segunda-feira, 12 de outubro de 2015

E DEUS CRIOU O HOMEM E A MULHER

A CRIAÇÃO DO HOMEM.
Gênesis 1.26: “E disse Deus: façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; e domine sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo réptil que se move sobre a terra”.
No sexto dia da criação, depois de concluir sua ação criadora, Deus sentiu a necessidade de algo mais pessoal, algo inteligente e que pudesse ter comunicação direta com Ele.
Observe estas palavras de Gênesis 2:7: E formou o Senhor Deus o homem do pó da terra, e soprou em suas narinas o fôlego da vida; e o homem foi feito alma vivente. Naquele exato momento, no qual Deus soprou em suas narinas o fôlego da vida, o homem foi feito alma vivente. E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra. (Gênesis 1:28). Portanto, Deus deu ao homem, logo que ele foi criado, o domínio absoluto sobre todas as criaturas desta terra. Observe que, no momento de sua criação, Adão já era um homem adulto, totalmente capaz de trabalhar. E Deus imediatamente já o colocou para trabalhar. Deus não inscreveu ele no “bolsa-família”. O Senhor não disse a ele que ficasse em casa vendo TV, sentado, depois levantasse caminhar e ir jogar bola. Na mesma hora em que Deus criou o homem, ele o colocou para trabalhar.
A CRIAÇÃO DA MULHER
O Senhor Deus disse: "Não é bom que o homem esteja só. Vou dar-lhe uma auxiliar que lhe seja adequada." (Gn 2,18)
Então, o Senhor Deus mandou ao homem um profundo sono; e enquanto ele dormia, tomou-lhe uma costela e fechou com carne o seu lugar. E da costela que tinha tomado do homem, o Senhor Deus fez uma mulher, e levou-a para junto do homem. "Eis aqui agora - disse o homem - o osso de meus ossos e a carne da minha carne; ela se chamará mulher, porque foi tomada do homem." Por isso, o homem deixa o seu pai e sua mãe para se unir à sua mulher; e já não são mais que uma só carne.” (Gn 2, 21-24).
Sim, tudo bem, Deus criara a mulher para que o homem não estivesse só, porém, este não foi o único motivo pelo qual a mulher foi criada. Deus disse: “far-lhe-ei uma ajudadora idônea para ele.”

