domingo, 25 de janeiro de 2015

A reputação de Deus

Êxodo 20.7 - “Não tomarás em vão o nome do Senhor, o teu Deus, pois o Senhor não deixará impune quem tomar o seu nome em vão.”

O ATO DE DAR NOMES
      Um dos deveres (ou privilégios!) dos pais é dar nomes aos seus filhos. Não é uma tarefa fácil. Fazemos listas, lemos livros e revistas sobre o assunto, ouvimos sugestões, pronunciamos os nomes para ver se soam bonito, estudamos os seus significados, consideramos os possíveis apelidos, etc. É tanta coisa, a responsabilidade é tão grande, que, em alguns casos, a criança nasce e os pais ainda não decidiram sobre qual nome escolher. O fato é que, cedo ou tarde, os pais é que escolherão os nomes e sobrenomes dos filhos. O que prova que dar nome é um ato de autoridade conferida por Deus.
      Por outro lado, uma das coisas notáveis sobre Deus é que ninguém o nomeou. O nome de Deus foi escolhido e revelado por ele mesmo. Nós não dizemos a Deus quem ele é; ele é que a si mesmo a nós se revela. Somente Deus tem o direito de se auto nomear; esse é um sinal de sua autoridade soberana. O nome dele vem antes de todos os outros nomes e por isso deve ser reverenciado (Is 43.10-13).

O NOME DE DEUS
    Ao tratar do nome de Deus, o Terceiro Mandamento está defendendo a reputação do Senhor:

Êx 20. 7 | “Não tomarás em vão o nome do Senhor, teu Deus (…)”

    Diferentemente dos dois primeiros mandamentos (p. ex.: “Não terás outros deuses além de mim” – Êx 20.3), aqui Deus faz referência a si mesmo na terceira pessoa. Há uma razão especial para essa revelação mais indireta de si mesmo.
      Em vez de dizer: “Não tomarás em vão o meu nome” (1a p.), ele diz: “Não tomarás em vão o nome do Senhor, o teu Deus” (3a p.). O objetivo é chamar a atenção para o nome próprio: Yahweh – o Senhor.
     O nome de Deus tem um significado especial: “Eu Sou o que Sou” (Êx 3.14-15) descreve a auto-existência de Deus, sua autossuficiência e soberania suprema sobre todas as coisas. Esse Deus auto-existente, autossuficiente, supremo e soberano é o Salvador gracioso de Israel.
     Êx 20.1-2, 7| 1 E Deus falou todas estas palavras: 2 Eu sou o Senhor, o teu Deus, que te tirou do Egito, da terra da escravidão… 7 Não tomarás em vão o nome do Senhor, o teu Deus, pois o Senhor não deixará impune quem tomar o seu nome em vão.
     Portanto, pelo que ele é e pelo que ele fez, a sua reputação deve ser honrada em toda a terra. Deus deve ser reverenciado.

O SIGNIFICADO DO NOME
      “Yahweh”, que significa: “o Senhor”, ou “Eu Sou”, ou “Eu Sou o que Sou”, é muito mais que um nome. É revelação da identidade de Deus. Era assim que os hebreus entendiam todo o significado dos nomes.
    Para nós, por mais importante que eles sejam, os nomes se resumem a rótulos, a etiquetas, a registro. Para os hebreus, no entanto, os nomes eram inseparáveis das pessoas, pois eles expressavam a identidade delas; definiam quem elas eram; revelavam o seu caráter.
   Ao dizer seu nome, portanto, Deus não estava apenas se apresentando (“Muito prazer! Eu sou o Yahweh.”), ele estava descrevendo a essência da sua natureza, definindo o tipo de Deus que ele é e como cada criatura deveria viver diante dele. O salmista havia compreendido muito bem tudo isso ao dizer, por exemplo, o seguinte:
      Sl 8.1 | Senhor, Senhor nosso, como é majestoso o teu nome em toda a terra! Tu, cuja glória é cantada nos céus.
   Sl 20.5 | Saudaremos a tua vitória com gritos de alegria e ergueremos as nossas bandeiras em nome do nosso Deus.
    Sl 111.9 | Ele trouxe redenção ao seu povo e firmou a sua aliança para sempre. Santo e temível é o seu nome.
   Tudo o que Deus é e faz (principalmente aquilo que está relacionado à Criação e à Redenção) está, de alguma forma, revelado em seu nome, por isso que o seu nome deve ser honrado e glorificado. O Terceiro Mandamento, portanto, tem como propósito, antes de qualquer outra coisa, revelar como a reputação do Senhor é sagrada e precisa ser reverenciada.

