sexta-feira, 31 de outubro de 2014

DEUS ABOMINA A SOBERBA

Prof. Adaylton de Almeida Conceição.

INTRODUÇÃO: 
Arrogância. O Dicionário Aurélio define arrogância como: “orgulho que se manifesta por atitudes altivas e desdenhosas”. O termo deriva-se do hebraico “zadôn” e significa “altivez”, “orgulho” ou “soberba” (Ml 3.15; 4.1; Sl 119.51,69,78, 122; Jr 43.2). 
O orgulho é um pecado (Pv 21.4) e é abominável diante de Deus (Pv 6.16). No NT o termo é alazonia, que é traduzido por “soberba” (I Jo 2.16) ou “orgulho” (I Tm 3.6). O orgulho foi o principal fator na queda de Lúcifer (Is 14.12) e é uma das características dos ímpios nos últimos dias (II Tm 3.2).
Humildade. Segundo o dicionário Aurélio, humildade significa: “ausência completa de orgulho, rebaixamento voluntário por um sentimento de fraqueza ou respeito; praticar a humildade, modéstia, pobreza”. O termo deriva-se do hebraico “ãnãw”, que quer dizer “humilde” e ãnãwâ que significa “humildade” (Jó 22.29; Sl 10.12; 138.6; Pv 11.2; 14.21; 15.33; 16.19; 18.12). Nas páginas do Novo Testamento o termo é “tapeinos”, que significa “humilde” (Mt 11.29; Lc 1.52; Rm 12.16; II Co 7.6; Tg 4.6; I Pe 5.5). A humildade está associada a uma consciência de que tudo que temos ou somos vem do Senhor.

O SOBERBO
     Um indivíduo soberbo é aquele que deseja ser mais do que é e ainda se coloca acima dos outros para humilhá-los e envergonhá-los. O soberbo superdimensiona a própria imagem e diminui o valor dos outros. É o narcisista que, ao se olhar no espelho, dá nota máxima e aplaude a si mesmo. É por isso que o sábio diz que, em vindo a soberba, sobrevém a desonra. A soberba é a sala de espera da desonra. É o corredor do vexame. É a porta de entrada da vergonha e da humilhação. A Bíblia diz que Deus resiste ao soberbo (Tg 4:6), declarando guerra contra ele. “Glória ao homem nas maiores alturas”, esse é o grito de guerra da humanidade orgulhosa e ímpia que continua desafiando Deus e tentando construir o céu na terra (Pv 11:1-9; Ap 18). Deus aborrece “olhos altivos” (Pv 6:16,17) e promete destruir “a casa dos soberbos” (Pv 15:25).

O PAI DA SOBERBA
      O orgulho (A SOBERBA) foi o pecado de Lúcius ou Lúcifer (no grego heilel ben-shachar; no latim lucem ferre, que significa anjo iluminado) hoje diabo (no hebraico Shai’tan, o acusador ou caluniador) sucumbiu com todo os seus seguidores que foram condenados definitivamente por Deus. 
      Como vimos o que Satanás colheu tomado pela Soberba foi a sua própria ruína, e geralmente este sentimento se alimentado gerará uma cegueira espiritual que impede a pessoa de se submeter, ouvir conselhos direções ou até a Palavra de Deus e por se julgar auto-suficiente, não atende aos avisos de perigos que estão diante de si, e inevitavelmente vive uma grande queda.

A PROVA DA SOBERANIA DIVINA (Dn 4:1-3) 
      A soberania de Deus é a autoridade inquestionável que o Senhor detém sobre o Universo, pelo fato óbvio de que Ele é o Criador de todas as coisas(Is 44:6;45:6; Ap 11:17). Sua soberania está baseada em sua onipotência, onipresença e onisciência. Quando afirmamos que Deus é soberano, estamos dizendo que Ele controla o Universo e pode fazer o que lhe aprouver. A soberba é um dos pecados da alma que afeta diretamente a soberania de Deus. 
      “Nabucodonosor, chamado por Deus para um desígnio especial (Jr 25:9. “...Nabucodonosor [...] meu servo”.
      Esta expressão não significa que o monarca babilônico adorava o Deus de Israel, mas apenas que era usado pelo Senhor para cumprir seus propósitos (à semelhança de Ciro, que é chamado de ungido do Senhor, em Isaías 45:1).

