sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

ADORANDO A DEUS EM MEIO A CALAMIDADE


Houve um rei em Judá que era fiel ao Senhor e fez grandes coisas para o seu povo. Era Josafá (ou Jeosafá), filho de Asa, que também foi um rei fiel a Deus. Josafá reinou por vinte e cinco anos sobre Judá e Deus confirmou seu reinado por causa da sua fidelidade, porque ele rejeitou os ídolos e buscou ao Deus verdadeiro e foi engrandecido pelo Senhor.
No contexto histórico o reino de Israel estava dividido, reinava Josafá em Judá e, ao mesmo tempo, reinava Acabe sobre Israel. Não eram tempos de paz, tanto é que Josafá fortaleceu o exército de Judá, posto que estava sempre esperando um ataque de Israel. O reino dividido não agradava ao coração de Deus, mas foi consequência do pecado de Israel como nação.

Josafá era um excelente administrador e avançou em questões relevantes para a nação, tanto do ponto de vista espiritual, quanto nas questões de governo. Ele retirou os postes-ídolos de Judá, que eram altares dedicados a deuses estranhos, além disso, ele mandou uma comissão composta de sacerdotes e levitas percorrer todas as cidades de Judá para ensinar ao povo sobre o Livro da Lei do Senhor. Foi uma medida importante, porque os hebreus estavam longe do seu Deus já fazia um bom tempo e bem pouco sabiam sobre a lei mosaica.

Nas questões de governo, Josafá edificou cidades-fortalezas e cidades-armazéns e realizou muitas obras estruturantes. Foi Josafá quem criou o sistema jurídico de Judá e colocou juízes em todas as cidades fortificadas para julgar as causas do povo, exortando pessoalmente cada juiz a julgar da parte do Senhor e não dos homens, não aceitando suborno.

QUEM ERA JOSAFÁ?
Josafá significa “Iaweh é juiz”. Filho do rei Asa, que empreendeu uma boa reforma, recebeu este nome e teve seu caráter orientado pelo pai.  Algumas marcas de sua vida podem nos orientar. Vejamos com atenção, pois ele é um modelo de pessoa piedosa. Que acertou. E errou. Imitemos os acertos, evitemos seu erro.
Ele teve um pai que o orientou bem - 2 Crônicas 14.1-5.
Veja-se a oração do seu pai em 2Crônicas 14.11. Mas estudamos Josafá ou Asa? Estamos vendo como um pai pode influenciar seu filho no bom caminho. Josafá andou no bom caminho: 2Crônicas 17.3-6. Os filhos devem perseverar no bom caminho que os pais ensinam. E os pais devem ensinar bons caminhos.
Ele levou instrução religiosa para o povo – 2 Crônicas 17.7-9.
Muita gente segue a Cristo, é realmente convertida, mas nunca usa sua posição para levar outras pessoas ao conhecimento da verdade. Josafá quis ensinar o povo. Quando testemunhamos, somos abençoados, como Josafá o foi: 2 Crônicas 17.10.
Ele liderou um despertamento religioso e jurídico – 2 Crônicas 19.4.
Ele comandou uma volta ao Senhor por parte do povo. Um governante que é exemplo para o povo! Orientou os juízes para serem pessoas corretas: 2Crônicas 19.5-7. Não usou nem torceu a justiça em seu benefício, mas podia servir de orientador aos juízes! E ainda orientou os sacerdotes: 2Crônicas 19.8-10.
JOSAFÁ E SEUS INIMIGOS
2 Cr 20.1 – “E sucedeu que, depois disso, os filhos de Moabe, e os filhos de Amom, e, com eles, alguns outros dos amonitas vieram à peleja contra Josafá. Então, vieram alguns que deram aviso a Josafá, dizendo: Vem contra ti uma grande multidão dalém do mar e da Síria; e eis que já estão em Hazazom-Tamar, que é En-Gedi”.
Todavia, diante de todo o progresso do seu reino, havendo paz e prosperidade, os seus inimigos não estando satisfeitos; decidiram fazer guerra contra o reino de Josafá. Três reis com seus exércitos se levantaram contra Josafá: Os Amonitas, os Moabitas, e os Edomitas. Eles vieram à peleja contra Josafá, e diz a Bíblia, que Josafá temeu. Mesmo tendo Josafá um exército poderoso a sua disposição, com mais de um milhão de guerreiros, segundo o texto de 2crônicas 17.12-19 nos informa, mas ele se viu em desvantagem diante de três grandes exércitos, e preferiu buscar o socorro de Deus.
Josafá reconheceu a sua situação e foi buscar socorro no Senhor (v.1-6).