UM DEUS QUE CRIA UM REPRESENTANTE LEGAL NO PLANETA TERRA.
Numa época completamente remota, num passado desconhecido, a Divindade propôs a criação de um ser que pudesse desfrutar de comunhão com Deus e, para ser seu representante aqui na terra. Esse ser foi o HOMEM. Foi criado à IMAGEM e SEMELHANÇA de Deus.
IMAGEM, do hebraico “tselem”, significa a expressão da realidade. O homem possui uma natureza trina, pois é constituído de Espírito, alma e Corpo. “E o mesmo Deus de Paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo” (I Tessalonicenses 5.23). Possui uma natureza espiritual que o coloca em contacto com Deus “Porque qual dos homens sabe as coisas do homem, senão o espírito do homem, que nele está? Assim também ninguém sabe as coisas de Deus, senão o Espírito de Deus” ( I coríntios 2.11).
A imagem é a substância espiritual e inseparável da alma e não pode ser separada do homem vivente.
A Palavra “SEMELHANCA”, corresponde ao caráter moral, que pode separar-se da substancia ou essência e que foi perdida na queda do homem através do pecado original. Ele continuou tendo a alma, mas sem o caráter moral divino (I João 3.2; Salmo 17.15).
IMAGEM e SEMELHANCA, não são termos para compreender-se materialmente, mas espiritualmente.
O sacrifício de Cristo na cruz foi para restaurar a semelhança através do novo nascimento (regeneração – voltar a ser gerado). “Jesus respondeu e disse-lhe: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo não pode ver o Reino de Deus”, (João 3.3). “Mas a nossa cidade está nos céus, donde também esperamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo, que transformará o nosso corpo abatido, para ser conforme o seu corpo glorioso, segundo o seu eficaz poder de sujeitar também em si todas as coisas”. (Filipenses 3.20,21). O homem foi criado para ser perfeito, puro e maravilhoso. “Vede, isto tão somente achei: que Deus fez ao homem reto, mas ele buscou muitas invenções” (Eclesiastes 29).
Para todas as coisas criadas, foi empregada uma simples palavra, porém quando chegou a hora de criar o homem, Deus mudou seu método de povoar o universo. Ele colocou Suas próprias mãos em ação, para imprimir um contacto pessoal no novo ser que estava criando. Assim que o homem leva em si, a marca de Deus, a impressão digital de Deus.
Deus coroou a sua obra criadora, com a criação do HOMEM. Assim que o homem foi como a coroa da criação de Deus.
Então podemos ver que, no sexto dia Deus fecha sua criação com chave de ouro, criando homem e mulher à sua semelhança. Primeiro o homem, do pó da terra, o qual chamou Adão. E o interessante é que a única coisa que Deus não considerou boa foi o fato de o homem estar só (Gênesis 2:18). Então Deus, em toda sua sabedoria e bondade criou a mulher. Fez Adão adormecer e fez a mulher a partir de sua costela, carne da mesma carne. Homem e mulher foram criados pelo mesmo Deus, com a mesma imagem do criador. Isso significa que somos a mais bela arte do criador, pois Ele colocou sua própria imagem em nós. Despejou todo seu talento e criatividade ao ponto de repartir conosco alguns de seus atributos.
Moralmente, o homem foi criado em justiça e perfeita inocência, um reflexo da santidade de Deus. Deus viu tudo que tinha feito (incluindo a humanidade), e disse que tudo era “muito bom” (Gênesis 1:31). Nossa consciência, ou “bússola moral” é um vestígio daquele estado original.
Socialmente, o homem foi criado para a comunhão. Isto reflete a natureza triúna de Deus e Seu amor. No Éden, o primeiro relacionamento do homem foi com Deus (Gênesis 3:8 indica comunhão com Deus), e Deus fez a primeira mulher porque “não é bom que o homem esteja só” (Gênesis 2:18).
Mentalmente, o homem foi criado como um agente racional e com poder de escolha: em outras palavras, o homem pode raciocinar e fazer escolhas. Isto é um reflexo do intelecto e liberdade de Deus.
Parte de sermos feitos à imagem de Deus significa que Adão tinha a capacidade de tomar decisões livres. Apesar de ter sido dada a ele uma natureza reta, Adão fez uma má escolha em se rebelar contra seu Criador.
Reflexo do poder de Deus no homem
Deus deu ao homem todo poder sobre as coisas criadas (céu, terra e mar). Através da ciência, a tecnologia, podemos ver o poder dominante do homem. O homem com esse poder e sabedoria, deu nome a todos os seres viventes da terra. Era um conhecimento intuitivo. O homem era perfeito em todos os aspectos: físico, moral e espiritual.
Deus nos criou diferente dos animais. Deus decidiu transbordar do seu ser na criação através do homem e da mulher. Esse é o significado de sermos criados a imagem de Deus. Possuímos qualidades especiais que fluem de Deus. Somos seres racionais. Temos sabedoria e senso de justiça. Somos criativos como o criador, capazes de inventar e fazer algo novo. Somos a parte da criação com maior potencial para glorificar o Deus criador, pois compartilhamos de características semelhantes as dEle. Homens e mulheres possuem esse privilégio de representar alguns atributos de Deus aqui na terra. Todos somos importantes da mesma maneira para Deus. Mesmo de diferentes jeitos e com diferentes personalidades, homens e mulheres tem o mesmo potencial para refletir a glória de Deus, mas isso não significa que foram criados para exercerem os mesmos papéis.
