domingo, 22 de setembro de 2013

Oração e Vigilância (Pratica do Evangelho)

Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; na verdade, o espírito está pronto, mas a carne é fraca. Mateus 26:41.
      Escrevo este artigo com o desejo de que ele leve o leitor a uma reflexão sobre estas duas necessidades básicas da vida daqueles que se consideram filhos de Deus. Antes, digo que tomo para mim mesmo todas estas palavras como advertência.  
      Oração e vigilância são mandamentos que Deus nos ordena até mesmo para nos proteger nestas horas tão difíceis que passa a humanidade. O mundo está cada vez pior e a tentação cada vez mais forte. A tentação ocorre de várias formas, seja a tentação das riquezas, a tentação pela fama, a tentação sexual, a tentação louca que escraviza e leva a cobiça das drogas, alcoolismo, a tentação de se obter poder seja em qualquer esfera da política ou qualquer outra fonte de poder oferecido neste mundo e até mesmo na igreja. A tentação se intensifica cada vez mais, lemos uma advertência sobre isto em Apocalipse 3:10 (como guardaste a palavra da minha paciência, também eu te guardarei da hora da tentação que há de vir sobre todo o mundo, para tentar os que habitam na terra. Deus é tão maravilhoso que nos avisa sobre estas coisas, Ele não nos deixa desamparados. As formas e as fontes das tentações estão aí bem nítidas para que todos vejam, mas infelizmente muitos são seduzidos por ela. Deus prometeu também estar junto conosco e sempre nos proteger e ajudar a todos que a Ele recorrer porem, estas coisas não acontecem como num passe de mágica, o que existe é que Deus só pode fazer isto se o homem que vem a Ele, se propõe a ouvi-lo e obedecê-lo e fazer também a sua parte. É uma decisão de ambas as partes e não somente de Deus. Quanto a vigilância, como se pode vigiar sobre algo que não existe ou não se conhece as regras? Não existe limite quando não se há regras, mas quanto ao Reino de Deus é diferente, existem regras bem claras que nós podemos chamar de Conselho de Deus (Atos dos Apóstolos 20:27). Ele deixou regras e viver fora destas regras é andar por caminhos perigosos cujo fim levará quem por eles trilham a perdição eterna. Será que estamos mesmo vigiando?    

      Será que devemos orar para que Jesus volte para arrebatar a igreja ou devemos orar para que Ele não venha agora sob perigo de muita gente que estão dentro das igrejas não estarem preparados? É triste, mas vemos dentro das igrejas pessoas que não apresentam o menor vestígio de terem experimentado a regeneração e infelizmente não é só membros, mas obreiros (me refiro de forma geral sem especificar denominações) que ensinam sem jamais estarem preparados para tal ou até mesmo salvos. É verdade como eu já disse que só Deus sabe quem é e quem não é e não devemos julgar visto que isto cabe a Deus, mas em algumas pessoas a falta de regeneração e comprometimento com o evangelho é tão evidente, que só se viramos o rosto para não enxergar tais pessoas. Não é que procuramos observar, mas é que a situação está bem evidente em sua maneira de proceder, ou seja, seus frutos não condizem com os frutos de quem foi regenerado pelo poder sobrenatural de Deus através de sua Palavra. É importante lembrar que não somos salvos porque praticamos usos e costumes, porque fomos batizados, porque fazemos parte de um ministério, porque temos dons, em fim, não é pelas obras, mas porque conhecemos a grandeza e a santidade de Deus, conhecemos a sua Palavra, conhecemos seus juízos, conhecemos que carregamos a natureza caída de Adão e Eva, conhecemos que somos pecadores e como tal estamos condenados, nos arrependemos, confessamos e abandonamos o pecado premeditado e pela fé despertada pelo evangelho, aceitamos a oferta de Cristo que por meio de sua morte promete salvar todo aquele que Nele crer como salvador. Ser salvo é aceitar que não há nada, nada, nada em nós capaz de nos livrar da morte eterna, mas que pela fé em Cristo somos beneficiados pela sua morte no calvário. Tentar se salvar por si próprio ou pelas obras é negar o sacrifício de Cristo no calvário. Meu dileto leitor, Cristo morreu a nossa morte e por podemos ter vida. Receba vida pelo evangelho de Cristo, pois sem esta vida você permanece embaixo de maldição.

