sábado, 13 de dezembro de 2014

O HOMEM VESTIDO DE LINHO

    "As coisas encobertas pertencem ao SENHOR nosso Deus, porém as reveladas nos pertencem a nós e a nossos filhos para sempre, para que cumpramos todas as palavras desta lei." (Deuteronômio 29:29) Entre as coisas reveladas", as profecias cumpridas têm um lugar da mais alta importância. Na presença de eventos em que elas foram cumpridas, o significado delas está na superfície.
      Os escritos de Daniel têm sido o objeto de mais crítica hostil do que qualquer outra porção das Escrituras e os versos de encerramento do capítulo 9 sempre foram um ponto principal de ataque. E isto é necessariamente assim, por que se essa única passagem puder ser provada como sendo uma profecia, ela estabelece o caráter do livro como uma revelação divina.
      As histórias e as profecias relatadas no livro de Daniel servem de inspiração para nos mantermos vitoriosos face à tentação. O cumprimento dos muitos acontecimentos profetizados em seus últimos capítulos dá-nos a certeza da contínua presença de Deus. Através as profecias cheias de sabedoria e precisão é que a humanidade está sendo desafiada a crer no infinito poder do nosso Deus Criador. O cenário do capítulo 10 de Daniel transcorreu por volta do ano 535 a.C., no terceiro ano do reinado de Ciro. Os setenta anos já haviam decorrido desde que Daniel fora compelido a acompanhar os exércitos de Nabucodonosor, em sua marcha de Jerusalém para Babilônia. Deus cuidara de Daniel em todas as crises enfrentadas pelo profeta. Havia respondido às suas orações e mantivera-o em boas condições físicas, apesar de seus 88 anos de idade. A primeira ordem do rei Ciro para reconstrução de Jerusalém, havia sofrido uma renhida oposição por parte dos hostis samaritanos (Esdras 4). Ao invés de queixar-se, Daniel orou e jejuou por três semanas (Daniel 10:2). As suas orações novamente foram atendidas, da mesma forma como foram respondidas as suas petições em Daniel 2 (revelação do sonho ao rei Nabucodonosor); Daniel 6 (o livramento da cova dos leões); Daniel 9 (entendimento sobre a visão das 70 semanas). Daniel é informado pelo anjo que, Miguel, que veio para ajudar na libertação do povo de Deus. 

ENTENDENDO A PROFECIA. 
      O capítulo 10, 11 e 12 na verdade estão juntos. O capítulo 10 é apenas um prelúdio para o capítulo 11 e 12. Ele recebe a visão neste capítulo e recebe a interpretação no capítulo 11 e 12. o rápido esboço da parte profética do livro de Daniel será: capítulo 2, capítulo 7, capítulo 8 e 9, capítulo 10, 11, e 12. através destes segmentos você verá o princípio profético da Bíblia “repetição e ampliação.” O Capítulo 2 é o padrão, a trena. Tudo que se segue é basicamente baseado no capítulo 2. tudo que se segue é uma repetição do capítulo 2. O capítulo 7 é uma repetição e ampliação do capítulo 2. Uma repetição se segue na horizontal. Mas a ampliação se segue verticalmente para a linha de tempo dos últimos dias.
      Por exemplo no capítulo 7, sua ampliação é sobre o chifre pequeno. No capítulo 8 & 9, sua ampliação vai além e vai até os 2300 dias. No capítulo 10, 11 e 12, há uma enorme ampliação para os eventos dos últimos dias. Estes três capítulos são uma ampliação do capítulo 8 e 9. Deus está tentando iluminar os eventos que acontecerão nos últimos dias. E é por isso que quando chegamos no capítulo 10-12, é tão detalhado.
      Poderíamos dizer que o capítulo 10 é a introdução da visão, o capitulo 11 o desenvolvimento da visão e o capítulo 12 o “fecho” da visão.

