terça-feira, 15 de outubro de 2013

Lição 3 - Trabalho e Prosperidade

LIÇÕES BÍBLICAS - 4º Trimestre de 2013 - CPAD - Para jovens e adultos
Tema: Sabedoria de DEUS para uma vida vitoriosa - A atualidade de Provérbios e Eclesiastes.
Comentário: Pr. José Gonçalves
Complementos, ilustrações, questionários e vídeos: Ev. Luiz Henrique de Almeida Silva
Questionário
NÃO DEIXE DE ASSISTIR AOS VÍDEOS DA LIÇÃO ONDE TEMOS MAPAS, FIGURAS, IMAGENS E EXPLICAÇÕES DETALHADAS DA LIÇÃO
http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm
 
 
TEXTO ÁUREO
"A bênção do Senhor é que enriquece, e ele não acrescenta dores" (Pv 10.22).

VERDADE PRÁTICA
A Bíblia condena a inércia e a preguiça, pois é através do trabalho e da bênção de Deus que prosperamos.  

LEITURA DIÁRIA
Segunda - Pv 10.22 A bênção do Senhor prospera
Terça - Pv 3.9,10 A generosidade gera prosperidade
Quarta - Pv 3.13-15 O conhecimento gera prosperidade
Quinta - Pv 22.13; 24.3 4A preguiça afasta a prosperidade
Sexta - Pv 24.30 A preguiça gera displicência
Sábado - Pv 30.25 Poupar também é prosperar

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE - Provérbios 3.9,10; 22.13; 24.30-34
9 Honra ao SENHOR com a tua fazenda e com as primícias de toda a tua renda;10e se encherão os teus celeiros abundantemente, e trasbordarão de mosto os teus lagares.
13 Diz o preguiçoso: Um leão está lá fora; serei morto no meio das ruas.
30 Passei pelo campo do preguiçoso e junto à vinha do homem falto de entendimento; 31 e eis que toda estava cheia de cardos, e a sua superfície, coberta de urtigas, e a sua parede de pedra estava derribada. 32 O que tendo eu visto, o considerei; e, vendo-o, recebi instrução. 33 Um pouco de sono, adormecendo um pouco, encruzando as mãos outro pouco, para estar deitado, 34 assim sobrevirá a tua pobreza como um ladrão, e a tua necessidade, como um homem armado.
 
DEUS é trabalhador - Jesus disse: “Meu Pai trabalha até agora, e eu trabalho também” (João 5:17)
Só há verdadeira prosperidade quando há verdadeiro trabalho.
Só há verdadeiro trabalho quando DEUS está em primeiro lugar na vida do trabalhador.
O primeiro homem já aprendeu desde sua criação que deveria trabalhar.
Gêneses 2:15: “Tomou, pois, o Senhor Deus o homem, e o pôs no jardim do Éden para o lavrar e guardar
Marcos 6.3 Não é este o carpinteiro, filho de Maria, e irmão de Tiago, e de José, e de Judas e de Simão? e não estão aqui conosco suas irmãs? E escandalizavam-se nele. (grifo nosso).
Isaías 53.3 Era desprezado, e o mais rejeitado entre os homens, homem de dores, e experimentado nos trabalhos; e, como um de quem os homens escondiam o rosto, era desprezado, e não fizemos dele caso algum. (grifo nosso).
Efésios 6:7-8 - Sirvam aos seus senhores de boa vontade, como servindo ao Senhor, e não aos homens, porque vocês sabem que o Senhor recompensará cada um pelo bem que praticar, seja escravo, seja livre.

1 Coríntios 3:8 O que planta e o que rega têm um só propósito, e cada um será recompensado de acordo com o seu próprio trabalho.
1 Tessalonicenses 2:9 Irmãos, certamente vocês se lembram do nosso trabalho esgotante e da nossa fadiga; trabalhamos noite e dia para não sermos pesados a ninguém, enquanto pregávamos o evangelho de Deus a vocês.
 Atos dos Apóstolos 20:35Em tudo o que fiz, mostrei a vocês que mediante trabalho árduo devemos ajudar os fracos, lembrando as palavras do próprio Senhor Jesus, que disse: 'Há maior felicidade em dar do que em receber' ". 
2 Tessalonicenses 3.10 Porque, quando ainda estávamos convosco, vos mandamos isto, que, se alguém não quiser trabalhar, não coma também.
 
