sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

As duas condições espirituais

A Bíblia Sagrada indica duas condições espirituais que estão disponíveis a nós pelo livre-arbítrio. O apóstolo Paulo, em Efésios 2.1-13, declara com veemência que para o homem sem Deus, que ainda não se decidiu por aceitar a Jesus como o seu Senhor e Salvador pessoal, sua condição espiritual é tristemente insustentável e assaz perigosa. O apóstolo conclui que o ser humano sem Deus está morto em razão dos seus delitos e pecados, que são geradores da morte espiritual: “O salário do pecado é a morte”. Nesta condição, jaz a maior parte da humanidade. A Bíblia revela que não são muitos os que herdarão a vida eterna precisamente pela atitude que assumem diante da oportunidade que lhes é oferecida de se tornarem participantes da natureza divina, que significa mudança radical em todas as áreas da vida.
Entendemos que um dos pecados mais grosseiros, gerador de morte espiritual eterna, é o da rejeição de Deus, que tão bondosa e generosamente concede a todo o ser humano os seus muitos favores em todas as esferas da vida. O mesmo apóstolo Paulo, na sua carta aos Romanos, capítulo 1, faz declarações impactantes ao dizer que “do céu se manifesta a ira de Deus sobre toda a impiedade e injustiça dos homens que trocam a verdade pela injustiça”, o quais embora tenham conhecimento de Deus, não o glorificam como Deus. Muitas dessas pessoas se consideram filhos de Deus, o que não são porque rejeitam o pai das luzes que é Deus, razão pela qual vivem em densas trevas espirituais e com efeito não sabem para onde estão indo no que tange à eternidade.
Rejeitar a bondade de Deus situa a pessoa do homem em triste condição mesmo que o tal desfrute uma vida esplêndida materialmente falando, porque, na verdade, está morto e o seu fim será idêntico ao do homem rico (Lucas 16.19-31). A Bíblia nos apresenta muitos questionamentos relevantes. Por exemplo, nos é perguntado: “Como escaparemos se negligenciarmos tão grande salvação?” Esta condição espiritual do ser humano é realmente preocupante e cada pessoa deve atentar para ela em tempo hábil a fim de descobrir o caminho para escapar da destruição eterna.
Aludimos a um aspecto da primeira condição colocada ao livre-arbítrio humano, aquela que o tem afastado de Deus. O autor sagrado deixa bem claro que o ser humano sem Deus é dominado pelo inimigo, Satanás, e acrescenta que tal pessoa é por natureza filho da ira. É profundamente lastimável estar situado na posição de um pecador que se recusa a aceitar o dom gratuito de Deus, a vida eterna em Cristo Jesus! Todavia, é maravilhoso focalizar e vivenciar a outra condição colocada à vontade de todo ser humano. O homem ou mulher que vive na prática do pecado recusando-se a ter comunhão com Deus, com toda certeza está sob o domínio da morte, mas todos podem desfrutar, se desejarem, da misericórdia de Deus. Na sequência do texto de Efésios 2, o apóstolo Paulo afirma que por conta da grande misericórdia de Deus ninguém precisa viver mais sob as garras da morte espiritual, pois a misericórdia se revelou em Cristo Jesus trazendo salvação a todos quantos a abracem. Por tal razão, os que são de Cristo testificam que têm vida com abundância.
Esta segunda condição que é oferecida a todos os homens coloca-os juntamente com Cristo nos lugares celestiais, posição que resulta da misericórdia divina, que no-la foi concedida através do Seu amado Filho Jesus (Efésios 2.4-5). Além das riquezas insuperáveis da graça que já se pode usufruir agora, é feita, a todos que creem, a promessa das riquezas da glória que hão de se manifestar, das quais o mesmo apóstolo do Senhor informa que são tão preciosas que ao mortal não é possível entender plenamente. Talvez você indague: “O que devo fazer para ocupar o território da segunda condição espiritual, uma vez que entendi perfeitamente que se não tomo a decisão de entregar a minha vida por inteiro ao Salvador Jesus, permanecerei morto nos meus delitos e pecados?”. A resposta à tua pergunta, querido leitor, é simples. O primeiro entendimento que deves ter é que o agente desta sublime condição é a graça de Deus, dom imerecido, revelado na pessoa bendita do Salvador Jesus Cristo. Em segundo lugar, deves compreender que enquanto o agente é a graça, o meio é a fé irrestrita em tudo que Deus nos oferece por Sua graça. Quem sabe o leitor caminhe com tantos que já envidaram grandes esforços no afã de alcançarem a felicidade de que suas almas reclamam e chegou à triste conclusão de que todos os seus atos de religiosidade foram vãos, e resta-lhe a pergunta: “O que devo ainda fazer para alcançar a condição de salvo? Quanto deve ser o preço a ser pago?”. A resposta é simples e única: “Crê no Senhor Jesus Cristo com todo o teu coração e serás salvo” (Atos 16.31). O preço já foi pago através do precioso sangue de Cristo vertido no cimo do Calvário, pelo qual temos acesso a Deus, o Pai, e por Ele somos justificados, redimidos e santificados para uma vida de comunhão com Ele.
Por, Temóteo Ramos.
Fonte: http://novavidaemamor.com/?p=1235#more-1235

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço e será um prazer receber seu comentário que depois de aprovado será publicado.