sábado, 23 de agosto de 2014

TEMPO COM CRISTO - DO “MAR MORTO” AO “MAR DE VIDA”

      “Porque, assim como o corpo sem Espírito é morto, assim também a fé sem obras é morta (Tiago 2:26).”

     O Mar Morto possui mil quilômetros quadrados de superfície e recebe, por dia, mais de seis milhões de metros cúbicos de água do Rio Jordão. Entretanto, o Mar Morto somente “recebe”água e nunca “dá”. Com isso, a água é estancada e, com a evaporação que é produzida pelo sol do deserto, sua concentração de sal aumenta. Enquanto a concentração de sal normal no oceano é de 2% a 3%, a do Mar Morto é de 24% a 26%. Além disso, há um elevado acúmulo de magnésio e cálcio. Com essa mistura química, não há vida que sobreviva. O Mar Morto, por somente “receber” e nunca “dar”, não tem vida e é vazio em seu interior. De modo semelhante, em nossa vida prática, “dar” depois de “receber” é fundamental para nos manter com vida.

“Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância (João 10:10).”

      Sem Cristo somos como o “Mar Morto”, sem vida, sem direção, sem propósitos e vazios em nosso interior. É somente Nele que encontramos a vida. “Aquele que tem o Filho tem a vida; aquele que não tem o Filho de Deus não tem a vida (I João 5:12).”

      Deus nos amou primeiro e nos escolheu para sermos seus filhos, por isso nos enviou seu filho amado, Jesus Cristo, para sairmos do “Mar Morto” para o “Mar de Vida”. A vida que Cristo nos oferece, uma vida abundante e eterna, o mundo e nenhum outro jamais poderá nos dar. O mundo é como o “Mar Morto”, vazio, egoísta, sem vida e que nos leva à morte. “Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus nosso Senhor (Romanos 6:23).” Quando Jesus Cristo nos preenche com sua vida, sentimos que a nossa vida interior está verdadeiramente completa. Pela sua graça fomos libertos e salvos; e passamos da morte para a vida.
      Só Jesus Cristo pode nos transformar por completo e terminar a boa obra que Deus começou em nós. “Aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até ao Dia de Cristo Jesus (Filipenses 1:6).” O relacionamento íntimo com nosso Deus é importante para nosso crescimento espiritual. Jesus estava em comunhão constante com o Pai, cumprindo a Sua vontade. “Buscai primeiro o reino de Deus... (Mateus 6:33)”.
    É vital compartilharmos e colocarmos em prática os ensinamentos da palavra e Deus. E o Senhor nos diz: “E sede cumpridores da palavra e não somente ouvintes (Tiago 1:22).” O nosso fazer é uma conseqüência do nosso ser, e quando estamos em Cristo e Ele em nós, damos muitos frutos. “Eu sou a videira e vós as varas; quem está em mim, e eu nele, este dá muito fruto, porque sem mim nada podeis fazer (João 15:5).”
      Muitas vezes ao nosso lado vemos um irmão necessitado, um mendigo sem “nada”, e sequer temos a coragem de olhá-los. Sequer pensamos: O que será que ele está sentindo? Em que eu poderia ajudar? Será que ele conhece a Cristo? O que Jesus faria nessa situação? “E se o irmão ou a irmã estiverem carecidos de roupa e sem o mantimento cotidiano, e algum de vós lhes disser: Ide em paz, aquentai-vos e fartai-vos; e lhes não derdes as coisas necessárias para o corpo, que proveito virá daí? Assim também a fé, se não tiver as obras, é morta em si mesma (Tiago 2:15-16).” Não compartilhar o amor que recebemos de Deus, inevitavelmente nos tornará vazios e sem vida, como o “Mar Morto”. “Nós sabemos que já passamos da morte para a vida, porque amamos os irmãos; aquele que não ama permanece na morte (I João 3:14).”
      Como disse o escritor Dwight L. Moody: “Um entre cem homens lerá a bíblia; os noventa e nove lerão os cristãos.” É através da prática do amor que as pessoas conhecerão os verdadeiros discípulos do Senhor. “Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos. Se vos amardes uns aos outros (João 13: 35).”

A QUE “MAR” ESTAMOS CONDUZINDO A NOSSA VIDA?
Enquanto o “Mar Morto” não tem vida, pois o mesmo somente “recebe” e nunca “dá”, o “Mar de Vida” recebe ao Senhor, entrega sua vida, enche-se do Espírito e, continuamente, compartilha o amor de Cristo.
Que o “Pão nosso” de cada dia (espiritual, emocional e material) possa ser repartido diariamente com o nosso próximo, para que possamos experimentar a transformação do “Mar Morto” para o“Mar de Vida”. Cristo é a nossa vida, nosso exemplo de caráter, de obediência, de amor a Deus e ao próximo, que lavou os pés dos discípulos, é o nosso maior exemplo de servo, que não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida por amor a nós. “Nisto conhecemos o amor, em que Cristo deu a sua vida por nós; e devemos dar nossa vida pelos irmãos (I João 3:16).”
Seguindo o exemplo dos verdadeiros cristãos, que “perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações (Atos 2:42)”, todo dia é dia de compartilhar, de distribuir, de dar, de doar, de receber e de entregar para que tenhamos vida. “Quem crer em mim, como diz a Escritura, fluirão rios de água viva (João 7:38).” Que Jesus Cristo possa nos inundar como uma fonte de água viva, para que por onde passarmos, em todo tempo, possamos refleti-lo em tudo e para todos. Amém.

http://comunidademdacruz.blogspot.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço e será um prazer receber seu comentário que depois de aprovado será publicado.