HONRA AO SENHOR COM A TUA FAZENDA. Os israelitas traziam ao Senhor DEUS a primeira porção das suas colheitas, como reconhecimento de que Ele era o dono da terra (Lv 23.10; 25.23; Nm 18.12,13). Nós, também, devemos dar a DEUS as primícias da nossa renda a fim de honrá-lo como Senhor da nossa vida e das nossas posses. Deste modo, DEUS abrirá o caminho para derramar sobre nós as suas bênçãos (ver Ml 3.10; 2 Co 9.6). "Aos que me honram honrarei" (1 Sm 2.30) é a promessa de DEUS a todos que contribuem para a sua obra, fiel e generosamente, com suas finanças.
UM LEÃO ESTÁ LÁ FORA. As pessoas sem fé sempre enxergam o tamanho do problema e do inimigo, mas os que têm fé enxergam o tamanho do seu DEUS e sabem que ELE os ajudará a vencer todas as lutas. A bíblia nos orienta a nos esforçarmos e termos bom ânimo (Js 1.9; 2 Ts 3.8-10), ao contrário do que faz o preguiçoso.
 
Honra ao Senhor com os teus bens (tua fazenda), e com as primícias de toda a tua renda.
A reverência devida a Deus leva ao reconhecimento de que é o Senhor de tudo, e então somos atraídos a honrá-lo com os nossos bens e com a nossa renda. Esta doutrina está em conformidade com Mal. 3:10 e 1I Cor. 9, bem assim com a parábola dos talentos e a das minas. A doutrina do dizimo e das primícias era preceito muito sério entre os hebreus. Podiam estar errados muitas vezes, mas nos pagamentos devidos ao Senhor eram pontuais, inclusive na remissão de todos os primogênitos de animais ditos impuros. Os primeiros frutos da terra eram trazidos ao templo para os sacerdotes, assim como os dízimos do azeite, do vinho, do trigo e de tudo quanto colhiam, sendo entregues ao mordomo para sustento dos mesmos. Quando os hebreus negligenciavam essa doutrina, os sacerdotes tinham de ir para as suas chácaras, cultivar a terra para comerem.
A verdade é que os crentes devem temer ao Senhor em primeiro lugar, para então entregar-lhe os dízimos e as ofertas. Se, porém, não temem ao Senhor, não lhe pagam nada. É isso que acontece com 70% dos crentes; não temem a Deus e nada levam à sua casa. Será que isso ficará assim mesmo? Não, não ficará. O verso seguinte diz: E se encherão fartamente os teus celeiros e transbordarão de vinho os teus lagares. É fartura sempre ausente nas casas dos faltosos. Não há crente que prospere roubando a Deus, como não há crente empobrecido quando dizima a sua renda Agora todo brasileiro é obrigado a pagar 15% e até muito mais, conforme a sua renda, para o governo. Não pague, para ver uma coisa. Mas em roubar a Deus nada acontece; Deus não vem cobrar, como pensam os tais, e então podem ficar devendo. Este autor acha que Deus não perdoa. Mais dia menos dia, ele vem buscar o seu, de um modo ou de outro; e, não fora assim, de nada valeria a promessa. Uma virada ao Antigo Testamento ajudaria muito os crentes desobedientes e incrédulos nessa doutrina (ver Deut. 26:1-15 e referências). O Senhor, que ordenou a doutrina do dizimo e das primícias, é o mesmo que exige em Provérbios, honra a Deus com os teus bens e com toda a tua renda.
 
 
Honra ao Senhor com os teus bens.
Deixando para trás as considerações sobre o que ajuda a boa saúde, de súbito são oferecidos dois versículos sobre o uso correto das riquezas. Se um homem honra ao Senhor cumprindo as leis concernentes aos dízimos, às ofertas, à ajuda aos pobres, coisas requeridas pela lei, então esse homem pode esperar corretamente ter bênçãos materiais e prosperar. É dando que recebemos. Essa é uma lei espiritual que opera o tempo todo. Os que experimentam esse método descobrem que ele é funcional. Essa é uma lei espiritual que homens tementes a Deus têm descoberto ser válida em todas as épocas (Charles Fritsch, in loc.). É um aspecto da Lei Moral da Colheita segundo a Semeadura. Os judeus piedosos traziam as primícias de suas plantações ao templo de Jerusalém, para serem usadas pelos sacerdotes e pelos levitas como forma de exprimir sua gratidão a Yahweh, que lhes dera boa colheita (Deu. 26.1-3,9-11). A recompensa antecipada para quem cuidasse das realidades espirituais era ter celeiros cheios de grãos e armazéns repletos de bons vinhos. 
Buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas. (Mateus 6.33)
Cf. Mal. 3.9-12, onde são feitas promessas semelhantes aos que pagassem os dízimos. Ver também Ageu 1.6,9,13; 2.15-19 e I Reis 17.10-16.
Transbordarão de vinho os teus lagares. Um lagar era um dispositivo simples que consistia em duas partes. Na parte superior havia a prensa (no hebraico, gath), onde eram pisadas as uvas. E na parte inferior (no hebraico, yeqebh) se recolhia o suco. Portanto, o homem que dá, terá grande abundância de uvas para pisar, e assim poderá recolher imensa quantidade de suco de uva.
O serviço que prestamos a outras pessoas é, realmente, o aluguel que pagamos pelo nosso espaço nesta terra. Um homem é um viajante, pelo que ter e manter não é o lema da vida. Pelo contrário, esse lema é dar e servir. Não há outro significado para a vida.
 