O TEMPO, O LUGAR E A PREPARAÇÃO DE DANIEL PARA A VISÃO.
      Daniel 10:1-6: “No ano terceiro de Ciro, rei da Pérsia, foi revelada uma palavra a Daniel, cujo nome se chama Beltessazar; e a palavra é verdadeira e trata de uma guerra prolongada; e ele entendeu essa palavra e teve entendimento da visão. 2 Naqueles dias, eu, Daniel, estive triste por três semanas completas. 3 Manjar desejável não comi, nem carne nem vinho entraram na minha boca, nem me ungi com ungüento, até que se cumpriram as três semanas. 4 E, no dia vinte e quatro do primeiro mês, eu estava à borda do grande rio Hidéquel; 5 e levantei os meus olhos, e olhei, e vi um homem vestido de linho, e os seus lombos, cingidos com ouro fino de Ufaz. 6 E o seu corpo era como turquesa, e o seu rosto parecia um relâmpago, e os seus olhos, como tochas de fogo, e os seus braços e os seus pés, como cor de bronze açacalado; e a voz das suas palavras, como a voz de uma multidão”.
      A época era a do terceiro ano do rei Ciro; isto significa que o cativeiro já havia acabado (a autorização para o retorno ocorreu no 1º ano de Ciro). Sabemos pela Bíblia que o povo estava meio apático e nem todos retornaram. A ordem para a reconstrução de Jerusalém somente ocorreria em 445 ac.
    De forma resumida é relatado que Daniel recebeu a interpretação de uma visão que teve, a qual falava de um conflito extenso. Não se refere à intensidade, mas sim a duração. Israel estaria em constante conflito até o fim! 2,3- Daniel já havia tido a visão (ver 10.14; 11.2), entretanto, não a compreendeu totalmente. O motivo da sua tristeza, oração e jejum, eram as coisas terríveis que aconteceriam com o seu povo.
      Alguns expositores bíblicos consideram esta última visão como a mais importante de todas as visões de Daniel. Mesmo que não chegue a tanto, esta é uma seção única. Aqui há características que são diferentes de todos os outros capítulos de Daniel. Nesta ultima visão, inclusive o método de revelação foi mudado.
      Outra característica que se destaca é que se acrescenta muito detalhe das visões anteriores.
    A chave da compreensão destes três últimos capítulos se encontra na explicação do anjo a Daniel, que lemos no versículo 14.

A VISÃO DE DANIEL E SUA BUSCA POR COMPREENSÃO.
      Daniel recebe a palavra do Senhor no versículo 1a. A visão do conflito que o surpreendeu com sua grandeza. O Versículo 1b diz que ele entendeu. Mas o versículo 12 diz que quando recebeu a visão, ele se pôs a busca entendê-la. Eu creio que isso quer dizer que a estrutura geral da visão estava clara para ele, mas o significado de suas partes não estava claro.
      Então, Daniel pôs-se em lágrimas, jejum e oração para buscar o significado da visão, e durante três semanas, ele lutou em oração sobre essa visão e procurou conhecer a vontade de Deus.
      Versículo 2-3: "Naquela ocasião eu, Daniel, passei três semanas chorando.Não comi nada saboroso; carne e vinho nem provei; e não usei nenhuma fragrância perfumada, até se passarem as três semanas."

OUTRA VISÃO NAS MARGENS DO RIO TIGRE
      Depois de três semanas, ele saiu às margens do rio Tigre (v. 4). Lá, ele teve uma visão que era tão incrível que mal podia suportar. Versículo 5-6: “Olhei para cima, e diante de mim estava um homem vestido de linho, com um cinto de ouro puríssimo na cintura. Seu corpo era como o berilo, o rosto como o relâmpago, os olhos como tochas acesas, os braços e pernas como o reflexo do bronze polido, e a sua voz era como o som de uma multidão.”