A SOBERBA DE NABUCODONOSOR
      Nabucodonosor é considerado o maior rei que a Babilônia já teve e, tendo em vista todo o poder que teve e as vitórias alcançadas, tornou-se muito orgulhoso, a ponto de ter chegado a se considerar um deus, sendo convencido a construir uma estátua de ouro que todos deviam adorar. O que ele não conseguiu entender foi que todas aquelas vitórias faziam parte de um plano de Deus para atingir os Seus propósitos e o rei achou que tudo o que estava acontecendo era obra sua. 
      O interessante é que Deus chamou a sua atenção para o risco da sua soberba, porém este sentimento tornou-se impossível de ser controlado e ele chegou a insanidade de achar que era mais poderoso que o Senhor.
      Nabucodonosor faz parte do passado, porém o sentimento que se apossou de seu coração nunca foi tão atual. O homem, por mais exemplos que venha a ter e por mais conselhos que receba, continua caminhando na mesma estrada do orgulho e da soberba, não conseguindo se livrar do anseio da vanglória e da exaltação, achando-se um deus da mesma forma que aquele rei. 
     Certa ocasião, quando ele passeava no palácio real de Babilônia, disse: “Não é esta a grande Babilônia que eu edifiquei para a casa real, com a força do meu poder, e para glória da minha magnificência?” (Dn 4.30). Deus, então, o sentenciou e ele foi tirado dentre os homens, passou a comer erva como os bois, o seu corpo recebeu orvalho do céu, cresceu pêlos sobre si e suas unhas cresceram como as das aves (Dn 4.33). Quando ele reconheceu que o poder e a soberania pertence única e exclusivamente a Deus, foi restabelecido o seu reino e sua glória foi acrescentada (Dn 4.35,36). 
      Conquanto tenha sido um instrumento que Deus utilizou para corrigir e disciplinar o seu povo, Nabucodonosor foi traspassado pela arrogância, pela soberba. Por causa disso, Deus mostrou que ele seria punido severamente; ele seria, como a árvore do sonho, cortado até o tronco (Dn 4:18). Isto cumpriu-se literalmente na vida de Nabucodonosor, e ele, depois de humilhado, perdeu a capacidade moral de pensar e decidir porque seu coração foi mudado - de “coração de homem” (Dn 4:16) para “um coração de animal”. Ele foi dominado por uma insanidade sem precedente. A punição levaria “sete tempos”, período em que Nabucodonosor estaria agindo de forma irracional à semelhança dos animais do campo (Dn 4:28-33), tendo o seu corpo molhado pelo orvalho do céu. Esse estado de decadência do rei foi resultado de sua soberba.
      “A soberba do teu coração te enganou, ó tu que habitas nas fendas das rochas, na tua alta morada, e dizes no teu coração:       Quem me deitará por terra? Se te remontares como águia e puseres o teu ninho entre as estrelas, de lá te derribarei, diz o Senhor” (Obadias 1:3-4).
      O Rev. Hernandes Dias Lopes diz que a soberba é a porta de entrada do fracasso e a sala de espera da ruína. O orgulho leva a pessoa à destruição, e a vaidade a faz cair na desgraça.
      “A soberba precede a ruína, e a altivez do espírito precede a queda”. (Pv 16.18)
      “Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo”. (1Jo 2.16)
      Deus de forma amorosa permite que humilhações dolorosas abatam o nosso orgulho, e assim nos salva da destruição que se segue após a soberba. Alguns se quebrantam, e assim escapam à humilhação. Outros se exaltam, sofrem humilhações e finalmente são humilhados como no caso do rei da Babilônia Nabucodonosor.
      Na Bíblia Sagrada aprendemos com a ajuda do Espírito de Deus, importantes lições, e uma delas é que Deus rejeita aqueles que se porta com altivez. A Palavra de Deus está cheia de textos, que mostram, o quanto Deus abomina a soberba e também o resultado de alguns que não deram ouvido a orientação divina quanto sua conduta. E a todos Deus dando a chance de arrependimento. "Alguns se orgulham das vestes, outros da sua raça, outros da sua situação na vida, outros da sua aparência pessoal e outros do seu estado de graça diante de Deus".
      Não podemos esquecer que o orgulho sempre precede a queda.       É como um prédio que é levantado vários andares além do que os alicerces permitem. O orgulho é coisa horrível, pois as pessoas pensam estar acima de tudo e de todos, olham sempre para baixo e nunca para cima. Tomemos cuidado com este sentimento! Quem é orgulhoso é também demasiadamente vaidoso e arrogante. E isto corrói quem dá lugar no coração para sua entrada.

