sábado, 25 de janeiro de 2014

ASSEMBLÉIAS DE DEUS: ACORDEM!

      O crescente número de mulheres que estão sendo ordenadas para o ministério é um claro sinal de que a apostasia final já começou. Por muitos anos, somente elementos marginais dentro do pentecostalismo permitiam que elas doutrinassem, porém aquilo que começou como uma gota está agora se transformando em uma enxurrada. A Assembléia de Deus do Distrito Federal na pessoa do Sr. Sóstenes Apolos, homem teologicamente desnutrido, aderiu a apostasia da ordenação de mulheres ao oficialato eclesiástico. A enganação está aumentando e muitas ovelhas de Deus estão sendo enganadas por charlatães disfarçados de ministros do evangelho. Homens réprobos e saqueadores da sã doutrina. À semelhança de Israel, outros pastores da Assembléia de Deus engodados no “evangelho de goma de mascar”, estão causando o erro do povo “Os opressores do meu povo são crianças, e mulheres dominam sobre ele; ah! povo meu os que te guiam te enganam, e destoem o caminho das tuas veredas” (Is 3:12. Esses réprobos assembleianos fazem o jogo das mulheres mandonas e pregam comichões nos seus ouvidos. Eles morrem de medo das Jezabéis da igreja, por isso eles perguntam a elas o que elas querem que a igreja faça, ou seja, o importante é administrar interesses. Esses corruptos de entendimento pregam sobre Elias, mas não fazem o que Elias fez, nem deixam Elias pregar em seus púlpitos.
      O espírito de Jezabel é aquele espírito Satânico que faz com que uma mulher domine sobre o homem. Há um ódio infernal contra a autoridade masculina. Esse espírito começou a caminhar a passos largos na Assembléia de Deus iniciando pelo Distrito Federal. O espírito de Jezabel é anti-pai e anti-Deus, o Pai.
As motivações que levam a ordenação de mulheres a pastoras não são fruto da investigação bíblica, mas sim, o resultado da influência do movimento feminista. Em nenhuma parte do Antigo Testamento uma única ocorrência será encontrada em que uma mulher serviu como sacerdotisa. O sacerdócio e o serviço no Tabernáculo/Templo eram vedados às mulheres e essa proibição nunca foi questionada durante o Antigo Testamento. No Egito, Babilônia e outros povos pagãos havia sacerdotisas. Isso para os judeus, que muitas vezes se identificavam com práticas pagãs, não deveria ser escandaloso terem sacerdotisas em seus templos. Contudo, é inexistente qualquer referência à sacerdotisa no templo do povo de Deus o que nos leva a concluir que não era por causa da mentalidade da época que não havia sacerdotisas nos templos judaicos, mas sim, e unicamente por razões de ordem divina. No Novo Testamento, pastores e diáconos eram exclusivamente homens. Cada um foi chamado e indicado pelo Espírito Santo. As qualificações deles são encontradas em I Timóteo 3:1-13 e Tito 1: 5-9. Portanto, mulheres pastoras é um oximoro espiritual e aqueles que estão sendo enganados por ele não são espiritualmente sábios. Vale salientar que a ordenação feminina ao pastorado é filha do triângulo amoroso entre Liberalismo Teológico, Feminismo e Filosofia unissex. O Liberalismo Teológico se esforça em adaptar a Bíblia aos movimentos culturais seculares e adota como hermenêutica a interpretação alegórica distorcendo textos literais das Escrituras como desculpa de contextualização cultural. O feminismo segue o mesmo modelo do Liberalismo Teológico, ou seja, faz uma releitura deturpada dos textos bíblicos que falam dos papéis das mulheres e dos homens a partir de uma perspectiva amoldada ao humanismo. A filosofia unissex procura deliberadamente acabar com as diferenças naturais entre sexos promovendo uma nova moralidade antibíblica, pois nada pode ser de si mesmo qualificado de errado.
Diante do exposto, como podem aqueles que defendem o ministério feminino explicar o fato de que, durante séculos da história da igreja, não há nenhuma evidência suficientemente considerável de mulheres sendo compelidas ao chamado pastoral? Se Deus designou mulheres para servir no sacerdócio, por que somente depois dos efeitos políticos do Movimento de Libertação da Mulher, houve de fato um ímpeto nessa direção? Será que Deus estava apenas esperando por essa mudança de posição da sociedade para desobstruir o caminho liberando o oficialato eclesiástico para as mulheres? Francamente é difícil compreender um crente piedoso e amante da sã doutrina se deixar levar por tamanha apostasia!
A obediência é o grande segredo de toda a devoção. A fonte de todo o mal desde o princípio tem sido a vontade independente. Onde quer que haja insubordinação haverá pecado e Deus é desonrado. Aceitar a consagração de mulheres ao pastorado é desacato, insolência e insubordinação à autoridade da Palavra de Deus. Pastores da Assembléia de Deus, amantes da Palavra, unam-se e levantem-se contra a apostasia da ordenação feminina. Rejeitem a doutrina dos Himeneus, dos Alexandres Latoeiros, dos Dimas, dos Filetos e dos Janes e Jambres. Rejeitem aqueles que confessam a Deus, mas negam-no com as suas obras sendo abomináveis e desobedientes. Rejeitem aqueles que deixando o caminho direito, erram seguindo o caminho de Balaão que amou o prêmio da injustiça. Rejeitem aqueles cuja boca diz coisas mui arrogantes, admirando as pessoas por causa do interesse. Rejeitem aqueles que se apascentam a si mesmos sem temor sendo como árvores murchas, infrutíferas, desarraigadas. Rejeitem os fraudulentos que se transfiguram em apóstolos de Cristo. Rejeitem os pastores-cães cuja palavra corrói como gangrena. Pastores da Assembléia de Deus, amantes da Bíblia, retenham firme a fiel Palavra, que é conforme a doutrina, para que sejais poderosos, tanto para admoestar com a sã doutrina como para convencer os contradizentes. Sugiro que leiam no meu blog meu artigo “Mulheres Pastoras: Espírito de Anarquia”.

Ir. Marcos Pinheiro

Fonte: http://voltemosraizes.blogspot.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço e será um prazer receber seu comentário que depois de aprovado será publicado.