A MANIFESTAÇÃO DE CRISTO
A revelação acontece após o seu período de jejum.
5-9- Existe uma grande controvérsia em torno da questão de quem seja a pessoa que se apresenta a Daniel; por exemplo:
      Davidson, F (O Novo comentário da Bíblia- ed. Vida Nova); Henry, M. (Comentário Bíblico de Matthew Henry- ed. CPAD) e Nigh, K (Manual de Estudos Proféticos- ed. Vida), concor-dam que há um caso de teofania (manifestação do Senhor Jesus) neste capítulo.
Champlin, R. N. (O Antigo Testamento Interpretado Versículo por Versículo- vol 5- Antigo Testamento- ed. Hagnos) e o comentarista da Bíblia de Estudos Pentecostal, afirmam tratar-se de Gabriel.
      Na verdade, existem dois personagens que se apresentam para Daniel; o Senhor Jesus (v. 5-9) e o anjo Gabriel (nos versículos que se seguirão).
      No versículo 9 podemos observar claramente que Daniel perdeu os sentidos (desmaiou); o que dá um espaço entre este versículo e o seguinte. Este detalhe faz uma grande diferença, pois a partir daí é que entrará em cena o segundo personagem.
A questão a respeito de quem aparece no capítulo não deve ofuscar o que o Senhor deseja mostrar nestes três últimos capítulos do livro.
    Devemos ter em mente que o capítulo em pauta está introduzindo as revelações que seguirão.

“... e eis um homem vestido de linho...”
      Os que afirmam que Daniel teve uma visão de Jesus, compara essa descrição com a de João o Revelador em Apocalipse 1:12-18. Jesus estava vivo e ativo em relação às atividades do Seu povo até mesmo durante o período do Antigo Testamento. O mesmo Jesus é descrito em linguagem mais simples ao aparecer para Pedro, Tiago, e João no Monte da Transfiguração. (Veja Mat. 17:2 e Marcos 9:3.)

Mateus 17:1 - 3 
      “Seis dias depois, tomou Jesus consigo a Pedro, a Tiago e a João, irmão deste, e os conduziu à parte a um alto monte; e foi transfigurado diante deles; o seu rosto resplandeceu como o sol, e as suas vestes tornaram-se brancas como a luz. E eis que lhes apareceram Moisés e Elias, falando com Ele”.

“... só eu, Daniel, vi aquela visão....”
      Quando Saulo viu Jesus na estrada de Damasco (Atos 9:4-7), os homens que acompanhavam Saulo não viram a visão esplendorosa que ele viu. O mesmo aconteceu no caso de Daniel.

“... não retive força alguma... eu caí num profundo sono...”
     Em Apocalipse, João (Apoc. 1:17) caiu “a Seus pés como morto”. No relato do Monte da Transfiguração, “Os discípulos, ouvindo isso, caíram com o rosto em terra, e ficaram grandemente atemorizados” (Mat. 17:6). Da mesma forma, aconteceu com Daniel: “... não retive força alguma...” e “... eu caí num profundo.