MORDOMIA CRISTà
Há uma grande diferença entre POSSE e MORDOMIA:
DEUS é o possuidor de todas as coisas (Gn 14.19-22; Sl 24.1; 50.1-12; 68.19; 89.11; Ag 2.8).
Enquanto Mordomia implica que não somos donos; somos apenas mordomos responsáveis que devem prestar contas (Mt 25.14-30;
Lc 19.11-26). Temos diferentes relações entre dono-mordomo:
a) Vida, o que recebemos (Gn 1.27-28; At 17.25; Tg 1.17).
b) Tempo, o que nos foi outorgado (Pv 24.30-34); Sl 90:12).
c) Talentos, o que nos foi dado para usar (Mt 25.14-30).
d) Possessões, o que nos é confiado (Mt 6.19-21; Co 3.1- 2).
e) Finanças, o que ganhamos com o nosso trabalho (I Co 16.1-2).
Para sermos um bom mordomo são necessários os requisitos:
a) Fidelidade (I Co 4.1-2).
b) Disposição a receber ensino (Sl 27.11).
c) Desejo de servir as pessoas (Rm 12.10-13).
d) Um coração de servo (Gl 5.13). 

e) Disposição para dar (Lc 6.38). 
 
PRINCÍPIOS DO DAR 
a) Dar-nos primeiramente ao Senhor (II Co 8.5).
b) Dar de boa vontade (II Co 8:3-12).
c) Dar com alegria (II Co 9:7).
d) Dar com generosidade, com liberalidade (II Co 8.2; 9.13).
e) Dar proporcionalmente (II Co 9.6; 8.14-15).
f) Dar regularmente (I Co 16.1-2).
g) Dar sistematicamente (II Co 9.7).
h)Dar com amor (II Co 8.24).
i) Dar com gratidão (II Co 9.11-12).
j) Dar como ministração ao Senhor e seus santos (II Co 9.12- 13). 
DESTAQUE: O que dá pela LEI, dá por obrigação. O que dá por AMOR, dá por prazer. Louvado seja DEUS. 
 
Seguem algumas observações a respeito do preguiçoso, em figura ridícula, tantas vezes repetida nos provérbios. Passei Pelo campo do preguiçoso o eis que tudo estava cheio de espinhos... (v. 31). Só o trabalho constrói; a preguiça é uma doença que tudo destrói. Para ridicularizar o preguiçoso, o sábio diz que passou pelo seu campo e tudo estava cheio de mato e espinhos, e o muro da divisa, arrombado. Isso lhe deu uma oportunidade de dar outra lição, um aforisma (Ditado rico de sentido e conciso que exprime um princípio) interessante:
"Um pouco para dormir, um pouco para tosquenejar, Um pouco para cruzar os braços, em repouso, Assim sobrevirá a tua pobreza como um ladrão" (vv. 33 e 34).
Como o açoite para o preguiçoso, não há coisa melhor, porque um pouco disto - e um pouco daquilo, lá se vai a fazenda do homem que não trabalha. Quantos terão usado este aforisma nas suas ilustrações?
 
Provérbios 21:25 - O desejo do preguiçoso o mata, porque as suas mãos recusam-se a trabalhar. 
 
1 Tessalonicenses 4.11
e procureis viver quietos, e tratar dos vossos próprios negócios, e trabalhar com vossas próprias mãos, como já vo-lo temos mandado;

 
2 Tessalonicenses 3.6-10
6 Mandamos-vos, porém, irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que vos aparteis de todo irmão que andar desordenadamente e não segundo a tradição que de nós recebeu. 7 Porque vós mesmos sabeis como convém imitar-nos, pois que não nos houvemos desordenadamente entre vós, 8 nem, de graça, comemos o pão de homem algum, mas com trabalho e fadiga, trabalhando noite e dia, para não sermos pesados a nenhum de vós; 9 não porque não tivéssemos autoridade, mas para vos dar em nós mesmos exemplo, para nos imitardes. 10 Porque, quando ainda estávamos convosco, vos mandamos isto: que, se alguém não quiser trabalhar, não coma também. 11 Porquanto ouvimos que alguns entre vós andam desordenadamente, não trabalhando, antes, fazendo coisas vãs. 12 A esses tais, porém, mandamos e exortamos, por nosso Senhor Jesus Cristo, que, trabalhando com sossego, comam o seu próprio pão.
 
