quarta-feira, 23 de setembro de 2015

A MANIFESTAÇÃO DA GRAÇA DA SALVAÇÃO

Pr. Adaylton de Almeida Conceição
"Porquanto a graça de Deus se manifestou salvadora a todos os homens, educando-nos para que, renegadas a impiedade e as paixões mundanas, vivamos, no presente século, sensata, justa e piedosamente, aguardando a bendita esperança e a manifestação da glória do nosso grande Deus e Salvador Cristo Jesus, o qual a si mesmo se deu por nós, a fim de remir-nos de toda iniquidade e purificar, para si mesmo, um povo exclusivamente seu, zeloso de boas obras". (Tito 2.11-14)

INTRODUÇÃO: Para entendermos este texto necessário é entendermos à luz das Escrituras três palavras inseridas no versículo 11: Graça, Manifestação, Salvação.
Graça é favor imerecido. Favor que o homem não merece mas que Deus concede a ele livremente, por sua soberania. Graça tem a ver com misericórdia, ou seja, Deus viu a situação do homem, miserável, no entanto teve por ele misericórdia (miséria – cardia/coração – misericórdia é quando Deus põe o seu coração na nossa miséria). O homem merecia algo (condenação), mas Deus por misericórdia concede a ele um favor que ele não merece. Através da graça de Deus na vida do homem, ele outrora morto, é salvo, justificado e habilitado a viver bem e a encontra suficiência, regozijo e satisfação em sua vida.

Manifestação: “A Graça se manifestou”. Manifestar é aparecer repentinamente, essa palavra tem a ver com algo que aparece e não há como impedir. Ela tem a ver com a intervenção divina para socorrer. É semelhante ao sol que aparece e começa a brilhar cada vez mais forte, e não há como impedir os seus raios nem sequer fazê-lo vir ou ir embora ou nem mesmo impedi-lo de brilhar e lançar fora as trevas.

Salvação: “Manifestou-se salvadora”. Salvação segundo o contexto bíblico é ser salvo de um perigo, é um livramento tanto do corpo como da alma. Salvação é um estado de perdão e segurança tanto no presente, como no futuro.
O estudo desta loção visa a melhor compreensão da graça de Deus, sua manifestação, sua abrangência, e o viver daqueles que por ela foram alcançados.

Maravilhosa graça
E chamou o Senhor Deus ao homem e lhe perguntou: Onde estás? Ele respondeu: Ouvi a tua voz no jardim, e, porque estava nu, tive medo, e me escondi. (Gênesis 3:9-10).

De Gênesis a Apocalipse, a graça de Deus é o principal assunto. Em cada relato, crônica, fato histórico, salmo, poesia, profecia, carta, igreja ou pessoa, observa-se a manifestação da graça de Deus para resolver o problema do pecado. A frase que resume toda a Bíblia está em seu último versículo: A graça do Senhor Jesus seja com todos. Apocalipse 22:21.
A história da humanidade é uma história de fugas e medos. Adão e Eva desfrutavam da mais perfeita comunhão com o Pai, antes da queda. Até então, o pecado não fazia parte de suas vidas. Todavia, mesmo assim, preferiram não ouvir a Palavra de Deus, escolhendo satisfazer o próprio desejo, o qual o diabo instigou naquela malsinada e sagaz conversa. Quando a mulher viu que o fruto da árvore era bom para comer e agradável aos olhos, e também desejável para ganhar sabedoria, ela comeu e deu a seu marido, e ele também comeu e o pecado entrou no coração do homem. Rejeitaram, pois, a ordem, o desejo e a vontade de Deus.

Entendendo a graça de Deus
A graça comumente é conhecida como o favor imerecido de Deus ao homem pecador.
A teologia divide a graça em comum e especial. A graça comum é aquela que é comunicada a todos os homens, dando-lhes bênçãos sem medida. É por meio dela que Deus controla o mundo para que este não sucumba. A graça especial é soteriológica, pois é por ela que o homem é salvo. É a comunicação da salvação de Deus ao pecador.
A reforma protestante do século XVI afirmou que é tudo pela graça. O termo “sola gratia” define isso, pois, tudo que o homem possui, e, em especial, a salvação, é pela graça somente.