O PECADO DA SOBERBA
      A soberba é pecado. Alguém disse que a soberba “só morre meia hora depois do dono”. A soberba tem muitos filhos: orgulho, vaidade, vanglória, arrogância, prepotência, presunção, autossuficiência, amor próprio, exibicionismo,egolatria, etc.
Podemos dizer que a soberba é a “cultura do ego”. 
      O soberbo se esquece de que é uma simples criatura, em tudo dependente de Deus, por isso, rejeita as coisas pequenas e vive procurando o reconhecimento das pessoas e geralmente se torna preconceituoso.
     A Palavra de Deus é muito clara nos exortando a rejeitar a soberba, visto que, “olhos altivos” (soberba)vêm em primeiro lugar na lista das coisas que Deus odeia, conforme o constante em Provérbios 6: 16 a 19.
     Por outro lado, por ser o oposto da soberba, a humildade é grande virtude, a que mais caracterizou o próprio Senhor Jesus, que desde o nascimento em uma manjedoura, até à morte na cruz do calvário, viveu de maneira humilde (Fp 2:5-11).
     A Bíblia diz: “A soberba do homem o abaterá, mas o humilde de espírito obterá honra” (Pv 29:23). Os EUA têm endurecido o coração e rejeitado os ensinamentos da Palavra de Deus e, sem dúvidas, têm começado a colher os frutos da sua desobediência.
     Na visão do profeta Obadias a soberba precede ao engano e a humilhação (vs.2-4 e 8-9;“Quem a si mesmo se exaltar será humilhado” Mt 23:12); A vaidade e a opulência precedem a miséria(vs.5-7; “Na plenitude da sua abastança, ver-se-á angustiado; toda a força da miséria virá sobre ele” - Jó 20:22); A desobediência precede a ruína e o castigo de Deus (vs.10-14).

ORGULHO E O “ORGULHO”
     Há uma diferença entre o tipo de orgulho que Deus odeia (Provérbios 8:13) e o tipo de orgulho que sentimos por fazer algo bem feito. O tipo de orgulho que surge de sermos justos aos nossos próprios olhos é pecado e Deus odeia isso porque atrapalha a nossa aproximação dEle. Salmo 10:4 explica que os orgulhosos estão tão cheios de si que seus pensamentos estão longe de Deus: “Pela altivez do seu rosto o ímpio não busca a Deus; todas as suas cogitações são que não há Deus”. Esse tipo de orgulho arrogante é o contrário do espírito de humildade que Deus procura: “Bem-aventurados os pobres de espírito, porque deles é o reino dos céus” (Mateus 5:3). Os “pobres de espírito” são aqueles que reconhecem sua falência espiritual e sua falta de habilidade de se aproximar de Deus se não fosse por Sua divina graça. Os orgulhosos, por outro lado, são tão cegos por causa de seu orgulho que acham que não precisam de Deus ou pior, que Deus deve aceitá-los do jeito que são porque eles merecem a Sua aceitação.
     Por que orgulho é um pecado? Orgulho é dar a nós mesmos o crédito por algo que Deus realizou. Orgulho é dar a nós mesmos a glória que pertence só a Deus. Orgulho é, em essência, louvor próprio. Nada que realizamos nesse mundo seria possível se não fosse Deus nos capacitando e sustendo. Por isso é que devemos dar a Deus a glória – por que só Ele é digno de recebê-la.