A verdade é que há momentos em que até rei tem medo, até crente, cheio do poder, tem medo! É um erro grave não confessar isso diante do Senhor, pois pode sinalizar uma espiritualidade falsa. Confessar a Deus e buscar a solução é uma coisa, viver em função do medo é outra.  

 Como filhos do Deus vivo, não podemos ser paralisados e vencidos pelo medo. Nossos me-dos, ao contrário, devem nos levar a buscar mais ao Senhor, e jamais fugir dEle ou da bata-lha, como muitos fazem, abandonando o Senhor, a fé, a Igreja, os amigos.

BUSCOU AO SENHOR.
Então, Josafá temeu e pôs-se a buscar o SENHOR; e apregoou jejum em todo o Judá”. 2 Cr.20.3.
Há momentos em que os problemas vêm sobre nós como um terremoto avassalador. Nessas horas, nossos recursos são absolutamente insuficientes para enfrentarmos a situação e nada podemos fazer senão recorrermos ao Deus do céu, e clamar por sua ajuda e socorro. A oração e o jejum são recursos sobrenaturais, são armas espirituais à disposição do povo de Deus.
Josafá não buscou ajuda de outros reis das nações aliadas a ele, nem pediu orientações dos seus conselheiros ou general do seu exército; mas ele decidiu buscar ao Senhor, com oração e jejum. Aprendemos com o rei Josafá, que quando a situação é difícil e parece impossível, devemos tomar o caminho da oração e jejum, existem certas situações que só se resolve através da oração e do jejum.
Quando agimos por nossa própria destreza e fiados em nossos próprios recursos, ficamos sujeitos a derrotas vergonhosas. Mas, quando buscamos a Deus em oração e nos humilhamos sob sua onipotente mão, então, seu braço onipotente sai em nossa defesa e nos concede vitória.
DEPENDEU INTEIRAMENTE DE DEUS.
Ah! Deus nosso, porventura, não os julgarás? Porque em nós não há força perante esta grande multidão que vem contra nós, e não sabemos nós o que faremos; porém os nossos olhos estão postos em ti”. 2Cr.20.12.
Josafá, se sentiu sem forças e debilitado diante da grande multidão que vinha contra a nação de Judá. Mesmo sabendo do potencial do seu grande exército, ele não confiou, mas depositou toda a sua fé e dependência em Deus. Aprendemos com o rei Josafá, a dependermos inteiramente de Deus; porque há momentos que os nossos talentos, as nossas habilidades e todas as nossas experiências, não resolvem, mas só o Senhor. Quando estamos na total dependência de Deus, Ele peleja por nós e nos dá a vitória.
Josafá trouxe à memória as alianças e as promessas de Deus (v. 7-13).
A questão não era se Deus tinha se esquecido ou não das Suas palavras, porque isto é impossível (a única coisa de que Deus se esquece é dos nossos pecados confessados e arrependidos). Confessar as alianças e promessas de Deus é para que nos lembremos que Ele tem compromisso conosco e é absolutamente fiel, o que nos fortalece na fé e na esperança.
Josafá se colocou na posição certa, por isso ouviu o consolo e as estratégias do Senhor (v.14-17).
Como é bom saber que o Senhor cuida de nós e toma para si as nossas batalhas. Estando com o Senhor, as “nossas” batalhas não são nossas, são dEle. Diz o texto bíblico que eles estavam em jejum, oração, quebrantamento e confissão, “então, veio o Espírito do Senhor… e disse”. Deus nunca deixa de nos responder; o problema é que às vezes não estamos na posição de ouvi-Lo.
ADOROU AO SENHOR.
Então, Josafá se prostrou com o rosto em terra; e todo o Judá e os moradores de Jerusalém se lançaram perante o SENHOR, adorando o Senhor”. 2Cr.20.18.
Depois que, o rei Josafá e todos moradores de Jerusalém, ouviram a voz de Deus, eles ficaram confortados e se prostraram perante o Senhor, para o adorar. A adoração verdadeira diante de Deus, é algo poderoso, que move o coração de Deus, e lhe faz se levantar do seu trono para agir em benefício dos verdadeiros adoradores. Enquanto a igreja estar prestando uma adoração sincera a Deus, Deus estar recebendo como cheiro suave as sua narinas e enviando vitória para o seu povo. Se a situação é difícil, adore; se o problema parece insolúvel, adore; se todos dizem que é impossível e que pra você não mais jeito, adore a Deus, que ele vai começar a agir para lhe dá uma grande vitória. Amem!
Pôs-se em pé Josafá e disse: Ouvi-me, ó Judá e vós, moradores de Jerusalém: Crede no Senhor, vosso Deus, e estareis seguros; crede nos seus profetas e prosperareis”. 2Cr.20.20.