A GRAÇA É UM ATRIBUTO DO SER DE DEUS.
"E o Deus de toda a graça, que em Cristo Jesus vos chamou à sua eterna glória, depois de haverdes padecido um pouco, ele mesmo vos aperfeiçoará, confirmará, fortificará e fortalecerá”. I Pe 5. 10.
Deus tem em seu ser toda graça. É pleno de graça e favor. A graça é um atributo do ser de Deus. Isto quer dizer que Deus é gracioso em essência e ação. Ele a revela como qualidade de sua essência.
A graça é eterna como Deus é eterno. Paulo escrevendo ao jovem Timóteo diz que: “Que nos salvou, e chamou com uma santa vocação; não segundo as nossas obras, mas segundo o seu próprio propósito e graça que nos foi dada em Cristo Jesus antes dos tempos dos séculos;”. Tm 1. 9. A graça já existia Nele, na eternidade, antes de ser exercida aos homens. Ou seja, Deus é graça em si mesmo, mesmo se não a tivesse comunicado na criação de todas as coisas. A graça não depende de sua comunicação para ser graça, ela é simplesmente graça porque faz parte dos atributos perfeitos de Deus.
O homem é pecador. Ele é concebido em pecado, tem a natureza pecaminosa, vive pecando e é escravo da sua maldade. Nasce morto, e, portanto não tem condição de voltar-se para o seu Criador. Seu coração é insensível, por isso, não ama o Senhor Deus. Seus ouvidos estão impedidos para ouvir a voz de Deus. Por conta disso, o homem não pode retornar-se para Deus nem salvar a si mesmo. A salvação do homem, portanto é uma manifestação da graça salvadora de Deus. Ele é salvo e educado pela graça. Assim como o homem é salvo pela graça, da mesma forma podemos dizer que a graça o educa. Ninguém pode salvar a si mesmo nem mudar o seu próprio coração. Deus, porém, salva o ímpio e o faz santo. O apóstolo Paulo ensina que a manifestação da graça tem dois propósitos. A graça tanto salva quanto educa.

A primeira manifestação da graça de Deus...
É a Salvação – Efésios 2.4-5 – Muitos ficam intrigados, como pode uma pessoa má receber a salvação. Pecado está ligado a punição. Mas a Bíblia diz que onde abundou o pecado superabundou à graça de Deus. Romanos 5.20 - Sobreveio a lei para que avultasse a ofensa; mas onde abundou o pecado, superabundou a graça, A mente humana não pode entender isso. Onde houve mais pecado mais graça da parte de Deus foi dispensada. 1.2 Uma pessoa deve R$100.000,00 e outra deve R$10,00. Você perdoa as duas. Qual delas será mais agradecida? Essa é a matemática divina. Lucas 18.9-14. O Fariseu e o Publicano, qual dos dois você escolheria? Não são as nossas obras que nos recomendam a Deus. É a sua graça! Você não está aqui pelo que você é. Mas pelo que Deus é na sua vida! Isso é Graça! Você precisa entender isso. Não há nada que você possa fazer para que Deus lhe ama mais e nada que você possa deixar de fazer para que Deus lhe ame menos. Que graça maravilhosa de Deus! Onde nós pecamos, mas o castigo foi colocado sobre Jesus.
O pecado entrou no mundo e contaminou a mente, a vontade e as emoções do ser humano. Deus interveio para fazer o que o homem não podia, ou seja, expiar seus próprios pecados. Essa intervenção divina é definida como graça. Charis é a palavra grega para graça e significa disposição favorável, especialmente quanto ao amor exercido para com os inferiores, os dependentes ou os indignos. Graça é Deus dando e fazendo tudo a quem nada merece e nem tem condição de merecer. A graça revela a poderosa ação de Deus impulsionada por Seu sempiterno e incondicional amor.
Vemos, após a queda, a maior manifestação da graça de Deus: Fez o Senhor Deus vestimenta de peles para Adão e sua mulher e os vestiu. Gênesis 2:21. A Palavra de Deus é clara ao dizer: Sem derramamento de sangue, não há remissão de pecados. Hebreus 9:22b. Por isso, Deus vestiu o homem com o primeiro derramamento de sangue, de forma simbólica, apontando para o Cordeiro que haveria de vir. Um cordeiro inocente é sacrificado para cobrir o pecado de nossos pais. Graça é a palavra mais linda do Novo Testamento. É uma palavra que só o Evangelho possui. Já a religião, por sua vez, desconhece essa palavra, mas conhece bem algumas outras: esforço, faça ou não faça, pode ou não pode.

