terça-feira, 15 de setembro de 2015

EXORTAÇÕES GERAIS

Paulo escreveu a Tito uma carta para instruí-lo e animar em seus deveres. A carta é breve, com apenas três capítulos, mas reúne grande quantidade de instruções abrangendo doutrina, moral e disciplina. Martinho Lutero ao se expressar sobre essa carta disse que ela “é a quintessência da doutrina cristã, composta de tal maneira que contém todo o necessário para o conhecimento e a vida cristã.” (quintessência significa a quinta-essência, isto é, o essencial, o mais puro, o melhor ou o principal de algo (Houaiss, 2004)
O objetivo da escrita de Paulo a Tito, como indicado em 1:5, era para lhe dar instruções práticas para colocar em ordem as coisas restantes inacabadas da igreja na ilha de Creta. Por esta razão, pode parecer surpreendente verificar tanto ensino teológico em uma carta tão breve. Muitos dos principais termos teológicos são encontrados dentro desta curta epístola, termos como eleição (1:1), a salvação (2:11), a fé e a crença (1:1, 2:2, 3:8), a graça de Deus (2:11, 3:7), resgate (2:14), regeneração (3:5), e justificativa (3:7).
ONDE TITO ESTAVA QUANDO RECEBEU ESTA CARTA?
Tito estava na ilha de Creta. A ilha de Creta, de 260 quilômetros de comprimento,além de ser conhecida na antiguidade, foi também mencionada no Novo Testamento bem como no Antigo Testamento como terra dos filisteus, de nome Caftor (Dt 2.23; Jr 4.7; Am 9.7). Creta situava-se em um ponto de cruzamento entre a Ásia, a África e a Europa. A palavra “sincretismo” vem dos cretenses. Em Creta, cada uma das numerosas cidades queria ser a mais autônoma possível em relação às demais. Somente quando estava em jogo a defesa contra um inimigo comum, os cretenses, que preferiam a independência, se uniam, tornando-se assim syn-cretenses (syn-cretismo). Nessa ilha confluía toda sorte de cultos, religiões, filosofias e linhas de pensamento.
William Barclay diz que nessa época a igreja era uma ilha de cristianismo cercada por um mar de paganismo. As mais perigosas heresias a ameaçavam por todos os lados. As pessoas que a formavam estavam a um passo de sua origem e antecedentes pagãos. Como o evangelho é para todos os povos, judeus e gregos, bárbaros e estudiosos, Paulo, deixou ali Tito, seu filho na fé, companheiro e cooperador para colocar em ordem as coisas restantes e nomear presbíteros nas igrejas.
Van Oosterzee acentua o fato de que a moralidade dos cretenses estava longe do que deveria ser (1.12), e, temendo que esses novos convertidos retrocedessem aos seus antigos vícios, Paulo sentiu a necessidade imperativa de orientar Tito sobre como conduzir-se no meio desse povo, especialmente no estabelecimento da ordem na igreja, a fim de que os falsos mestres não a tomassem de assalto.
QUAIS OS TEMAS QUE PREOCUPAM O APÓSTOLO PAULO NESTA CARTA?
O capitulo 2 de Tito, não só enfatiza o poder do ensino puro, mas também o fato de que este pode ser usado para ajudar às pessoas de todas as idades.
Paulo aborda a conduta e as responsabilidades dos cristãos nas bases de idade, sexo e emprego. Primeiro, ele descreve o papel dos mais velhos, e então das mais velhas (2:2-3). Ele esmiúça as responsabilidades das mulheres mais jovens observando que as mulheres mais velhas deveriam ensiná-las (2:4-5). A seguir, ele passa aos moços em geral no versículo seis e a Tito especialmente no versículo sete. Finalmente, ele conclui esta parte descrevendo a conduta apropriada dos servos (2:9-10).
Paulo dá orientações claras para os líderes e para os liderados.
As prescrições apostólicas contemplam os idosos, os recém-casados, os jovens e os servos. Não é suficiente ter doutrina sã, é preciso também ter vida santa. A doutrina sempre deve converter-se em vida. Quanto mais conhecemos a verdade, tanto mais deveríamos viver em santidade. Diferentemente dos gnósticos, o conhecimento da verdade não nos conduz à soberba, mas à humildade.
O CUIDADO DE PAULO COM A SÃ DOUTRINA – 2.1
O ensino da sã doutrina (2.1): “Tu, porém, fala o que convém à sã doutrina”. Como em 1 Timóteo, em Tito também Paulo mostra uma grande preocupação na defesa da sã doutrina (1.9,13; 2.1-2).
A igreja não deveria ficar apenas na defensiva, combatendo os falsos mestres, mas deveria, sobretudo engajar-se no ensino da sã doutrina. Esta palavra “sã” é um termo médico e indica a doutrina que está livre de corrupção e enfermidade. É evidente que a falsa doutrina e o falso ensino ameaçavam a igreja cretense.
Paulo agora se volta para os tipos de coisas que Tito, em contraste com os falsos mestres, deveria ensinar e conclui com uma meditação sobre a graça de Deus.
Primeiramente ele alerta Tito a proceder corretamente conforme seu entendimento adquirido da correta doutrina que ele mesmo havia aprendido com o apóstolo e instrui para que ele refute o falso ensino que já parece corromper as igrejas de Creta, ao mesmo tempo em que confere autoridade a Tito perante a igreja. 