DANIEL É DESPERTADO PARA CONTINUAR A RECEBER A MENSAGEM DE DEUS.
      Daniel em seguida foi acordado e levantado pela mão por alguém, provavelmente o anjo Gabriel ("Força de Deus") que novamente o chamou de "homem muito amado", e o informou que devia pôr-se de pé e prestar atenção ao que ele tinha a dizer, porque ele lhe fora enviado.
      O anjo tranquilizou Daniel, dizendo-lhe que desde o primeiro dia em que Daniel se dedicou a compreender e humilhar-se diante de Deus, suas palavras foram ouvidas, e por isso ele veio. Sua missão era de fazer Daniel entender o que haveria de suceder ao seu povo nos últimos dias - tempos ainda bem distantes de Daniel.
     A demora de três semanas em chegar até Daniel foi devido à resistência do "príncipe do reino da Pérsia" (não homem, mas um espírito que se opõe aos mensageiros e ao povo de Deus - veja Efésios 6:12); essa resistência fora quebrada com o auxilio do arcanjo Miguel ("Quem é Como Deus"), príncipe do povo de Israel.
     A luta entre as forças espirituais, de um lado as que desenvolvem os desígnios de Deus, e de outro as forças satânicas da oposição, é uma luta contínua. Dela nós também participamos, e para isso Deus nos dá a armadura e a força de Seu poder para conseguirmos a vitória (Efésios 6:10,13-18). O arcanjo Miguel é mencionado em Judas ver. 9, quando ele contendia com o diabo, disputando sobre o corpo de Moisés, e em Apocalipse 12:1-9 onde lemos que Miguel com seu anjos pelejará no céu contra o dragão e seus anjos, expulsando-os de lá e lançando-os para a terra.
      Satanás tem o seu reino (Mateus 12:26), e ele é o "príncipe da potestade do ar", atuando sobre os que são desobedientes a Deus (Efésios 2:2), através dos seus agentes, os principais dos quais (ou "príncipes"), têm influência sobre os líderes da nações. Decerto o "príncipe do reino da Pérsia" se opôs ao mensageiro Gabriel porque seu comandante (o diabo) é inimigo de Israel e não queria que seu futuro fosse revelado a Daniel (e a todos nós através dele).

A ORAÇÃO MOVE O CORAÇÃO E A MÃO DE DEUS
      Daniel esteve orando por três semanas, E aparentemente não recebeu resposta. Quando vamos ser libertos deste cativeiro? Daniel capítulo 10, versículo 12:
      "Então me disse: Não temas, Daniel; porque desde o primeiro dia em que aplicaste o teu coração a compreender e a humilhar-te perante o teu Deus, são ouvidas as tuas palavras, e por causa das tuas palavras eu vim."
      Quando é que foi atendida a oração de Daniel? Sabemos que esteve orando durante três semanas. Isto quer dizer que sua oração não foi respondida quando ele começou a orar. As vezes oramos e oramos e tudo parece que nossa oração não passa do teto da casa. Quantas vezes oramos e dizemos: Deus eu oro, porém, tu não me responde?

Deus respondeu a oração de Daniel
     Para piorar a situação (v. 10) uma mão se estendeu e tocou-o de modo que ele tremeu

terrivelmente nas mãos e nos joelhos. Então a voz disse (v. 11) : "Daniel, você é muito amado.

Preste bem atenção ao que vou lhe falar; levante-se, pois eu fui enviado a você.". Então, ele disse

(v. 12) : "Não tenha medo, Daniel. Desde o primeiro dia em que você decidiu buscar

entendimento e humilhar-se diante do seu Deus, suas palavras foram ouvidas, e eu vim em resposta a elas".

      Agora isso é extremamente importante para a compreensão da oração. Observe as palavras : "Eu vim por causa das tuas palavras." Coloque isso junto com as palavras do versículo 11: "Eu fui enviado a você." Isto é, Deus o enviou. Então, o ponto é que Deus respondeu a sua oração assim que você começou a orar, há três semanas. "Desde o primeiro dia que você se humilhou diante de Deus as suas palavras [suas orações!] Foram ouvidas, e eu vim por causa das tuas palavras[sua oração!]."

Portanto, este ser celestial veio porque Daniel orou e se humilhou diante de Deus e jejuou. E

o atraso de três semanas não foi porque Deus levou três semanas para ouvir. Já vimos que foi em virtude da luta contra um demônio chamado "príncipe da Pérsia".

Prof. Pr. Adaylton de Almeida Conceição (Th.B.Th.M.Th.D.)


www.adayltonalm.spaceblog.com.br

    O Prof. Adaylton de Almeida Conceição, é Ministro do Evangelho, tendo exercido seu ministério no Amazonas e por mais de vinte anos trabalhou como Missionário na Argentina e Uruguai. É Escritor, Bacharel, Mestre e Doutor em Teologia, Pós graduado em Ciências

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço e será um prazer receber seu comentário que depois de aprovado será publicado.