"Por que existem duas narrativas diferentes sobre a Criação em Gênesis capítulos 1-2?"
Gênesis 1:1 diz: “No princípio criou Deus os céus e a terra…”. Depois, em Gênesis 2:4, aparenta ser o caso que uma história diferente sobre a Criação começa. A idéia errada sobre a existência de duas narrativas sobre a Criação é bastante comum. No entanto, vamos ver que essas passagens descrevem o mesmo evento da Criação. Elas não discordam sobre em qual ordem as coisas foram criadas, portanto, não se contradizem. De acordo com a opinião errada, Gênesis 1 afirma que Deus criou a terra, então a vegetação, então os animais, então o homem; enquanto Gênesis 2 afirma que Deus criou a terra, então o homem, então as plantas, então os animais. Na verdade, enquanto Gênesis 1 descreve os “Seis Dias da Criação” (e um sétimo dia para descanso), Gênesis 2 descreve apenas um dia da semana de Criação – o sexto dia – e não há nenhuma contradição
Então, formou o SENHOR Deus ao homem do pó da terra e lhe soprou nas narinas o fôlego de vida, e o homem passou a ser alma vivente (v.7). Aqui, ao apresentar a linhagem humana dos céus e da terra na era quando foram criados, o autor retrocede na sequência cronológica ao sexto dia, quando Deus criou o homem, um lugar apropriado para começar. Podemos encontrar essa ferramenta literária – quer dizer, retroceder na sequência cronológica para entrar em detalhes – em outros lugares da Bíblia também. Considere 1 Reis 6-7. No capítulo seis lemos sobre a construção do tempo de Salomão. A construção é terminada com o último versículo do capítulo, versículo 38: “E, no ano undécimo, no mês de bul, que é o oitavo, se acabou esta casa com todas as suas dependências, tal como devia ser. Levou Salomão sete anos para edificá-la”. Então, no primeiro versículo do próximo capítulo, o autor segue a descrever a construção do templo de Salomão: “Edificou Salomão os seus palácios, levando treze anos para os concluir”. No versículo 12, o autor termina com o palácio. Então, no versículo 13 do capítulo 7, ele volta ao início da construção do templo, com isso voltando em sua sequência de tempo, a qual ele tinha completado no capítulo 6, antes mesmo de descrever a construção do palácio no capítulo 7.
Dessa mesma forma, o autor de Gênesis apresenta a criação do homem no sexto dia no primeiro capítulo porque o homem é o ponto principal da história da Criação. Então, no segundo capítulo, o autor retorna ao sexto dia para entrar em mais detalhes sobre a narrativa que começa em 2:4 (e que dura até 5:1, onde a próxima narrativa começa).
CRIADO POR DEUS
A DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA. Por ter sido criado à imagem de Deus, o ser humano tem a dignidade de Pessoa. Não é tão somente alguma coisa, mas alguém. O homem é a única criatura da terra à qual Deus amou por si mesma. Só ele está chamado a participar, pelo conhecimento e pelo amor, na vida de Deus. Para este fim foi criado e esta é a razão fundamental de sua dignidade.
O HOMEM É UM SER INTELIGENTE. Os animais não pensam, mas o homem pode pensar e expressar seu pensamento com palavras. Sabe calcular, contar, medir etc..; fabrica motores, descobre a eletricidade. Distingue-se dos demais seres por sua razão ou inteligência, que é um reflexo da inteligência de Deus. Os animais louvam a Deus sem o saber; o homem o faz sabendo…
O HOMEM É UM SER LIVRE. Os animais se governam por instintos e não podem agir de outra maneira; as plantas regem-se por leis as quais obedecem cegamente. O homem pode escolher; pode fazer uma coisa ou outra; pode fazer o bem ou o mal, pode cumprir ou não as leis que o Senhor lhe deu. Deus lhe concedeu a faculdade de escolher livremente. Deus quis o homem livre.
O HOMEM É REI E SENHOR DO MUNDO. Deus entregou o mundo ao homem para que o submetesse e transformasse. O homem pode domesticar os animais selvagens, desviar os rios, fazer saltar as pedras, cortar as árvores, etc.. Deus o quis assim. Sendo Deus o Dono e o Senhor de tudo, porque tudo criou e tudo lhe pertence, colocou tudo nas mãos do homem, para que este seja senhor e domine a terra. Nisto também se parece o homem com Deus, que lhe fez participar do dom de poder dominar sobre os animais, as plantas…, todo o mundo.
Deus criou HOMEM e MULHER e os dotou de órgãos específicos e especialmente destinados à reprodução da espécie, chamados órgãos sexuais ou genitais. “Assim Deus criou o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou. MACHO e FÊMEA os criou” (Gênesis 1.27).