3.6 TODO IRMÃO QUE ANDAR DESORDENADAMENTE. Esses que andavam desordenadamente eram desocupados e inimigos do trabalho. Tiravam proveito da

generosidade da igreja (cf. 1 Ts 4.9,10) e dependiam, também, dos irmãos que ganhavam a vida trabalhando normalmente (vv. 6-15). (1) Paulo diz que tais pessoas devem ser disciplinadas mediante a recusa de lhes dar sustento e o privá-los da comunhão da igreja (vv. 6,14). (2) Embora Paulo ensine que se ajude aos verdadeiramente necessitados, ele não ensina, em parte alguma, que se deva dar comida ou dinheiro às pessoas em perfeitas condições físicas de trabalho, que não querem emprego fixo para ganhar a vida (cf. v. 10).

3.12 TRABALHANDO COM SOSSEGO. Os cristãos não devem ser ociosos, mas trabalhar com afinco e constância para ganhar o próprio sustento e o da família, além de ter com que ajudar os necessitados ( 1 Co 16.1; 2 Co 8.1-15; Ef 4.28).

Efésios 4.28 Aquele que furtava não furte mais; antes, trabalhe, fazendo com as mãos o que é bom, para que tenha o que repartir com o que tiver necessidade.
 
Provérbios 12.27 ensina: O preguiçoso não assará a sua caça, mas o bem precioso do homem é ser diligente. Ao pesquisar o sentido dessa passagem e ponderar sobre como diligência é comumente definida, compreendi que ela se assemelha com uma das definições existentes que descreve diligência como “atenção perseverante para os detalhes.” A vida cristã ativa e producente requer diligência.
Provações e dificuldades são inevitáveis, mas perseverando e permanecendo atento aos detalhes, você terá um bem precioso.

Provérbios 26.14 ensina: Como a porta gira nos seus gonzos, assim o preguiçoso na sua cama. Aqui o preguiçoso é visto como uma porta que vai e volta em cima de suas dobradiças sem sair do lugar.
O preguiçoso esconde a mão no seio; enfada-se de a levar à sua boca. Mais sábio é o preguiçoso a seus olhos do que sete homens que bem respondem (Provérbios 26.14-16).
Neste estudo, compreenderemos a preguiça à luz das Escrituras.
No primeiro versículo, vemos que o preguiçoso é uma pessoa que se movimenta de um lado a outro, nunca para frente. Além disso, seu espírito não o deixa lutar por seus ideais. Ele acredita que, um dia, a situação mudará, sem que de fato ele tome alguma atitude.
Dessa passagem bíblica, também podemos entender que o preguiçoso sabe o que tem de ser feito, pois ele chega a meter a mão no prato! No entanto, ele não dá seqüência à batalha, pois não quer ter trabalho– ou pagar o preço – para conquistar a vitória.
O preguiçoso dá conselhos, mas não os segue; ensina aos outros, mas não aprende; sempre olha para trás, porque o caminho de onde vem lhe traz conforto e comodidade.
Abandonemos esse pecado e tenhamos um final feliz!
 
Indolente – A palavra hebraica “asel” quer dizer estúpido, indolente, ser preguiçoso e assim é traduzida em provérbios 6.6,9; 10.26;13.4; 20.4; 26.16 – Pessoa preguiçosa. O caminho do preguiçoso deve ser evitado pelo homem diligente – os seus caminhos são opostos. Provérbios 19.15 – A preguiça faz cair em profundo sono e o ocioso vem a padecer fome.
 
Outra palavra hebraica “rʵmiya”, denota prostração, negligência ou inatividade, mas é traduzida como preguiçoso em Provérbios 12.27. A palavra hebraica “rapha”, preguiçoso ou negligente em Provérbios 18.9 significa deixar (as mãos) caírem por causa de fraqueza, ou tornar-se desanimado.
No Novo Testamento a palavra grega “Nethros” (Hb 6.12) significa indolência ou negligência, e a palavra grega “Okneros” (Mt 26.26; Rm 12.11) é similar, significando indolente, ocioso ou atrasado, o oposto de ser fervoroso de espírito.
 
Provérbios 24.30-34
30 Passei pelo campo do preguiçoso e junto à vinha do homem falto de entendimento; 31 e eis que toda estava cheia de cardos, e a sua superfície, coberta de urtigas, e a sua parede de pedra estava derribada. 32 O que tendo eu visto, o considerei; e, vendo-o, recebi instrução. 33 Um pouco de sono, adormecendo um pouco, encruzando as mãos outro pouco, para estar deitado, 34 assim sobrevirá a tua pobreza como um ladrão, e a tua necessidade, como um homem armado.