O MAU USO DO NOME
    Feitas essas considerações, agora nós teremos melhores condições de compreender o significado e a relevância do Terceiro Mandamento.
       O que significa “tomar em vão o nome do Senhor”? De forma simples, significa fazer mau uso do seu nome. Como assim?
    Tomado por si mesmo, o adjetivo “vão” significa: “vazio”, “fútil”, “falso”, “frívolo”. A ideia, no entanto, é muito mais profunda do que simplesmente usar de qualquer forma o nome de Deus. A ideia, literalmente, é a mesma que foi expressa no Salmo 20.5, ou seja:
      Êx 20.7 | Não erguerás o nome o nome do Senhor, o teu Deus, insignificantemente.
      Ou seja: Não farás uso do nome de Deus (com palavras ou com posturas) sem que isso represente dignamente o caráter e a natureza de Deus através de sua vida ou de sua voz. Pense nas implicações!
      Exemplo: Vestir a camisa da Seleção Brasileira e perder de sete a um!
     Logo: Quem faz uso ou menção do nome do Senhor deve fazer de tal forma a revelar o seu caráter e reverberar o louvor da sua glória, abençoando todas as pessoas ao seu redor.
    Jr 4.1-2 | 1 “Se você voltar, ó Israel, volte para mim”, diz o Senhor. “Se você afastar para longe de minha vista os seus ídolos detestáveis, e não se desviar, 2 se você jurar pelo nome do Senhor com fidelidade [verdade e amor], justiça [dentro da vontade de Deus] e retidão [integridade], então as nações serão por ele abençoadas e nele se gloriarão.”
      A nação de Israel nunca foi proibida de usar o nome do Senhor, desde que não fosse tomado de forma insignificante. Dessa forma, muitos judeus ortodoxos exageraram na dose ao legislar, por exemplo, que o nome de Deus (Yahweh) fosse pronunciado apenas uma vez ao ano, pelo sumo sacerdote, ao abençoar o povo no grande Dia da Expiação.
     Deus, porém, nunca proibiu o povo de usar o seu nome ou de “jurar” pelo seu nome (confessar o seu nome) reverentemente. Tanto é que em todo o Antigo Testamento o nome sagrado de Deus (Yahweh) é usado em abundância: mais de 7 mil vezes, sendo um dos vocábulos mais usados no hebraico. O que Deus proibiu não foi o uso do seu nome (Jr 4.1-2), mas o mau uso dele, fazê-lo insignificantemente (Lv 19.12).
      Mas, por quê? Além de desonrá-lo, o mau uso do nome de Deus, de alguma forma, amaldiçoa as pessoas ao redor (Jr 4.1-2).

OS MAUS USOS DO NOME DE DEUS
      Então, de forma bem prática, como alguém pode fazer mau uso do nome de Deus? Como alguém pode “erguer insignificantemente o nome do Senhor”?
      Há um estudo nos Dez Mandamentos muito cuidadoso feito em 1996 por um teólogo holandês, chamado Jochem Douma que é bem instrutivo sobre essa questão. Examinando o Terceiro Mandamento à luz do restante do Antigo Testamento, ele chegou a uma conclusão didática e esclarecedora. Na Bíblia Hebraica há três maneiras comuns de se “tomar em vão o nome do Senhor”: (1) cultos profanos; (2) ensinos pervertidos; e (3) atitudes perversas.