Ao que parece o falso ensino que a igreja de Creta parece estar sendo corrompida tem semelhança ou é igual ao falso ensino disseminado na igreja de Éfeso. 
Tudo indica que tais ensinos parecem vir de uma forma ainda primitiva do gnosticismo judaico, que inflamava a igreja e corrompia a sã doutrina. Paulo preocupava-se em que essa doutrina herética agravasse ou se desenvolvesse ainda mais, pondo o cristianismo em descrédito para os fieis e para a população o que dificultaria muito a propagação e a sobrevivência do cristianismo naquela região. 

Um motivo forte para se comportarem de acordo com a sã doutrina era evitar qualquer ocasião para os incrédulos acusarem os discípulos de impiedade (2:5, 8). Em vez de fazerem com que a palavra de Deus fosse difamada pela conduta pecaminosa, os cristãos poderiam “adornar” a doutrina de Cristo através de sua obediência (2:10).
A Soteriología presente nestas epístola.
De todas as doutrinas bíblicas, por algum motivo desconhecido, Paulo parece tratar da doutrina da salvação mais profundamente na sua Epístola a Tito. O objetivo universal da expiação de Cristo é indicado em 2:11, onde Paulo escreve sobre “a graça de Deus que traz salvação a todos os homens.” De acordo com os fatos de que Deus não quer que ninguém pereça (1 Pedro 3:19) e que o inferno foi preparado para o diabo e seus anjos apenas (Mt 24:31), Paulo enfatiza o alcance universal da expiação de Cristo. O agente de salvação, de acordo com as outras Epístolas pastorais, é mencionado como sendo “Deus, nosso Salvador” três vezes (1:3, 2:10, 3:4) e “Jesus Cristo, nosso Salvador” duas vezes (2:13; 3:6). A Trindade inteira, e especialmente a segunda Pessoa da Santíssima Trindade, foram e estão diretamente envolvidas na salvação da humanidade, de acordo com Paulo.
UMA PALAVRA PASTORAL À MELHOR IDADE: (2:3-5)
Deus sempre contou com as pessoas adultas, de maior idade para o exercício da liderança (veja Números 11.16-17; Jeremias 19.1-12). Paulo escrevendo a Tito, demandas que os homens de mais idade fossem ‘sóbrios’ (2.2), do grego: hefalios -“sóbrio”. … [especialmente] no que concerne ao vinho “… de mente sóbria, vigilante”.
Este termo descreve de forma especial a classe de homem que tem cuidado do que aceita e do que assimila em sua vida e em suas relações.

Deve ser ‘prudente’. Este comportamento de domínio próprio é inestimável para que ele tenha que lidar com fraquezas e desvios de outros. Deve ser “são na fé”. Aqui Paulo utiliza o mesmo adjetivo com o que qualificou a doutrina no versículo 1 (do grego: hugiaino), equivale a ‘estar saudável, bem...estar sadio, livre de erro... firme, puro, reto em relação à doutrina e à vida cristã, desta vez, associando-o com a própria fé da pessoa. Visto que a fé é a vitória mediante a qual vencemos o mundo (l João 5.4), ela resultava muito importante para ajudar a Tito a fazer os cretenses voltar de seus caminhos mundanos (Veja Romanos 4.20; 1 Coríntios 16.13).