Vencer a Soberba 
     O primeiro sentimento que Deus denuncia através do sábio Salomão é a Soberba, o “olho altivo”, que significa o sentimento de superioridade que nasce no coração do presunçoso que julga inferior todos os que estão ao seu redor e por orgulho e sentimento de dominação não aceita ser igualado ou estar submetido a ninguém, pois sua empáfia não o permite, nem sequer ouvir, encarar, quanto menos conviver com as pessoas capacitadas, pois sempre quer ser o melhor, o único, e quer ser venerado por todos.        Quando percebe que alguém lhe é superior simplesmente despreza esta pessoa tentando submetê-la a si mesmo, já que quer ver todos rebaixados diante de si.

DEUS FALA NOVAMENTE A NABUCODONOSOR POR MEIO DE SONHOS (Dn 4:4-9). 
1. Deus adverte Nabucodonosor através de um sonho.          
        Nabucodonosor sentia-se senhor de tudo a ponto de, mais uma vez, se permitir dominar por uma arrogância inconcebível. Então, Deus o adverte através de um sonho. 
     "Tive um sonho" (Dn 4:5). À semelhança do capítulo dois quando teve o sonho da grande estátua representando seu reino e os reinos que o sucederiam, mais uma vez Deus fala com Nabucodonosor; mais uma vez ele ficou aflito por não entender o seu significado.
     Há um contraste entre o sonho do capítulo 2 e o sonho do capítulo 4. O primeiro sonho foi esquecido pelo rei, mas o segundo sonho ele não o esqueceu (Dn 2:1,6 e 4:10-17). Como da vez passada (capítulo 2), todos os sábios da Babilônia, com seus magos, astrólogos, caldeus e os adivinhadores foram convocados à presença do rei para darem a interpretação do sonho e, mais uma vez, falharam (Dn 4:6,7). 
     Daniel ouve o sonho e dá a sua interpretação (Dn 4:19-26). O rei conta a Daniel todo o seu sonho. Ele viu uma grande árvore de dimensões enormes que produzia belos frutos e que era visível em toda a terra. Os animais do campo se abrigavam debaixo dela e os pássaros faziam seus ninhos nos seus ramos (Dn 4:10-12). O rei viu descer do céu “um vigia, um santo” (Dn 4:13) e esse vigia clamava forte: “Derribai a árvore e cortai-lhe os ramos” (Dn 4:14). “Então              Daniel... esteve atônito quase uma hora” (4:19). 
      A soberania de Deus é proclamada por Nabucodonosor (Dn 4:1-3). “Nabucodonosor, rei, a todos os povos, nações e línguas que moram em toda a terra: Paz vos seja multiplicada! Pareceu-me bem fazer conhecidos os sinais e maravilhas que Deus, o Altíssimo, tem feito para comigo. Quão grandes são os seus sinais, e quão poderosas, as suas maravilhas! O seu reino é um reino sempiterno, e o seu domínio, de geração em geração”.
     O comentarista Marcio Motta traça um paralelo entre a humildade e o orgulho, buscando na Palavra, especificamente no livro de Provérbios, versículos que tratam deste assunto, com o propósito de tentar mostrar os resultados que estes dois sentimentos podem provocar em nossas vidas.
         Provérbios 11.2 – Em vindo a soberba, virá também a afronta; mas com os humildes está a sabedoria – O versículo está nos falando de uma forma muito clara que a pessoa que é orgulhosa acabará sendo humilhada e que a sabedoria se encontra com aquelas que trazem a humildade dentro do seu coração, isto é, ele nos mostra que a humildade nos leva à sabedoria, enquanto a soberba à desgraça.
      Provérbios 13.10 – Da soberba só provém a contenda; mas com os que se aconselham se acha a sabedoria – O versículo fala por si só e está nos dizendo que aquela pessoa que é orgulhosa, vai se deparar, ao longo de sua caminhada, com muitas brigas, porém, aquele que busca o conselho, está usando de muita sabedoria, ou seja, a humildade produz o discernimento da busca da sugestão, enquanto da soberba produz discussões.”
      Provérbios 16.5 – Todo o homem arrogante é abominação ao Senhor, certamente não ficará impune – Neste, a palavra é pesada e nos diz que o Senhor detesta todos os orgulhosos e que eles não escaparão do castigo, de forma alguma, isto é, a pessoa humilde será conduzida à honra, enquanto a orgulhosa será castigada e destruída. 
     Provérbios 18.12 – Antes da ruína eleva-se o coração do homem; e adiante da honra vai a humildade – Aqui, de forma muito clara, e bastante contundente, nos é mostrado que a pessoa que se deixa dominar pela soberba está caminhando, a passos largos, para um fim trágico, entretanto aquela que é humilde será respeitada, resumindo, o orgulho no encaminha para a ruína, enquanto a humildade nos leva para a honra.