 
Passei pelo campo do preguiçoso... Esta sexta nova declaração é, na realidade, um pequeno discurso, um dos significados possíveis da palavra provérbio, conforme usada no livro presente. Diz respeito ao preguiçoso, um tema comum do livro de Provérbios.
A preguiça é fortemente censurada pelos sábios hebreus. Cf. Provérbios 6.6-11. Ver também Provérbios 10.4; 12.24,27; 13.4; 15.19; 18.9; 19.15; 20.4,13 e 21.25.
 
vs. 30. Este versículo atua como introdução ao pequeno discurso.
Na primeira linha, vemos o sábio caminhando pelos campos de um agricultor preguiçoso;
Na segunda linha, sinônima, ele caminha pelo vinhedo de um preguiçoso que não tem bom senso.
Esses dois homens preguiçosos não têm inclinação para o trabalho, e seu local de trabalho vive em um caos total. O sábio sabe que o caos que se vê no campo e no vinhedo é equivalente ao caos na mente do agricultor e do vinhateiro.
Ao preguiçoso (ver Provérbios 19.24) falta bom juízo. Cf. Provérbios 6.32 e 10.13. Ele não estudou a lei de Moisés, ou, se a estudou, desconsidera suas declarações, que comandam o entusiasmo e as ações corretas. As declarações de sabedoria fomentam a lei e dão força a suas demandas. O preguiçoso, porém, é por demais dorminhoco para cuidar das demandas da terra do preguiçoso que é o próprio lazer. Ele espera que outras pessoas supram as suas necessidades.
Este versículo deve ser conferido com Mat. 21.33.
Este discurso tem sido espiritualizado para falar da receptividade espiritual e do trabalho enérgico, em contraste com a indiferença espiritual. Ver Gálatas 5.22,23 quanto à metáfora agrícola.
 
vs. 31. Este versículo combina os campos do agricultor e o vinhedo do vinhateiro.
Os dois lugares estavam nas mesmas condições caóticas. Espinhos e urtigas tinham tomado conta de tudo, enquanto as cercas que marcavam os limites dos terrenos estavam derrubadas. O mestre, entretanto, não viu o homem preguiçoso porque ele estava em sua cabana pequena e suja, dormindo um pouquinho.
Há sete trios nesta seção Provérbios 22.17-24.34; 22.29; 23.5,29 (um trio duplo), 31; 24.14,27,31 , que possui vários modos de apresentação das declarações. Ver sobre isso em Provérbios 22.17.
 
Note o leitor o trio:
1. Espinhos e ervas daninhas medravam por toda a parte, em vez de colheitas.
2. Espinhos chegavam a cobrir o solo, o qual, como é lógico, permanecia sem ser arado.
3. As cercas que assinalavam os limites dos terrenos estavam derrubadas, e isso vinha acontecendo fazia muito tempo.
 
As paredes que serviam de limites eram formadas de pedras soltas e empilhadas, sem cimento e, por isso, se não fossem arrumadas de vez em quando, acabavam tombando no chão” (Fausset, in ioc). O sábio contemplou aquele caos em incredulidade, balançando a cabeça e pensando nas condições caóticas correspondentes no coração do agricultor e do vinhateiro.
 
Vs. 32. O sábio quase não podia acreditar no que via.
Ele continuava contemplando e desacreditando. Porém, sendo um sábio, foi capaz de extrair da cena algo de valor: ele mesmo recebeu instrução. Embora os insensatos não possam aprender dos sábios, os sábios muito podem aprender dos insensatos (Fausset, in Ioc.).
Sinônimo. O homem treinado na lei, que o tornara sábio, tinha impressa em sua mente, graficamente, a insensatez de alguém ser um preguiçoso, e essa é a razão pela qual temos esses versículos à nossa frente, compondo a sexta nova declaração.
O homem bom anotou por escrito esses versículos, e hoje podemos ler e aprender a mesma lição que o mestre aprendeu naquele dia, quando caminhava ao redor. A indolência, o permanecer no leito e descansar, quando é tempo de trabalhar, conduz à pobreza (Sid S. Buzzell, in Ioc).
Considerei. Literalmente, diz o original hebraico, pus nisso o meu coração. Ver Pro. 2.2. O sábio guardou no coração a cena, e dela extraiu uma lição.
 
vs. 33. Este versículo duplica o trecho de Provérbios 6.10 - O preguiçoso dorme a noite inteira, e então, no dia seguinte, descansa por nada haver feito. E novamente se deita; novamente dorme; ele fez do sono o seu objetivo na vida, bem como o seu estilo de vida. Os homens que seguiam esse estilo de vida tinham-se arruinado e lançaram suas terras no caos. Esperamos somente que eles não tivessem filhos.
 
