domingo, 7 de julho de 2013

O cristão, os vícios e os jogos

    Com a lassidão dos costumes e o relaxamento constante dos padrões de conduta da sociedade sem Deus, os jogos, os vícios e as diversões e práticas imorais estão sendo legalizados e considerados como coisas normais e naturais.

    As novelas, e os filmes têm sido armas mortais utilizadas por Satanás para acostumar a sociedade e a Igreja com os pecados sexuais e com os jogos modernos. Se lançarmos nossos olhos a quarenta, cinquenta anos atrás, veremos que as mulheres andavam de roupas compridas e os homens de terno, então o que aconteceu? O Diabo foi lançando modas e mais modas e nós fomos vendo, falando, brigando, mas acabamos cedendo à pressão dos novos tempos; DEUS olha e diz: O que era pecado a quarenta anos, continua sendo pecado hoje e o que era bom costume a quarenta anos continua sendo hoje. O que era errado e pecado a 4.000 anos para DEUS continua sendo pecado hoje. Céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não hão de passar Mt 24.35O. Continuemos na luta contra o pecado.

Is 5.8-32 AI DOS QUE... Seis ais (i.e., declarações de julgamento) são proferidos contra seis tipos de pecados:

(1) cobiça egoísta (v. 8);
(2) embriaguez (vv. 11,12);
(3) zombaria de descrença no poder de Deus para julgar o pecado (vv. 18,19);
(4) corrupção dos padrões morais de Deus (v. 20);
(5) arrogância e orgulho (v. 21); e
(6) perversão da justiça (vv. 22,23);
cf. os ais de Cristo contra os hipócritas da religião; ver Mt 23.

Is 28.1,7
1-Ai da coroa de soberba dos bêbados de Efraim, cujo glorioso ornamento é como a flor que cai, que está sobre a cabeça do fértil vale dos vencidos do vinho!
7-Mas também estes erram por causa do vinho e com a bebida forte se desencaminham; até o sacerdote e o profeta erram por causa da bebida forte; são absorvidos do vinho, desencaminham-se por causa da bebida forte, andam errados na visão e tropeçam no juízo.

Isaías descreve a iniquidade de Israel em termos de conduta reprovável e vergonhosa dos israelitas, como resultado do uso de bebida forte (cf. Am 4.1; 6.1,6). Tanto o povo, quanto os líderes religiosos tinham trocado a verdade e a justiça pela imundície e confusão.

Os vícios, inclusive os morais, destroem vidas e famílias.

O ALCOOLISMO À LUZ DA BÍBLIA

1. Doença ou pecado? Os Alcoólicos anônimos têm chamado o alcoolismo de doença porque não conhecem a palavra de DEUS e nem a JESUS CRISTO como libertador; aceitam que as pessoas busquem seus deuses e não buscam ao DEUS verdadeiro que liberta o bêbado no mesmo instante.

Parte de seu programa de tratamento diz: "Raramente vimos alguém fracassar tendo seguido cuidadosamente nosso caminho. Os que não se recuperam são pessoas que não conseguem ou não querem se entregar por completo a este programa simples, em geral homens e mulheres que, por natureza, são incapazes de serem honestos consigo mesmos. Existem pessoas assim. Não é sua culpa; parece terem nascido assim. (É culpa sua sim e é pecado seu sim.) São naturalmente incapazes de aceitar e desenvolver um modo de vida que requeira total honestidade. Suas "chances" são inferiores à média. Existem, também, as que sofrem de graves distúrbios mentais e emocionais, mas muitas delas se recuperam, se tiverem a capacidade de serem honestas".

2. Condenação à bebedice. O alcoolismo é pecado e traz condenação ao homem que a ele se entrega. 1 Co 6.12 Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm; todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma.

TODAS AS COISAS ME SÃO LÍCITAS. Essa declaração é claramente uma citação da falsa teologia dos inimigos de Paulo. Pensavam que tinham o direito de fazer tudo quanto queriam. 6.15 OS MEMBROS DE CRISTO. O apóstolo, advertindo contra o relaxamento moral, demonstra as terríveis consequências para o crente, da imoralidade sexual. Quando o crente une-se fisicamente a uma mulher decaída, fica sendo um só com ela, sujeito ao seu domínio (v.16; cf. Gn 2.24), profana aquilo que Cristo santificou (v. 15), e separa-se do reino de Deus (v. 9). Na imoralidade sexual, a pessoa praticamente separa-se da união com Cristo, ao fazer do seu corpo um membro da outra pessoa imoral e ímpia. 6.18 FUGI DA PROSTITUIÇÃO. A imoralidade sexual é terrivelmente abominável diante de Deus. Mais do que qualquer outro ato pecaminoso, profana o corpo, que é o templo do Espírito Santo (vv. 15-20). Por isso, Paulo admoesta: "Fugi" da imoralidade sexual. O uso do tempo presente, aqui, indica que o cristão deve fugir repetidas vezes da imoralidade sexual (cf. Gn 39.12) 6.19 NOSSO CORPO É O TEMPLO DO ESPÍRITO SANTO. Se somos cristãos, nosso corpo é a morada pessoal do Espírito Santo (ver Rm 8.9,11, onde vemos que o Espírito Santo é o selo de Deus em nós, mostrando que lhe pertencemos). Porque Ele habita em nós e pertencemos a Deus, nosso corpo nunca deve ser profanado por qualquer impureza ou mal, proveniente da imoralidade, nos pensamentos, desejos, atos, filmes, livros ou revistas. Pelo contrário, devemos viver de tal maneira que glorifiquemos e agrademos a Deus em nosso corpo (v. 20).