Deve ser ‘sãos na fé, no amor e na paciência’. Sãos no amor (do grego: agape). Esta palavra abarca múltiplas facetas da vida de modo favorável. O amor é sem dúvida, uma demonstração de preocupação pelo bem estar dos demais. Deve ser ‘são na paciência’. Esta é a classe de homem firme que servirá de apoio a outros, quando os mesmos sentirem dificuldades na sua busca pela maturidade.

O PERFIL DA MULHER CRISTÃ

"…pois toda a cidade do meu povo sabe que és mulher virtuosa" ( Rute 3.11c ).
O Livro de Rute nos coloca face a face com um drama de família e um certo número de costumes que muito recomendam a nação israelita; podemos ver que nem tudo era idolatria, sexualismo e carnificina. Havia muita coisa boa em Israel e no meio do pecado e incredulidade, havia gente que vivia e morria por Jeová e sua religião.
Rute decidiu não abandonar Noemi, sua sogra. provavelmente já tinha adotado a Jeová como o seu Deus. Deus por sua vez não deixaria de honrar uma fé como a desta moça. Honrou-a dando-lhe um marido ideal e uma linhagem como nunca ela poderia ter em sua terra.
As santas senhoras na Igreja de Deus devem (vs 3):
Ser reverentes no viver, ou seja, ter um comportamento santo, separado para Deus.
Não caluniadoras, o que quer dizer não acusadoras. A Bíblia não foi escrita originalmente em português e sim em grego (NT). A palavra original para caluniadoras é diabolos (gr.) daí a alcunha ao maligno, príncipe das trevas. A pessoa que calunia e acusa está imitando o diabo e exercendo a função dele.

Não dadas ao muito vinho: sinal de desequilíbrio emocional e dependência. Podemos aplicar hoje a dependência emocional a outros vícios.
Respeitáveis – A palavra grega é ‘semnos’, que quer dizer venerável, honrado. A mulher que vive de uma forma tal que pode ser "venerada por seu caráter".
Um estilo de vida respeitável, reverente e digno vai fazer com que o "adversário seja envergonhado não tendo indignidade nenhuma que dizer a nosso respeito".
"Tudo o que é respeitável…, seja isso o que ocupe o vosso pensamento"( Fl. 4.8 ).
Mestras do bem: professora das boas coisas, função pedagógica, didática, educadora.
Um dos problemas mais constantes para todos nós é o controle adequado de nossa língua. "… não caluniadores ou maldizentes fofoqueiras… ( Tito 2 .3 ).
A maneira como usamos nossa língua é uma medida precisa de nossa maturidade cristã. Como cristãos temos uma força que nos ajuda a controlar a língua e temos também a responsabilidade de ajudar-nos uns aos outros a amadurecer nesta área de nossa vida.
A temperança se aplica á várias áreas da vida (modas de roupas, comidas) .Também se aplica como gasta seu dinheiro com coisas para si, família e casa. A bíblia ensina o domínio próprio e a temperança em todas as coisas. (1 Cor. 10 .23 ).
PAULO TAMBÉM SE PREOUPOU COM A ORIENTAÇÃO AOS JOVENS.
Exorta semelhantemente os jovens a que sejam moderados” (2.6). A lista de instruções para os jovens também é exigente. Ensinar a jovens tem sua peculiaridade e suas dificuldades inerentes. Cada faixa etária têm suas características, assim como os jovens. Todas as ferramentas que facilitem o processo de ensino-apredizagem são bem vindas. Contudo, existem princípios na Palavra de Deus que são fundamentos para o ministério de ensino.
Falando-se em ministério de ensino, o apóstolo Paulo tem muito a nos orientar. Compar-tilhemos suas orientações ao jovem obreiro Tito.