vs. 34. A pobreza cai subitamente sobre o preguiçoso, tal como o ladrão ataca a sua presa (conforme dizem a Revised Standard Version e a tradução da Imprensa Bíblica Brasileira, que substituíram o termo hebraico mithhallekh pelo vocábulo kimehallekh. A primeira dessas palavras significa viajante, sendo usada no trecho paralelo de Provérbios 6.11).
Sinônimo. O homem armado ataca subitamente e sem aviso prévio, e depois faz ainda outra vítima, Ele se enriqueceu, mas suas orações empobreceram proporcionalmente. Um dos significados é que a vítima não pode resistir ao atacante, que está armado. Foi assim que o homem preguiçoso, através de anos de cultivo, criou circunstâncias de pobreza, e algum dia se verá impotente contra a mais abjeta pobreza.
Todos aqueles para quem trabalhei tomaram o caminho de fuga mais fácil. Não estamos lutando por coisa alguma. Somos tão mentalmente preguiçosos, que já poderíamos ser considerados mortos. (Beatie Bryant)
Essa senhora nunca trabalhou para mim. Ela, entretanto, deve ter sido uma funcionária pública. Verdadeiramente, os empregadores que trabalham para o governo, e seus “empregados”, ajustam-se à descrição dada acima. Ou seja, “muitos deles”, porquanto a filosofia nos ensina que todas as generalizações falham em alguma coisa.
 
INTERAÇÃO
O trabalho é um dom de Deus para a humanidade. Ele eleva a dignidade do homem e a da mulher. Esta, no entanto, conquistou um papel de destaque no mercado profissional. Não se pode ignorar o advento da mulher no mercado de trabalho como elemento revolucionário para o modelo tradicional da família. Hoje, na maioria dos casos, mesmo que a mulher opte por não mais trabalhar fora, o homem não consegue prover a família com o próprio salário. O custo de vida é caro, o salário é pequeno, fazendo com que até os aposentados retornem ao mercado formal do trabalho. O fato é que para prosperarem na vida, tanto o homem quanto a mulher devem trabalhar, trabalhar... É através do trabalho que prosperamos.

OBJETIVOS - Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:

Compreender as quatro metáforas da lição (do celeiro e do lagar, da formiga, do leão e do espinheiro)

Reconhecer a importância e o valor do trabalho.

Saber que a prosperidade é fruto da bênção de Deus, mas de muito trabalho também.

ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA

Prezado professor, reproduza o esquema abaixo na lousa ou tire cópias. Ao concluir a lição de hoje faça uma síntese das metáforas estudadas usando o auxílio do respectivo esquema. Em seguida, afirme à classe que essas metáforas são símbolos lingüísticos empregados pela Bíblia para demonstrar a importância e o valor do trabalho na vida do ser humano.

 
ESBOÇO DO LIVRO DOS PROVÉRBIOS
METÁFORA
SIGNIFICADO
Do celeiro e do lagar
Uma vida abundante em Deus.
Da formiga
O compromisso intenso com o trabalho e a capacidade de se poupar o que ganhou.
Do leão
A concepção equivocada acerca do trabalho.
Dos espinheiros
Ociosidade na vida. A capacidade de não se apresentar qualquer disposição para o trabalho.
 
Resumo da Lição 3 - Trabalho e Prosperidade
I. A METÁFORA DO CELEIRO E DO LAGAR (Pv 3.9,10)

1. A dádiva que faz prosperar.
2. A bênção que enriquece.
II. A METÁFORA DA FORMIGA (Pv 6.6-11)

1. As formigas sabem poupar.
2. As formigas sabem ser autônomas.
III. A METÁFORA DO LEÃO (Pv 22.13; 26.13)

1. Conhecendo o leão.
2. Matando o leão.
IV. O TRABALHO E A METÁFORA DOS ESPINHEIROS (Pv 24.30-34)

1. Trabalho, prosperidade e espiritualidade!
2. Trabalho, ócio e lazer!

SINOPSE DO TÓPICO (1) - O celeiro e o lagar transbordantes são metáforas que representam uma vida abundante.

SINOPSE DO TÓPICO (2) - Na metáfora da formiga o sábio nos exorta a tomarmos uma atitude prudente diante da realidade da vida: trabalhar.

SINOPSE DO TÓPICO (3) - A metáfora do leão torna-se fruto da imaginação do homem, quando este busca um álibi para reforçar a sua inércia.

SINOPSE DO TÓPICO (4) - Apesar de sua importância material, o trabalho é um assunto extremamente espiritual.

VOCABULÁRIO

Alegoria: Modo de expressão ou interpretação que consiste em representar pensamentos, ideias, qualidades sob forma figurada.

Fábula: Narrativa curta, em prosa ou verso, com personagens animais que agem como seres humanos, e que ilustra um preceito moral.

Estrênuo: Que é valente ou que age com valentia; destemido, corajoso.


SAIBA MAIS - Revista Ensinador Cristão - CPAD, nº 56, p.37.
 
Questionário da Lição 3 - Trabalho e Prosperidade
Responda conforme a revista da CPAD do 4º Trimestre de 2013 - Provérbios e Eclesiastes
Complete os espaços vazios e marque com "V" as respostas verdadeiras e com "F" as falsas
 
TEXTO ÁUREO

1- Complete:
"A __bênção__ do Senhor é que __enriquece__, e ele não acrescenta __dores__" (Pv 10.22).