1. Cultos profanos
     Os “cultos profanos” são uma forma de religiosidade que desonra a Deus, o Senhor, no sincretismo religioso e no culto sem coração.

Desonra a Deus no sincretismo religioso:
      Dt 18.10-13 | 10 Não permitam que se ache alguém entre vocês que queime em sacrifício o seu filho ou a sua filha; que pratique adivinhação, ou se dedique à magia, ou faça presságios, ou pratique feitiçaria 11 ou faça encantamentos; que seja médium, consulte os espíritos ou consulte os mortos. 12 O Senhor tem repugnância por quem pratica essas coisas, e é por causa dessas abominações que o Senhor, o seu Deus, vai expulsar aquelas nações da presença de vocês. 13 Permaneçam inculpáveis perante o Senhor, o seu Deus.

Desonra a Deus no culto sem coração:
     Is 29.13 | O Senhor diz: “Esse povo se aproxima de mim com a boca e me honra com os lábios, mas o seu coração está longe de mim. A adoração que me prestam é feita só de regras ensinadas por homens.”
     Ml 1.6-9, 14 | 6 “O filho honra seu pai, e o servo, o seu senhor. Se eu sou pai, onde está a honra que me é devida? Se eu sou senhor, onde está o temor que me devem?”, pergunta o Senhor dos Exércitos a vocês, sacerdotes. “São vocês que desprezam o meu nome! “Mas vocês perguntam: ‘De que maneira temos desprezado o teu nome? ’ 7 “Trazendo comida impura ao meu altar! “E mesmo assim ainda perguntam: ‘De que maneira te desonramos?’ “Ao dizerem que a mesa do Senhor é desprezível. 8 “Na hora de trazerem animais cegos para sacrificar, vocês não veem mal algum. Na hora de trazerem animais aleijados e doentes como oferta, também não veem mal algum. Tentem oferecê-los de presente ao governador! Será que ele se agradará de vocês? Será que os atenderá?”, pergunta o Senhor dos Exércitos. 9 “E agora, sacerdotes, tentem apaziguar Deus para que tenha compaixão de nós! Será que com esse tipo de oferta ele os atenderá?”, pergunta o Senhor dos Exércitos. (…)14 “Maldito seja o enganador que, tendo no rebanho um macho sem defeito, promete oferecê-lo e depois sacrifica para mim um animal defeituoso”, diz o Senhor dos Exércitos; “pois eu sou um grande rei, e o meu nome é temido entre as nações.
     Cultos profanos (adoração sincrética e sem coração) fazem mau uso do nome do Senhor (“erguem insignificantemente” a sua reputação), pois não revelam a verdade do seu caráter, a beleza da sua glória, nem o valor da sua honra.

2. Ensinos pervertidos
      Os “ensinos pervertidos” falam de uma forma de pregação que desonra a Deus, pois apresentam uma mensagem mentirosa em nome do Senhor.
     Jr 14.14-15 | 14 Então o Senhor me disse: “É mentira o que os profetas estão profetizando em meu nome. Eu não os enviei nem lhes dei ordem nenhuma, nem falei com eles. Eles estão profetizando para vocês falsas visões, adivinhações inúteis e ilusões de suas próprias mentes”. 15 Por isso, assim diz o Senhor: “Quanto aos profetas que estão profetizando em meu nome, embora eu não os tenha enviado, e que dizem: ‘Nem guerra nem fome alcançarão esta terra’, aqueles mesmos profetas perecerão pela guerra e pela fome.
    Ml 2.1-8 | 1 “E agora esta advertência é para vocês, ó sacerdotes. 2 Se vocês não derem ouvidos e não se dispuserem a honrar o meu nome”, diz o Senhor dos Exércitos, “lançarei maldição sobre vocês, e até amaldiçoarei as suas bênçãos. Aliás, já as amaldiçoei, porque vocês não me honram de coração. 3 “Por causa de vocês eu destruirei a sua descendência; esfregarei na cara de vocês os excrementos dos animais oferecidos em sacrifício em suas festas e lançarei vocês fora, com os excrementos. 4 Então vocês saberão que fui eu que lhes fiz esta advertência para que a minha aliança com Levi fosse mantida”, diz o Senhor dos Exércitos. 5 “A minha aliança com ele foi uma aliança de vida e de paz, que na verdade lhe dei para que me temesse. Ele me temeu, e tremeu diante do meu nome. 6 A verdadeira lei estava em sua boca e nenhuma falsidade achou-se em seus lábios. Ele andou comigo em paz e retidão, e desviou muitos do pecado. 7 “Porque os lábios do sacerdote devem guardar o conhecimento, e da sua boca todos esperam a instrução na Lei, porque ele é o mensageiro do Senhor dos Exércitos. 8 Mas vocês se desviaram do caminho e pelo seu ensino causaram a queda de muita gente; vocês quebraram a aliança de Levi”, diz o Senhor dos Exércitos.
      Desde os tempos antigos, passando por toda a história da igreja, infelizmente, o que não tem faltado são falsos profetas tomando em vão o nome do Senhor, ensinando mentiras ao povo em nome de Deus.

