sábado, 30 de novembro de 2013

A Falsa Sensação de Salvação

Digo-vos que assim haverá alegria no céu por um pecador que se arrepende, mais do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento. Lucas 15:7

      Não se engane com ela, muitos estão enganados ainda que participando da vida ativa de uma denominação sem contudo saberem, que jamais experimentaram a verdadeira salvação. O texto acima, nos mostra a situação em que ocorre alegria no céu pelo pecador arrependido, mas mostra o engano dos que são justos aos seus próprios olhos. Disto concluímos, que todo verdadeiro justo tem que ter passado pela experiência do arrependimento. Veja este exemplo, certo pastor recebeu um casal que estava amasiado a um longo tempo, certo dia este casal apareceu na igreja e depois de um certo tempo decidiram se casar conforme manda a lei do país e a pedido do pastor. Aquele pastor inexperiente me disse alegre que aquele casal iria se casar e portanto, participar normalmente dos cultos, pois na sua visão eles passaria a ser crentes e teriam cumprido o necessário para serem chamados membros da igreja de Cristo. Após ouvir este pastor eu lhe perguntei sobre o arrependimento do casal e sobre todo aquele tempo de fornicação que eles mantiveram por longo tempo antes do casamento, e se o fato deles se consertarem com a lei dos homens seria o mesmo que se consertarem com Deus! E para minha surpresa, percebi que aquele pastor não tinha resposta nem tampouco conhecimento suficiente sobre esta questão. É claro que eu lhe disse sobre a sua responsabilidade diante de Deus para com aquelas almas, como pastor ele tinha a obrigação de ter o mínimo de preparo para estas questões. Posteriormente lhe orientei que ele devia fazer um estudo bíblico com aquele casal, e leva-los ao arrependimento, pois só o arrependimento era o ponto de partida para que aquela mancha fosse apagada da vida daquele casal. Quero antes de prosseguir, que cito o caso dos amasiados porque é muito comum hoje em dia, mas deixo bem claro meu respeito as pessoas que estão nesta situação e que de maneira nenhuma estou desconsiderando-os em sua dignidade como cidadãos que são, mas na área espiritual, é obrigação de nós cristãos orientar uns aos outros e principalmente os que estão sob nossos cuidados. Este é o estado de muita gente dentro dos templos, pessoas que cumprimentamos como irmãos em Cristo, mas que jamais experimentaram a verdadeira salvação, pois para ser salvo implica em nascer da água e do espírito conforme diz as Escrituras Sagradas. E para o nascido de novo, é imprescindível o arrependimento. Arrependimento do que? De todos os pecados e erros do passado, de todos objetivos e planos do passado ou presente contrários a direção de Deus, arrependimento do homem ou mulher que você é ou que foi, do filho ou filha que você é ou que foi, arrepender-se dos maus tratos com pessoas e animais, do mau funcionário que você foi ou que você é, daquela ação que você moveu contra seu patrão sem ter direito, do imposto sonegado, arrepender-se de seus maus procedimentos do passado e talvez do presente, do adultério, da prostituição, da lascívia, de pecados sexuais de toda espécie, deste namoro pecaminoso que você manteve ou mantém, dos pecados da língua, da falta de comunhão com seus irmãos na fé, dos sites pornográficos que você já visitou, das novelas sujas que você assistiu ou que assiste, das mentiras que você professou em nome do Espírito Santo, das críticas ou das ofensas ao seu pastor e a seus irmãos na fé ou seja quem lá que for, se arrepender das ofensas ao seu esposo ou esposa ou filhos, visinhos e por aí vai, das piadas de mau gosto, de seu mau comportamento na hora do culto, dos pecados ocultos, escondidos ou conhecidos, e os resto você procure se lembrar. Meu dileto leitor, disto tudo que eu disse, o que quero dizer é que sem o verdadeiro arrependimento, não há remissão dos pecados, não há novo nascimento, não há nome escrito no livro da vida. O arrependimento é mudança de direção, abandono de pecado, mudança de mente. A diferença entre arrependimento e remorso é que no arrependimento há abandono de pecado, e no remorso apenas tristeza emocional. O arrependimento se caracteriza por uma profunda convicção de pecado contra os princípios de Deus. Como exemplo desta convicção de pecado eu cito aqui o que aconteceu com Jô quando ele narra sua experiência no capítulo 42:5-6 quando ele diz: Com o ouvir dos meus ouvidos ouvi, mas agora te vêem os meus olhos. Por isso, me abomino de me arrependo no pó e na cinza. Jô narra sua profunda convicção de pecado e decidiu se arrepender, mas não só isto, ele sentiu no mais profundo de sua alma a necessidade de se arrepender diante da santidade de um Deus tão terno, santo e glorioso. Da mesma forma cito a experiência de Isaías quando ele narra no capítulo 6:5, quando disse: Então, disse eu: ai de mim, que vou perecendo! Porque eu sou um homem de lábios impuros e habito no meio de um povo de impuros lábios; e os meus olhos viram o rei, o SENHOR dos Exércitos! Note a profunda convicção de pecado diante de um Deus tão especial e santo. Todo verdadeiro arrependido, tem após a convicção de pecado, uma profunda necessidade de se purificar, de se limpar, como se fosse uma forte sede, mas no caso do pecado, esta sede só pode ser matada com a redenção pelo sangue de Cristo.  Nos dois casos Deus os perdoou, porque viu quebrantamento e arrependimento em seus corações. Bem, espero com este pequeno artigo, ter contribuído para que você tenha esta experiência tão necessária para sua vida. Lembre-se que todos nós precisamos orar e pedir a Deus que revele a nossa condição e nos conduza a pedir-lhe perdão. Quebrantamento de coração e humildade é mais que necessário para que Deus possa operar em nós a salvação. Pense nisto e que a Palavra de Deus te guie na direção correta.

Adalberto Pimentel da Silva

Discípulo de Jesus Cristo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço e será um prazer receber seu comentário que depois de aprovado será publicado.