VERDADE PRÁTICA

2- Complete:
A Bíblia __condena__ a inércia e a __preguiça__, pois é através do __trabalho__ e da bênção de Deus que prosperamos.
 
COMENTÁRIO - INTRODUÇÃO

3- Qual a linguagem utilizada para expressar real significado no provérbio bíblico?
(    ) Linguagem metafórica.
 
4- Qual o significado da palavra hebraica machal traduzida em nossas Bíblias como provérbio?
(    ) Parábola, comparação, alegoria.
(    ) Fábula, provérbio, dito enigmático.
(    ) Símbolo, argumentação ou apologia.

I. A METÁFORA DO CELEIRO E DO LAGAR (Pv 3.9,10)

5- Qual a dádiva que faz prosperar, como funciona e o que isso tem a ver com o celeiro?
(    ) Em Provérbios 3.9,10, está escrito que devemos honrar ao Senhor com nossas posses e com o melhor de nossa renda.
(    ) Tal atitude, segundo o sábio, fará com que os nossos "celeiros" se encham abundantemente e que trasbordem de mosto os nossos "lagares".
(    ) O celeiro e o lagar transbordantes são metáforas que representam uma vida abundante!
(    ) O celeiro, tradução do hebraico asam, é o lugar onde se deposita a produção de grãos.
(    ) Quando transbordava era sinal de casa farta!
(    ) Vemos isso nas bênçãos decorrentes da obediência (Dt 28.8).
(    ) Mas o conselho do sábio mostra que isso só é possível quando há generosidade em fazermos a vontade de Deus.

6- O que Salomão fala dos bens e da renda adquiridos como fruto do trabalho?
(    ) A verdadeira prosperidade não vem apenas de nosso esforço, mas principalmente do resultado direto da bênção do Senhor.
(    ) É exatamente isso o que diz o sábio em Provérbios 10.22.

(    ) O celeiro e o lagar somente se encherão e trasbordarão quando a bênção de Deus estiver neles.
(    ) É a bênção divina que faz a distinção entre ter posses e ser verdadeiramente próspero, pois é possível ser rico, mas não ser feliz.
(    ) A prosperidade integral só é possível com a presença de Deus em nossa vida.

II. A METÁFORA DA FORMIGA (Pv 6.6-11)

7- O que podemos aprender com as formigas em Provérbios?
(    ) Na metáfora da formiga, o sábio nos exorta a tomarmos uma atitude prudente diante da realidade da vida: "Vai ter com a formiga".
(    ) A palavra hebraica usada aqui é yalak, e possui o sentido de "mover-se", tomar uma atitude na vida (Pv 6.6)!
(    ) Até os insetos podem nos dar lições sobre o trabalho!
(    ) Mas não é apenas isso que aprendemos com as formigas.
(    ) Ainda em Provérbios, o sábio Agur invoca o exemplo desses pequenos insetos (Pv 30.25).
(    ) As formigas possuem uma noção sofisticada de trabalho: "no verão [elas] preparam a sua comida".
(    ) Isto é, as formigas sabem poupar!
(    ) Elas não apenas trabalham, mas também poupam.
(    ) O cristão deve aprender igualmente a poupar recursos para eventualidades futuras.

8- Qual o contraste entre as formigas e o preguiçoso?
(    ) O texto de Provérbios diz que a formiga, mesmo "não tendo superior, nem oficial, nem dominador, prepara no verão o seu pão; na sega ajunta o seu mantimento" (Pv 6.7,8).

(    ) As formigas também são responsáveis e trabalham sem serem vigiadas.
(    ) O erudito Derek Kidner observa o contraste entre elas e o preguiçoso, quando informa que a formiga não precisa de fiscal, enquanto o preguiçoso precisa ser advertido o tempo todo.
(    ) A formiga discerne os tempos, o preguiçoso não!

III. A METÁFORA DO LEÃO (Pv 22.13; 26.13)

9- Como é a metáfora do leão?
(    ) A metáfora do leão se encontra em duas passagens do livro de Provérbios (22.13 e 26.13).
(    ) Há uma pequena variante nesses provérbios, mas o sentido é o mesmo: o preguiçoso sempre arranja uma desculpa para fugir do trabalho!
(    ) Ora o leão está "lá fora", ora está "no caminho" e ora está "nas ruas!".
(    ) O leão é o mais forte dos animais, e a sua presença causa medo.
(    ) O fato de o preguiçoso ver o trabalho como um leão significa que ele o encara como uma realidade difícil de ser enfrentada.
(    ) Tem medo do trabalho, assim como tem medo do leão!
(    ) É desnecessário dizer que essa é uma visão completamente equivocada do labor.