3. Atitudes perversas
     A categoria de “atitudes perversas” envolve:

Falsos juramentos 
   Lv 19.12 | “Não jurem falsamente pelo meu nome, profanando assim o nome do seu Deus. Eu sou o Senhor.”

Conduta pecaminosa 
    Os 4.1-2 | 1 Israelitas, ouçam a palavra do Senhor, porque o Senhor tem uma acusação contra vocês que vivem nesta terra: “A fidelidade e o amor desapareceram desta terra, como também o conhecimento de Deus. 2 Só se veem maldição, mentira e assassinatos, roubo e mais roubo, adultério e mais adultério; ultrapassam todos os limites! E o derramamento de sangue é constante.

Hipocrisia 
    Mt 7.21-23 | 21 “Nem todo aquele que me diz: ‘Senhor, Senhor’, entrará no Reino dos céus, mas apenas aquele que faz a vontade de meu Pai que está nos céus. 22 Muitos me dirão naquele dia: ‘Senhor, Senhor, não profetizamos em teu nome? Em teu nome não expulsamos demônios e não realizamos muitos milagres? ’ 23 Então eu lhes direi claramente: Nunca os conheci. Afastem-se de mim vocês, que praticam o mal.
      Tt 1.16 | Eles [impuros e descrentes] afirmam que conhecem a Deus, mas por seus atos o negam; são detestáveis, desobedientes e desqualificados para qualquer boa obra.

Blasfêmias com o nome de Deus 
      Lv 24.15 | Diga aos israelitas: Se alguém amaldiçoar seu Deus, será responsável pelo seu pecado.

OS MAUS USOS DO NOME NO DIA-A-DIA
      Além do mau uso do nome de Deus nos cultos profanos, através de ensinos pervertidos e com atitudes perversas, há outras formas mais comuns de se fazer mau uso do nome de Deus; por exemplo: quando nós quebrando pactos ou promessas que assumimos diante de Deus e de testemunhas. William Barclay, em seu comentário nos Dez Mandamentos, sugere os quatro seguintes que nós comumente ferimos:

1. As pequenas promessas que fazemos às pessoas.

2. As promessas em contratos que nós comumente quebramos.
     Exemplo de cabeçalho de uma Escritura Publica: “SAIBAM quantos este instrumento público de escritura virem que, no dia tal, do mês tal, do ano tal do nascimento do Nosso Senhor Jesus Cristo, nesta Cidade tal no Estado tal, no Tabelionato tal, compareceram partes entre si justas e contratadas, a saber: (…)

3. Juramentos e promessas em audiências e julgamentos.

4. Pactos e compromissos religiosos, principalmente: o Casamento, o Batismo e a Ceia.

LEI E GRAÇA
     Diante de tudo o que já foi exposto, é preciso que se diga algo fundamental. Ninguém conseguirá cumprir plenamente este e nenhum outro mandamento das tábuas da lei. Eles existem para nos revelar o caráter de Deus e demonstrar o quanto nós somos pecadores carentes de um Salvador, necessitados da obra de Jesus. O testemunho de Paulo é revelador:

     Rm 7.7 | Que diremos então? A Lei é pecado? De maneira nenhuma! De fato, eu não saberia o que é pecado, a não ser por meio da Lei. Pois, na realidade, eu não saberia o que é cobiça, se a Lei não dissesse: “Não cobiçarás”.
     A Lei de Deus tem revelado que você não consegue invocar corretamente o nome de Deus? Você não consegue honrar a reputação de Deus com palavras e posturas? Professa crer, mas não se conduz de forma coerente com o que você diz crer? Você (eu eu!) precisa de Jesus:
     Gl 3.24 | Assim, a Lei foi o nosso tutor até Cristo, para que fôssemos justificados pela fé.

*** A importância dos Dez Mandamentos reside no fato de que Deus é santo e de que nós precisamos da santidade que é fruto da salvação oferecida por Jesus Cristo, o Senhor, por ter ele cumprido a Lei em nosso lugar (Mt 5.17-18).

INVOQUE O NOME DO SENHOR
      Há punição para quem faz mau uso do nome de Deus:

      Êx 20.7 | “Não tomarás em vão o nome do Senhor, o teu Deus, pois o Senhor não deixará impune quem tomar o seu nome em vão.”
    Se o caráter e a glória de Deus forem profanados na vida de alguém, seja com palavras ou com posturas, o juízo de Deus cairá sobre o pecador. De Deus não se zomba.
    Porém, quem fez bom uso do nome do Senhor será salvo e servirá ao próximo com alegria e com amor.

Mt 1.21 | “Ela dará à luz um filho, e você deverá dar-lhe o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos seus pecados”.

O mau uso do nome do Senhor perverterá o caráter dele, afastando as pessoas do único nome capaz de dar salvação, pois as escandaliza:

At 4.12 | “Não há salvação em nenhum outro, pois, debaixo do céu não há nenhum outro nome dado aos homens pelo qual devamos ser salvos”.

Portanto, clame pelo nome do Senhor e encontre a salvação:

Rm 10.13 | porque “todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo”.

Seja salvo e passe…

A servir em nome de Jesus (Cl 3.17)

A abençoar os outros em nome de Jesus (Mc 16.17; At 3.6)

A orar em nome de Jesus (Jo 14.14)

A ser fortalecido pelo nome do Senhor – corra para ele e seja fortalecido (Pv 18.10)

A REPUTAÇÃO DE DEUS
      No último dia, todos tributarão glórias e louvores à reputação do Senhor, os que souberam fazer bom uso do nome do Senhor receberão a salvação, os demais serão eterna e justamente condenados.

Filipenses 2.9-11

9 Por isso Deus o exaltou

à mais alta posição

e lhe deu o nome que está acima de todo nome,

10 para que ao nome de Jesus

se dobre todo joelho,

nos céus, na terra

e debaixo da terra,

11 e toda língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor,

para a glória de Deus Pai.

Agora, imagine como será para aqueles que difamaram a reputação desse nome! Será apavorante.

Que o Senhor nos abençoe com salvação e com ministração de quem sabe fazer bom uso do nome do Senhor:

Jr 4.1-2 | 1 “Se você voltar, ó Israel, volte para mim”, diz o Senhor. “Se você afastar para longe de minha vista os seus ídolos detestáveis, e não se desviar, 2 se você jurar pelo nome do Senhor com fidelidade, justiça e retidão, então as nações serão por ele abençoadas e nele se gloriarão.”

Graça e paz sejam com todos. (Momento de oração)


Sermão de: Pr. Leandro B. Peixoto


Fonte: http://ibcentral.org.br/multimedia-archive/iii-a-reputacao-de-deus/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço e será um prazer receber seu comentário que depois de aprovado será publicado.