edificar a vida sobre a rocha que é Cristo. Os problemas vêm, mas a alegria não vai embora, porque ela é ultracircunstancial.
QUEM ESTÁ EM CRISTO VIVE ALEGRE
Sim, quem está em Cristo vive alegre. Por quê? A resposta está em Salmos 16.11: “Far-me-ás ver a vereda da vida; na tua presença há fartura de alegrias; à tua mão direita há delícias perpetuamente”. O apóstolo Paulo, quando escrevia a sua magistral carta aos filipenses, certamente estava examinando o pergaminho com essa passagem do livro de Salmos, o que o levou a uma palavra imperativa da parte de Deus: “Regozijai-vos sempre no Senhor; outra vez digo, regozijai-vos” (Fp 4.4). Nós fomos comprados e remidos pelo sangue de Cristo, não pagamos mais tributos, impostos a Satanás, conforme fazem todos aqueles que estão no mundo acorrentados pelo pecado.
SIGNIFICADO DA INVEJA
Quando vi que tudo ia bem para os orgulhosos e os maus, quase perdi a confiança em Deus porque fiquei com inveja deles” (Sl 73.2-3).

O que é Inveja:
Inveja é o desejo de possuir um bem que pertence ao outro. É um sentimento de inferioridade e de desgosto diante da felicidade do outro. É um sentimento de cobiça da riqueza, do brilho e da prosperidade alheia.
A inveja é o desejo constante que algumas pessoas sentem ao almejar a todo custo as conquis-tas da vida alheia, é desejar o que o outro possui ou realiza.
A inveja está intimamente ligada ao ciúme, no momento que produz desgosto ou tormento ao indivíduo que almeja possuir algo que pertence a outro indivíduo.
Ter inveja indica que não estamos satisfeitos com o que Deus tem nos dado. A Bíblia nos diz que devemos estar satisfeitos com o que temos, pois Deus nunca vai nos deixar ou abandonar (Hebreus 13:5). Para combater o sentimento de inveja, precisamos nos tornar mais como Jesus e menos como nós mesmos. Podemos fazer isso ao estabelecer um relacionamento pessoal com Deus. Podemos conhecê-lO mais através de estudos bíblicos, oração e de ir à igreja. À medida que aprendemos a servir a outras pessoas ao invés de nós mesmos, nossos corações começam a mudar. “Não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus” (Romanos 12:2).

Onde há inveja não há amor. I Coríntios 13:4.

Jesus ensinou que a lei se cumpre em sua totalidade, se amarmos o Senhor nosso Deus com todo nosso coração, toda a nossa força, e toda nossa mente. E amar ao nosso próximo como amamos a nós mesmos (Lucas 10:27). A Bíblia também diz que o amor não inveja. Como eu posso chamar a mim mesmo de filho de Deus, se eu invejo o meu próximo?

A inveja não é passiva; não cruza os braços; não fica parada em momento algum. Ela é ativa, dinâmica e incontrolável. Se não for barrada na nascente, leva o invejoso automaticamente ao crime.
Não foi a inveja de Caim que provocou o primeiro assassinato da história (Gn 4.8)? O livro de Gênesis conta que “Isaque tinha tantas ovelhas e cabras, tanto gado e tantos empregados, que os filisteus acabaram ficando com inveja dele”. A inveja dos vizinhos levou-os a entupir todos os poços dos quais o patriarca se servia para matar a sede do gado e regar a lavoura (Gn 26.14-15). Foi por inveja que os irmãos de José o venderam para ser escravo no Egito (At 7.9).
A diferença entre ciúme e inveja é que o primeiro nos faz ter medo de perder aquilo que possuímos enquanto que a inveja nos provoca tristeza pelo fato de os outros possuírem aquilo que não temos
Por inveja mataram Jesus Mt 27:8.
A inveja faz com que desejemos ter o que não temos, sem fazer o que os outros fizeram para conseguir. Os fariseus queriam o status de Jesus, mas não se dispunham a renunciar suas con-dições de vida. Se admiramos alguém – é diferente de invejarmos- procuremos seguir seu exemplo. Não estou falando de perder a identidade para se tornar o outro, mas procurar agir da melhor maneira, para ser o melhor no que se submeter a fazer. Foi isso que Jesus transmi-tiu aos seus discípulos: “Se alguém quer vir após mim, tome sua cruz e siga-me” . Querem ser meus discípulos? Então façam o que eu lhes digo e o que eu faço.
Por que a inveja surge
A inveja pode ter muitas origens, mas quem mais influencia nesse sentimento negativo para com os demais, é a própria pessoa e sua forma de ver a vida. Geralmente, esta emoção surge devido as frustrações pessoais, a baixa autoestima, ou a dificuldade em alcançar objetivos planejados para a vida. Este sentimento aparece quando as pessoas que estão ao nosso redor têm uma condição de vida um pouco melhor, e essa situação não é bem aceita. A insegurança é outro fator que torna possível o aparecimento deste ressentimento.
A inveja é um sentimento negativo, composta por outros estados emocionais como o rancor, avareza ódio, frustração. Ela nunca poderá ser classificada como um sentimento positivo ou saudável. 