10- Como matar o "leão"? Complete:
Há alguns provérbios populares que expressam um sentido semelhante aos provérbios estudados acima. Por exemplo: "a vida é __dura__ para quem é mole"; "matando um __leão__ por dia". Tais ditos populares revelam que a vida pode ser difícil, dura, mas tem de ser enfrentada. Não adianta ficar com medo do __leão__! O pastor Matthew Henry observa que esse "leão" é fruto da imaginação do __preguiçoso__ e só serve para reforçar a sua inércia. Se há um leão lá fora, é o leão do qual falou o apóstolo Pedro, e ele está rugindo em busca de quem possa devorar (1 Pe 5.8). O __preguiçoso__ será a sua principal presa!

IV. O TRABALHO E A METÁFORA DOS ESPINHEIROS (Pv 24.30-34)

11- Qual a relação entre o trabalho, a prosperidade e a espiritualidade?
(    ) Já vimos que o trabalho possui também uma dimensão espiritual (Pv 3.9).
(    ) Isso vai de encontro àquilo que pensa o senso comum acerca do trabalho.
(    ) A ideia que ficou associada ao trabalho é a de que ele é algo meramente material e totalmente destituído de valor espiritual.
(    ) Mas não é assim que pensa o sábio (Pv 24.30).
(    ) Quando ele viu o campo do preguiçoso totalmente abandonado, cheio de espinheiros, a primeira sensação que teve foi de um "homem falto de entendimento".

(    ) É interessante observarmos que, no hebraico, essa expressão vem carregada de valores espirituais.
(    ) A palavra hebraica usada para "entendimento" é leb, significando coração, entendimento e mente.
(    ) A ideia é mostrar o que há no interior do homem: a espiritualidade.
(    ) Andrew Bowling, especialista em hebraico bíblico, destaca que esse vocábulo é usado para indicar as funções imateriais da personalidade humana.
(    ) Portanto, o trabalho é algo extremamente espiritual.
(    ) Ninguém será menos crente porque trabalha, aliás, a verdade é justamente o contrário (Ef 4.28; 2 Ts 3.10)!

12- Qual a distinção entre trabalho, ócio e lazer!
(    ) A análise do sábio sobre a inércia do preguiçoso, que favoreceu o nascimento de espinheiros dentro da plantação, é uma forma de ironizar o ócio dele (Pv 24.33,34).
(    ) Não dá para prosperar mantendo-se de braços cruzados, e muito menos ficando eternamente em repouso!
(    ) É preciso se mexer.
(    ) Todavia, esse é apenas um aspecto da questão, pois quem trabalha precisa de descanso e também de lazer!
(    ) Deus criou o princípio do descanso semanal (Gn 2.2).
(    ) Precisamos, inclusive, de tempo livre para estarmos a sós com Deus e com a nossa família.

CONCLUSÃO

13- Complete:
O trabalho __dignifica__ o homem e é por isso que devemos levá-lo a sério. Trabalhando, alcançaremos a verdadeira e bíblica __prosperidade__. Essa recomendação é valida também para os obreiros, pois se não tiverem cuidado, acabarão por mergulhar numa __inércia__ pecaminosa. Não devemos, todavia, nos fazer __escravos__ do trabalho. Devemos estar disponíveis também a __cultuar__ a Deus, cuidar de nossa família e, com ela, recrear-nos. Enfim, se nos dedicarmos ao trabalho, conforme recomenda-nos a Bíblia, teremos uma vida __digna__ e tranqüila na presença de Deus.
 
RESPOSTAS DO QUESTIONÁRIO EM http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm 
 
AJUDA
CPAD - http://www.cpad.com.br/ - Bíblias, CD'S, DVD'S, Livros e Revistas. BEP - Bíblia de Estudos Pentecostal.
VÍDEOS da EBD na TV, DE LIÇÃO INCLUSIVE - http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm
BÍBLIA ILUMINA EM CD - BÍBLIA de Estudo NVI EM CD - BÍBLIA Thompson EM CD.
Peq.Enc.Bíb. - Orlando Boyer - CPAD
Bíblia de estudo - Aplicação Pessoal.

Comentário Bíblico Beacon, v.5 - CPAD.
GARNER, Paulo . Quem é quem na Bíblia Sagrada. VIDA
CHAMPLIN, R.N. O Novo e o Antigo Testamento Interpretado versículo por Versículo. (CPAD)
STAMPS, Donald C. Bíblia de Estudo Pentecostal. CPAD
O NOVO DICIONÁRIO DA BÍBLIA – Edições Vida Nova – J. D. Douglas
Dicionário Bíblico Wycliffe - Charles F. Pfeiffer, Howard F. Vos, João Rea - CPAD.
Dicionário Vine antigo e novo testamentos - CPAD.
25 Maneiras de Valorizar as Pessoas - Autores: João C. Maxwell & Les Parrott, PH. D. - Editora: SEXTANTE

http://www.gospelbook.net
www.ebdweb.com.br
http://www.escoladominical.net
http://www.portalebd.org.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço e será um prazer receber seu comentário que depois de aprovado será publicado.