Homem e mulher possuem genitália apropriada à reprodução. Notem que Deus não criou meio termo, não criou um ser humano que em determinado momento pudesse assumir funções incompatíveis com a natureza do seu ser. Deus não criou um homem com possibilidades sexuais de desempenhar o papel da mulher no ato sexual, e vice-versa. Ocorre que a natureza pecaminosa em função da queda no Éden coloca o homem em rebeldia contra Deus. Pela influência do diabo, o homem continua se rebelando contra o Criador e Sua palavra. Daí as perversões na área sexual.
O Senhor Deus disse: "Não é bom que o homem esteja só. Vou dar-lhe uma auxiliar que lhe seja adequada." (Gn 2,18)
Então, o Senhor Deus mandou ao homem um profundo sono; e enquanto ele dormia, tomou-lhe uma costela e fechou com carne o seu lugar. E da costela que tinha tomado do homem, o Senhor Deus fez uma mulher, e levou-a para junto do homem. "Eis aqui agora - disse o homem - o osso de meus ossos e a carne da minha carne; ela se chamará mulher, porque foi tomada do homem." Por isso, o homem deixa o seu pai e sua mãe para se unir à sua mulher; e já não são mais que uma só carne. (Gn 2, 21-24)
Homem foi feito pra ser homem. Mulher foi feita pra ser mulher. São seres diferentes, agem diferentes, têm funções diferentes.
A função da mulher é ser uma auxiliar adequada do homem. E o homem deve servir a Deus, estar de acordo com a vontade de Deus. A mulher deve auxiliar o marido, e claro, o marido deve respeito à sua esposa. “Vós, maridos, amai vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela, Para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela palavra” (Efésios 5:25-26). “Vós, mulheres, sujeitai-vos a vossos maridos, como ao Senhor; Porque o marido é a cabeça da mulher, como também Cristo é a cabeça da igreja, sendo ele próprio o salvador do corpo. De sorte que, assim como a igreja está sujeita a Cristo, assim também as mulheres sejam em tudo sujeitas a seus maridos” (Efésios 5:22-24).
E também está na Bíblia: “Assim devem os maridos amar as suas próprias mulheres, como a seus próprios corpos. Quem ama a sua mulher, ama-se a si mesmo. Porque nunca ninguém odiou a sua própria carne; antes a alimenta e sustenta, como também o Senhor à igreja” (Efésios 5:28-29). “Assim também vós, cada um em particular, ame a sua própria mulher como a si mesmo, e a mulher reverencie o marido” (Efésios 5:33). “Vós, mulheres, estai sujeitas a vossos próprios maridos, como convém no Senhor. Vós, maridos, amai a vossas mulheres, e não vos irriteis contra elas” (Colossenses 3:18-19. Sempre “ele” com “ela”, o marido e a esposa, o homem e a mulher. Não há uma terceira via.
IDEOLOGIA DE GENERO
Para os defensores desta bizarra ideologia, homem e mulher não se diferem em questões naturais e biológicas, apenas em um conceito cultural e social. Esta premissa não apenas promove o fim da construção Divina da família (pai e mãe), como também influencia toda e qualquer prática sexual, já que não existiria distinção social de homens e mulheres. No Brasil, a discussão de conservadores x defensores da Ideologia de Gênero vem criando atritos entre civis e líderes políticos.
A veracidade das Escrituras
O verso bíblico usado na apresentação deste texto é uma afirmativa Divina para estabelecer termos eternos e proteger o ser humano da influência diabólica que visa enfraquecer e aniquilar o projeto mais perfeito estabelecido pelo Senhor para os que vivem na terra: ‘a família’. A Ideologia do Gênero anula a figura do homem e a figura da mulher, negando-lhes as funções sociais que cada um tem: ele o líder e ela o ser mais frágil que precisa ser cuidada e ao mesmo tempo, cumpre a função de auxiliadora. Além disso, segundo a bandeira defendida pela Ideologia do Gênero, qualquer prática sexual seria considerada aceitável, até mesmo a pedofilia e o incesto. Por isso, não existe outra forma de proteger a raça humana de sua degradação além de usar a fórmula feita pelo próprio Criador: “homem e mulher os criou”. Dois seres da mesma espécie diferentes em sua formação biológica, cognitiva e social, porém igualmente amados pelo Todo Poderoso que os desenhou com Suas Próprias Mãos.////
Pr. Dr. Adaylton Conceição de Almeida (Th.B.;Th.M.Th.D.;D.Hu.)


Blog: www.adayltonalm.spaceblog.com.br
Facebook: Adayl Manancial
Email: adayl.alm@hotmail.com
(O Pr. Dr. Adaylton de Almeida Conceição foi Missionário no Amazonas e por mais de 20 anos trabalhou na Argentina e Uruguai, é Bacharel, Mestre e Doutor em Teologia, Escritor, Professor Universitário, Psicanalista e Pós Graduado em Ciências Políticas; Doutor em Psicologia e em Humanidade, Diretor da Faculdade Teológica Manancial e Professor do Seminário Teológico Kerigma).

BIBLIOGRAFIA
Adaylton de Almeida Conceição – Dispensações (Períodos Bíblicos) – 1994.
Airton Evangelista da Costa – Deus criou macho e fêmea
Pedro Pamplona – Homem e mulher como Deus criou!

Diego Schiestl – Uma janela sobre o mundo bíblico

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço e será um prazer receber seu comentário que depois de aprovado será publicado.