CONCLUSÃO.
      Aprendemos que , a soberba, o orgulho e a arrogância são sentimentos que Deus abomina. Lúcifer, Nabucodonosor, Senaqueribe, Golias, Hamã e Belsazar são apenas alguns, dos muitos exemplos bíblicos de pessoas que caíram por causa desse sentimento maléfico. Em contrapartida, encontramos nas páginas da Bíblia o antídoto contra esses sentimentos, que é a humildade.            Que possamos, então, atentar para os santos ensinos da Palavra de Deus a qual nos orienta a "Não deixem que o mal vença vocês, mas vençam o mal com o bem"(Rm 12.21) e imitarmos o Mestre divino, que é manso e humilde de coração (Mt 11.29).
      Reflita sobre sua vida, e lembre-se Deus abate os soberbos, mas da graça aos humildes.
Porque melhor é que te digam: Sobe para aqui, do que seres humilhado diante do príncipe a quem já os teus olhos viram. (Pv 25.7)
    E o que a si mesmo se exaltar será humilhado; e o que a si mesmo se humilhar será exaltado. (Mt 23.12)
    Digo-vos que este desceu justificado para sua casa, e não aquele; porque qualquer que a si mesmo se exalta será humilhado, e qualquer que a si mesmo se humilha será exaltado. (Lc 18.14)
      Humilhai-vos perante o Senhor, e ele vos exaltará. (Tg 4.10)
     Humilhai-vos, pois, debaixo da potente mão de Deus, para que, a seu tempo, vos exalte, (1Pe 5.6).

Pr Adaylton de Almeida Conceição (Th.B. Th.M. Th.D.)


adayl.alm@hotmail.com

BIBLIOGRAFIA
Daniel – As visões para estes últimos dias. Severino Pedro da Silva. CPAD. 
Hernandes Dias Lopes – Daniel (Um homem amado do Céu). Hagnos.
Luciano de Paula Lourenço – Assembleia de Deus. Disponível no Blog: http://luloure.blogspot.com
Marcio Motta – A soberba leva à destruição
Pr. Marcos Sergio – A soberba precede a queda
Raquel Fragoso – As deformações huanas que Deus abomina

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço e será um prazer receber seu comentário que depois de aprovado será publicado.