Josafá não só acreditou no Senhor, e nos seus profetas, mas também incentivou todo povo a crer. Tal como o rei Josafá, para sermos bem sucedidos, é preciso acreditar na SENHOR, e confiar na sua palavra. Quem não crer no El Shaday (Deus todo-poderoso), e não acredita na sua palavra, está falido, está quebrado e será derrotado. Mas, feliz é aquele que crer, pois do SENHOR, receberá a vitória.
Quando todos os homens, mulheres e crianças se reuniram para falar com Deus em oração, Deus se manifestou e falou com eles, trazendo-lhes sua Palavra. Por intermédio da oração falamos com Deus; por meio da Palavra Deus fala conosco. A Palavra divina que veio ao povo encorajou-o a não olhar para as circunstâncias e não temer as ameaças do inimigo.
Deus lhes acalmou o coração dizendo que pelejaria por eles e lhes daria a vitória. A Palavra gerou fé no coração deles e tirou seus olhos do problema para colocá-los no Deus que está acima e no controle da situação.
Josafá adorou, obedeceu e provou a vitória (v.18-22).
Não basta saber Quem o Senhor é e nem o que Ele pode fazer. É preciso agir! Tomar uma atitude de fé, atitude de vencedor no Senhor!
Se o Senhor já falou, só nos resta obedecer, isto é, por em prática Seus conselhos e assumir uma atitude de louvor e adoração. Obediência assim mostra que descansamos n‘Ele, em plena crise, porque sabemos que a nossa vitória é certa.
Até porque adoração, obediência e fé andam de mãos dadas e são garantia de vitória para os santos de Deus.
Deus garante a vitória a aqueles que confiam Nele
Na manhã seguinte, logo cedinho, Josafá e seu exército se levantaram e saíram ao deserto de Tecoa, onde estavam acampados os inimigos, antes, porém, Josafá se pôs de pé e disse: “Ouvi-me, ó Judá, e vós, moradores de Jerusalém: Crede no SENHOR vosso Deus, e estareis seguros; crede nos seus profetas, e prosperareis.” (2 Crônicas 20:20).
Josafá se aconselhou com o povo, o que mostra seu caráter humilde e ordenou cantores para louvar o Senhor. O interessante é que estes cantores saíram na frente do exército, eles iam louvando ao Senhor e o exército atrás. Josafá creu na Palavra do Senhor e sabia que um grande milagre estava para acontecer, a estratégia adotada por ele foi a do louvor.
O que aconteceu em seguida foi extraordinário. Quando os cantores começaram a cantar os louvores, Deus pôs emboscadas entre aos exércitos inimigos e eles se mataram sozinhos, a espada de um foi contra o outro. Isso mesmo, os caras se mataram mutuamente e Judá não precisou matar unzinho sequer.
Nisso chegou o atalaia de Judá que estava observando a confusão generalizada no arraial dos inimigos, avisando Josafá o que estava acontecendo e quando eles chegaram e olharam para o acampamento inimigo, estavam todos mortinhos da silva. Nenhum escapou.
O rei Josafá e seu povo só tiveram o trabalho de recolher os despojos, porque era muita riqueza, joias, objetos de valor, armas, etc. Eles recolheram tanta coisa que não podiam levar e passaram três dias saqueando os despojos.
Quando confiamos em Deus, não importa o tamanho do inimigo, nem se ele é muito forte ou se o seu exército é muito grande; porque quando oramos e cremos que Deus estar no controle da situação, podemos descansar o coração e crer na sua palavra, que ele vai começar a agir para nos dá uma grande vitória. Diz a bíblia que, o rei Josafá e todo o povo de Judá, passaram três dias saqueando os despojos da guerra, e depois que eles recolheram em abundância todos os objetos preciosos; no quarto dia, se ajuntaram no vale de Beraca, que significa, o vale da bênção, para ali louvarem agradecendo ao SENHOR, pela vitória. Assim como o rei Josafá e o povo de Judá venceu, você também vai vencer; não importa o inimigo, nem o tamanho do problema que você estar enfrentando; Deus vai se levantar pela tua causa e vai guerrear a tua guerra, porque a peleja não é tua, é de Deus. ///
Pr. Adaylton de Almeida Conceição (Th.B. Th.M. Th.D.)

Assembleia de Deus – Santos /Ministério do Belém
Facebook: adayl manancial

BIBLIOGRAFIA
Geraldo Barbosa – A Vitória do rei Josafá
Nonato Souza – Alcançando bençãos em tempo de crise.
Marcelo Araújo - Encontrando Ajuda em Tempos de Crise.
Isaltino Gomes Coelho Filho - JOSAFÁ – “Erros e acertos de uma pessoa piedosa”
Jânio Santos de Oliveira - As quatro atitudes de Josafá para vencer a crise.







Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço e será um prazer receber seu comentário que depois de aprovado será publicado.