      Vigiar, é aprender, entender, meditar e praticar a Palavra de Deus, pois é Ela que nos dá direção segura e assim estaremos protegidos por Deus. Quanto a oração, há muitos livros e ensinos sobre oração, há muito incentivo em algumas igrejas para com a oração e isto é bom, tendo em vista que a oração é a forma de se relacionar e ser ouvido por Deus, mas o que está errado então? É que na prática a situação é outra. São muitos poucos na verdade nas igrejas e nos lares, seja em que lugar for, que se dedicam a oração. Na verdade, estamos presenciando uma geração que não gosta de orar. Vemos o aumento de uma geração de pedintes, sem com tudo  estarem dispostos a orar. A teologia da oração é muito difundida e bem ensinada na maioria das igrejas, mas na prática isto não acontece por quê? Creio que é porque o mundo está oferecendo mais, e muitos não estão despertados para isto. Creio também que a oração e o ensino bíblico estão em segundo plano em algumas igrejas em relação ao louvor, e isto, no meu pensar é uma inversão de prioridades na igreja. Uma coisa infelizmente é certa, uma igreja que se dedica mais a oração e a pregação da Palavra, tende a esvaziar-se, porem, se este é o preço a ser pago, porque não pagá-lo? A porta é estreita, engana-se quem pensa que esta grande multidão que frequentam as igrejas está salva ou entrará no Reino do Céu, eu gostaria muito de dizer e estar convicto do contrario, mas quando medito nas Escrituras Sagradas, percebo que a situação é muito séria. Infelizmente já ouvi obreiros e outros irmãos afirmarem que não gostam de ler a bíblia e não gostam de orar, e aí eu pergunto sem querer julgá-los, pode alguém dizer que é salvo, mas, que não gostam de orar e ler a bíblia?  Tenho muita dificuldade em aceitar esta teologia. Creio na verdade, que o evangelho não foi gerado nestas pessoas, creio que elas não nasceram da água e do Espírito, creio que elas se encaixam na situação das virgens sem azeite conforme descreve o capitulo 25:2, creio ainda que quem está nesta situação, pode ser comparado aos que constroem suas casas na areia como descreve o  capitulo 7:26-27 que nos diz: E aquele que ouve estas minhas palavras e as não cumpre, compará-lo-ei ao homem insensato, que edificou a sua casa sobre a areia. E desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e caiu, e foi grande a sua queda.  Neste caso, alguém que diz que não gosta de ler as escrituras poderia estar alicerçado? Não creio nisto. O evangelho é o poder de Deus que opera e faz com que este poder sobrenatural de Deus mude nossa situação corrompida e nos aproxima da verdadeira semelhança que Deus deseja que haja em nós.  Vejamos um outro exemplo de que quem ama o Senhor, medita em sua Palavra: salmo 1 Bem-aventurado o varão que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. 2 Antes, tem o seu prazer na lei do SENHOR, e na sua lei medita de dia e de noite. Será que é possível alguém dizer que é um cristão sem, contudo ter prazer em ler, meditar e praticar os ensinos de nosso Senhor? Em Deuteronômio 8:3, diz: 1 Todos os mandamentos que hoje vos ordeno guardareis para os fazer, para que vivais, e vos multipliqueis, e entreis, e possuais a terra que o SENHOR jurou a vossos pais. 2 E te lembrarás de todo o caminho pelo qual o SENHOR, teu Deus, te guiou no deserto estes quarenta anos, para te humilhar, para te tentar, para saber o que estava no teu coração, se guardarias os seus mandamentos ou não. 3 E te humilhou, e te deixou ter fome, e te sustentou com o maná, que tu não conheceste, nem teus pais o conheceram, para te dar a entender que o homem não viverá só de pão, mas de tudo o que sai da boca do SENHOR viverá o homem. Amigo leitor, Quem pratica o evangelho tem vida, quem não o ama cheira a morte e tem cheiro de maldição, o mundo não pode te satisfazer a não ser passageiramente os prazeres imundos da carne, pois tudo aquilo que é feito fora da salvação ainda que com boas intenções, permanecem embaixo de maldição e não pode agradar a Deus. Você pode dizer que não sente vontade de ler, meditar, aprender e se dedicar ao aprendizado da palavra de Deus e da oração, mas você jamais sentirá qualquer outro prazer fora do evangelho de Cristo. Ele é a fonte que libera poder para salvar e mudar a vida do homem.  Meu querido leitor, crescer na graça e no conhecimento, orar sem cessar, não é um pedido de Cristo para seus discípulos, mas uma determinação, Ele não solicitou, Ele ordenou e, portanto, não se importar o crescimento espiritual, pode ser comparado a um ato de rebelião (Salmos 107:11). Deixo para você responder a si próprio meu prezado leitor.

Pb Adalberto Pimentel da Silva

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço e será um prazer receber seu comentário que depois de aprovado será publicado.