DE ONDE VEM A GRAÇA?
"Porquanto a graça de Deus se manifestou salvadora a todos os homens" (Tt 2.11). Ela brota do insondável amor de Deus para conosco, e é personificada em Jesus Cristo, que nasceu em Belém. "Porque a lei foi dada por intermédio de Moisés; a graça e a verdade vieram por meio de Jesus Cristo" (Jo 1.17). Ela encontra seu ponto culminante na morte sacrifical de Jesus no Calvário e é válida como dádiva de misericórdia a todos os homens que já viveram, vivem e ainda viverão. Todo o Antigo Testamento, a Torá, os Salmos e os Profetas, apontam para Aquele que traz a graça, que sacrificou Sua vida para expiar os nossos pecados. Não é possível separar a graça da cruz. Cruz e graça formam uma unidade inseparável. Um Evangelho sem cruz não é Evangelho, pois o preço do nosso perdão, que Jesus pagou no Calvário com o Seu sangue, é alto demais. Mas não existe uma anistia geral. A sedutora doutrina da salvação final de todos, que vem muito ao encontro do pensamento humanista, contradiz o testemunho global da Sagrada Escritura, e por isso é uma mentira de Satanás. Não é possível separar a graça da justiça e da santidade de Deus.

A GRAÇA MANIFESTADA EM JESUS CRISTO.
“E o verbo se fez carne, e habitou entre vós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade”. Jo 1.14
O Verbo eterno de Deus se encarnou e revelou plena e perfeitamente a graça de Deus. Um dos propósitos do Evangelho de João era combater a heresia conhecida gnosticismo, que afirmava que a matéria era má, e Deus, neste aspecto, não poderia tocar a matéria, não poderia de maneira alguma ter criado o mundo, e muito menos se tornado prisioneiro em um corpo. Para os gnósticos, quem criou o mundo foi uma das emanações de Deus, e não o próprio Deus. Neste sentido, João escreve que o divino Filho de Deus, que também era Deus, encarnou-se e habitou entre os homens, e quem O viu, contemplou a Sua glória como a do unigênito do Pai cheio de graça e de verdade.
Daí ser Jesus a encarnação, manifestação e personificação plena da graça divina.

A GRAÇA QUE SE MANIFESTA EM OBRA
Jesus Cristo é a personificação da graça; Ele encarna a graça e a verdade (Jo 1.17; 14.6). Ele é a causa, o conteúdo e a manifestação da graça de Deus; falar de Cristo é falar da graça. Os profetas do Antigo Testamento falavam de uma salvação futura que ocorreria pela graça (1Pe 1.10).1 Jesus Cristo, a graça de Deus encarnada, veio na plenitude ,do tempo (Gl 4.4),2 na plenitude da graça (2Tm 1.93/Jo 1.16; 1Co 1.4; Ef 1.6,7; 2Tm 2.1). A auto-entrega de Jesus pelos pecados dos pecadores eleitos foi um dom da graça que fora profetizada (1Pe 1.10-11/Rm 5.15; Hb 2.9). A pobreza assumida por Cristo revela a riqueza da Sua graça (2Co 8.9);4 por isso, Ele, somente Ele nos dá acesso à graça (Hb 4.14-16), convidando-nos: “Vinde a mim” (Mt 11.28). Por isso, como vimos, Jesus Cristo se encarnou a fim de que Deus pudesse ser justo, e ao mesmo tempo o justificador daqueles que confiam em Jesus para salvação (Rm 3.26).5 Ele se tornou para os que creem em justiça, santificação e redenção (1Co 1.30).
Somente Jesus Cristo, por meio da Sua justiça, obtida na Sua encarnação, morte e ressurreição, poderia satisfazer as exigências de Deus para a nossa salvação. Portanto, “Quando Deus justifica pecadores à base da obediência e da morte de Cristo, está agindo com toda equidade. Dessa maneira, longe de comprometer Sua retidão judicial, esse método de justificação em realidade a exibe”.