A INVEJA E SUA CONSEQUÊNCIA
Sendo a inveja um ressentimento aninha­do no coração do homem, conclui-se que o invejoso vive em torturas da sua alma, tendo em si a destruição de alguns bons princípios de vida (SI 73.2,3). A condição de vida do invejoso é marcada por reclamações, por expressões de revoltas visíveis no próprio rosto (Gn 4.5; I Rs. 21.4-7).
 É a batalha interna do coração, por não ver seus intentos realizados. A luta continua e outros atos maus vão sendo levados a efeito, até que se consiga o proposto. Os meios usados, sejam quais forem, se justificam pelos fins propostos.
A Bíblia nos apresenta inúmeros exem­plos das consequências causadas pela inveja e os seus integrantes. Eis alguns: a) Abel é assassinado pelo próprio irmão, Caim, que, possuído de inveja, irou-se e, dolosamente, mesmo advertido por Deus (Gn 4.5-8), praticou um crime, tornando-se exem­plo negativo para todas as gerações (Hb 11.4; I Jo 3.12 e Jd 11).
b) Isaque é expulso de Gerar por ter se enriquecido (Gn 26.12-17);
A inveja conduz o ser humano a um miserável estado de vítima, impedindo-o de repa­rar suas próprias deficiências, corrigindo-as e se tornando capaz de conseguir, por meios lícitos, as mesmas condições de vida. O invejoso é governado por diretrizes por ele elaboradas, e não sob as normas divinas, pois de Deus está alienado. Da sua lingua­gem e modo de vida, a prá-tica da Lei Áurea estabelecida por Deus, registrada em Deuteronômio 6.5, Levítico 19.18 e Mateus 22.37-39, não faz parte, pois para ele Deus e o próximo não existem. Mas a pior con-seqüência é a eterna, pois Paulo afirma: "São passíveis de morte os que tais coisas praticam" (v. 32).
CONCLUSÃO: Uma pessoa cheia do Espírito é uma pessoa alegre. A alegria é uma das consequências mais visíveis da plenitude do Espírito Santo em nós. Quem está em Cristo, nova criatura é; assim tudo o relacionado com a velha natureza foi sepultado com a velha vida, incluindo a inveja.///
Pr. Adaylton Conceição de Almeida (Th.B.;Th.M.;Th.D.)
Ass. de Deus em Santos (Ministério do Belém) - São Paulo.
Email: adayl.alm@hotmail.com
Facebook: adayl manancial

BIBLIOGRAFIA
Isabel Belo de Azevedo – Alegria no Espírito
Aldenir Araujo - O que a Bíblia diz sobre a inveja?
Ana Almeida - O fruto do Espírito Santo (alegria)
Isaias Silva de Jesus – A inveja, um grave pecado
Pastor Edson – O fruto do Espírito (Alegria)


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço e será um prazer receber seu comentário que depois de aprovado será publicado.