Erradamente muitos pensam que o termo exortar significa uma ríspida bronca, de forma bem ignorante. Até por que, dizem, os jovens são irresponsáveis. Este termo no Novo Testamento em nada é similar ao nosso falho entendimento de exortar. Exortar (grego: parakaleo) significa literalmente “chamar para perto”. Tem o sentido de auxiliar, ajudar, consolar e encorajar. Para compreendermos a dimensão da importância deste termo ele é similar à palavra usada para designar o ministério do Espírito Santo: “Consolador” (parakletos – Jo 14.16, 26; 15.26; 16.7). Quando estamos “ao lado” com o objetivo de consolar, exercemos, em certo grau, o ministério do Consolador. A exortação, conforme esse parâmetro bíblico equivale à edificação e não a acusação. Por isso, Paulo alista o exortar bíblico como um dom espiritual. (Rm 12.8) Exortar os jovens significa colocar-se ao lado deles encorajando-os.

Somos a minoria.
Somos a minoria em uma cultura que largamente não ama a Jesus Cristo.
A grande pergunta é: como nos aproximarmos/vivermos em uma cultura que não ama a Jesus nem seus ensinamentos de tal forma que possamos não ser contaminados por esta cultura, e ao mesmo tempo sermos impactantes para esta cultura?
O próprio Tito era um jovem, e certamente por esse motivo Paulo fez uso da segunda pessoa do singular “Em tudo, te dá (tu) por exemplo”.
Ter um compromisso sério com Deus – Isto é fundamental para o jovem cristão de hoje.
O compromisso com Deus é demonstrado através: Da sua fé, da sua confiança no Senhor e do seu modo de viver, da leitura constante da Bíblia, de uma vida de oração, do prazer pelos momentos de culto, do bom testemunho diante de Deus, da Igreja e do mundo, da obediência a Deus e à sua palavra, a fidelidade às doutrinas bíblicas, do respeito e obediência aos pais e superiores, “no Senhor” (Ef 6.1; 1Ts 5.12-13).
Tudo isso ilustra o alcance do compromisso que o jovem, deve ter com Deus. Ele deve assumir e viver este compromisso com alegria, coragem, determinação e ousadia.
É verdade que as barreiras são muitas, mas a Palavra diz: “maior é aquele que está em vós do que aquele que está no mundo” (1Jo 4.4).

TITO DEVERIA SER O MODELO DIANTE DOS FIÉIS

Em tudo, te dá por exemplo, de boas obras; na doutrina, mostra incorrupção, gravi-dade, sinceridade, linguagem sã e irrepreensível, para que o adversário se envergonhe não tendo nenhum mal que dizer de nós”.

A palavra “te dá por exemplo’ é importante. Um obreiro deve andar no meio das pessoas , e deve ter algo que dizer-lhes e mostrar-lhe. Há uma grande diferença entre dizer algo e ter algo que dizer. Paulo disse que era tempo de “mostrar e dizer”.

A palavra ‘padrão’ no grego é ‘tipos’, que literalmente significa modelo, tipo e exemplo. Ser padrão naturalmente tem que ver com uma conduta irrepreensível no que tange â santidade, mas também no que diz respeito às conversações. Aqui Paulo tem uma abordagem essencialmente pastoral. Tito não deveria envolver-se em questões polêmicas, pois isso certamente comprometeria o seu testemunho. O que dá a entender que o obreiro deve esquivar-se de toda e qualquer discussão insensata.
Paulo menciona a importância das boas obras na vida do obreiro, como testemunho da obra maior que Deus fez em sua vida.
É importante ressaltar que o crente não é salvo por causa das boas obras, mas que pratica boas obras por ser salvo. Aqueles que creem em Deus devem aplicar-se às boas obras, pois essas coisas são boas e proveitosas aos homens (3:8).///////
Pr. Dr. Adaylton Conceição de Almeida (Th.B.;Th.M.Th.D.;D.Hu.)
Blog: www.adayltonalm.spaceblog.com.br
Facebook: Adayl Manancial
Email: adayl.alm@hotmail.com
(O Pr. Adaylton de Almeida Conceição é Bacharel, Mestre e Doutor em Teologia, Escritor, Professor Universitário, Psicanalista e Pós Graduado em Ciências Políticas; Doutor em Psicologia e em Humanidade, Diretor da Faculdade Teológica Manancial, e Professor do Seminário Teológico Kerigma-Santos/SP).
BIBLIOGRAFIA
Markus Eberhart - O poder renovador do descanso
Marco Dubeux – Epístola a Tito
Celson Coêlho – Ensinando aos jovens


Wesley L. Gerig – Teologia do Livro de Tito

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço e será um prazer receber seu comentário que depois de aprovado será publicado.