O ASPECTO FUTURO DA GRAÇA
"Aguardando a bendita esperança e a manifestação da glória do nosso grande Deus e Salvador Cristo Jesus".
Além da graça Ter sido manifesta, além da graça se manifestar atualmente, ela também se manifestará plenamente no futuro. Assim como o sol que se levanta pela manha e seus raios começam a brilhar, depois brilham mais e finalmente ao meio dia ele brilha com toda a intensidade e força, ao ponto de não podermos fitar os nossos nele, devido a intensidade dos seus raios. A graça também se manifestará plenamente no futuro. Mas como ela se manifestará? Exatamente quando Cristo voltar. “Aguardando a bendita esperança e a MANIFESTAÇÃO DA GLÓRIA”. Observe que o texto diz não da graça, mas a manifestação, ou seja, do fulgor do brilho.
Amados irmãos não vos enganeis a graça de Cristo Jesus se manifestará com toda intensidade na volta dele. Por isso a bíblia registra claramente o resultado dos acontecimentos em nossos últimos dias tais como: maremotos, inundações, pestes, fome, violência, guerras, etc...
Se não conseguimos fitar os olhos no sol quando ele brilha em toda a sua força, como poderemos no dia da sua volta contemplar a face de Jesus? Observemos Apocalipse 6:15-17 “os reis da terra, os grandes, os comandantes, os ricos, os poderosos, e todo escravo e todo livre se esconderam nas cavernas e nos penhascos dos montes, e disseram aos montes e aos rochedos: caí sobre nós, e escondei-nos da face daquele que se assenta no trono e da ira do Cordeiro, porque chegou o grande dia da ira Deles e quem pode suster-se?” Todos veremos a manifestação da glória de Cristo.
Mas o que tem a ver o aspecto futuro da graça de Deus, para que se manifestará, segundo o texto? “com o fim de remir-nos de toda iniquidade e purificar um povo exclusivamente seu” (v.14). Meu amigo e irmão a graça se manifestará porque Deus te ama por isso abriu livremente a graça salvadora Dele para que nós entendamos que podemos Ter segurança em nossa vida espiritual tanto para o passado como no presente e para o futuro.
Veja o que diz a II Pedro 1:16-19: “Porque não vos demos a conhecer o poder e a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo seguindo fábulas engenhosamente inventadas, mas nós mesmos fomos testemunhas oculares da sua majestade, pois ele recebeu, da parte de Deus Pai, honra e glória, quando pela Glória Excelsa lhe foi enviada a seguinte voz: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo. Ora, esta voz, vinda do céu, nós a ouvimos quando estávamos com ele no monte santo. Temos, assim, tanto mais confirmada a palavra profética, e fazeis bem em atendê-la, como a uma candeia que brilha em lugar tenebroso, até que o dia clareie e a estrela da alva nasça em vosso coração”. A luz que brilhou está brilhando e brilhará com toda sua extensão.

Conclusão: 1. A manifestação da graça salvadora é fruto do Deus Salvador que nos ama profundamente em Cristo. O nosso Deus nos ama não para barganhar conosco, mas porque Ele é amor (1 João 4.8). 

2. Como diz o Dr. John Piper, Deus é o Evangelho. É o evangelho antigo e não este ‘outro’ evangelho que aí está. O evangelho de Cristo é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê (Rm 1.16).

3. A manifestação do evangelho da graça de Deus revela a nossa condição vil, a ação soberana de Deus em nos buscar em Cristo e a plena segurança que temos nEle. 

4. É por causa desta graça, que temos o lindo cântico de Moisés em Apocalipse 15.3,4. O Senhor Jesus deixou bem claro o motivo da Sua vinda: Buscar e salvar o que se havia perdido (Lc 19.10). Deus é glorificado quando um homem é salvo por Sua maravilhosa graça./////////////

Pr. Dr. Adaylton Conceição de Almeida (Th.B.;Th.M.;Th.D.;D.Hu.)

Blog: www.adayltonalm.spaceblog.com.br

Facebook: Adayl Manancial

Email: adayl.alm@hotmail.com


BIBLIOGRAFIA

Pr. Manoel Meira - As Manifestações da Graça de Deus.

Pr. Cleber Montes Moreira -A Graça de Deus em Tito 2.11

Rev. Marco Aurélio de Campos Reis - A Manifestação da Graça em nós.

Burkhard Vetsch - Graça Manifestada - Para a Nossa Salvação

Flávio Santos - A Graça de Deus

Hermisten Maia Pereira da Costa - Suficiência da obra sacrificial de Cristo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço e será um prazer receber seu comentário que depois de aprovado será publicado.