3. O sofrimento dos viciados. A pessoa que se deixa aprisionar por alguma droga, ou bebida ou jogo, não só passará por sofrimentos terríveis de dependência como colocará sua família e todos os que os conhecem em sofrimento contínuo. O pecado é terrível e funciona como uma bomba atômica que atinge não só a pessoa, mas a todos os que estão perto.

Is 28. Ai da coroa de soberba dos bêbados de Efraim, cujo glorioso ornamento é como a flor que cai, que está sobre a cabeça do fértil vale dos vencidos do vinho!

4. O alcoolismo no Novo Testamento. Mt 24.49 e começar a espancar os seus conservos, e a comer, e a beber com os bêbados,  1 Co 6. Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o Reino de Deus.

POSICIONAMENTO CRISTÃO

1. Condenação ao vício. Tg 1.14 Cada um, porém, é tentado, quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência; 15 então a concupiscência, havendo concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, sendo consumado, gera a morte.

2. O vinho que Jesus bebeu. O VINHO NOS TEMPOS DO NOVO TESTAMENTO Lc 7.33,34 “Porque veio João Batista, que não comia pão nem bebia vinho, e dizeis: Tem demônio. Veio o Filho do Homem, que come e bebe, e dizeis: Eis aí um homem comilão e bebedor de vinho, amigo dos publicanos e dos pecadores.

3. Nenhuma concessão. Qualquer alucinógeno é um desastre na vida do crente que deixa de ser guiado pelo ESPÍRITO SANTO e se torna presa fácil de Satanás e seus demônios que entram no controle dos pensamentos, emoções e ações daquele que se deixa dominar pelos vícios.

O CRISTÃO E O FUMO

1. O fumo é uma droga. O fumo mata. O consumo de cigarros é a mais devastadora causa evitável de doenças e morte prematuras da história. Hoje, o tabagismo representa um dos mais graves problemas de saúde pública configurando-se numa epidemia que compromete, não só a saúde da população, como também a economia do país e o meio ambiente.

Uma das providências que estão sendo tomadas é: Comemoração do dia 29 de agosto Dia Nacional de Combate ao Fumo. Criado pela Lei Federal 7488 de 11/06/86, o Dia Nacional de Combate ao Fumo, é comemorado em todas as capitais brasileiras. O objetivo deste dia é de unificar as ações anti-tabágicas em vários estados brasileiros, assim como alertar a população sobre os malefícios do fumo, estimular o abandono do vício e sensibilizar as autoridades a adotarem medidas visando o controle do tabagismo.

2. Mata mais do que muitas guerras. Em relação à saúde pode-se afirmar que o tabagismo causa mais mortes prematuras no mundo do que a soma de mortes provocadas por AIDS, cocaína, heroína, álcool, acidentes de trânsito, incêndios e suicídios. Atualmente, a cada ano o tabaco mata cerca de 3 milhões de pessoas em todo o mundo e este número tende a ser crescente. No Brasil estima-se atualmente que a cada ano o cigarro mata precocemente cerca de 80.000 pessoas, ou seja, cerca de 10 brasileiros a cada hora.

O feto da gestante fumante não recebe oxigênio suficiente e seu peso por ocasião do nascimento se reduz em até 10%. Pela falta de oxigênio podem ocorrer danos cerebrais! Podem ocorrer ainda outras consequências tais como: uma alta taxa de mortalidade em recém-nascidos, partos prematuros, e desenvolvimento intelectual e emocional deficiente assim como distúrbios de comportamento. Mas não somente o fato da mãe ser uma fumante ativa ou passiva durante a gravidez pode levar a danos vitalícios, a graves deformações e até à morte da criança antes ou após o parto. O sêmen de um homem viciado em nicotina já é suficiente para provocar um aborto, danos hereditários e levar a um índice maior de câncer infantil. Até mesmo a infertilidade feminina pode ser consequência do tabagismo.

3. Posicionamento cristão. 1 Co 6.19 Nosso corpo foi feito para morada do ESPÍRITO SANTO e não para ser explorado pelo Diabo que quer matar roubar e destruir.

Eu fui um fumante que apagou o último cigarro na porta da Igreja, no dia em que aceitou a JESUS CRISTO como Senhor e Salvador; é libertação instantânea, é nascer de novo.

Podemos ajudar muito, pois todo fumante gostaria de parar de fumar e sente verdadeiro nojo do cigarro, só não querem passar por um penoso, vexatório e lento tratamento para deixarem esse encosto do Diabo. Se pregarmos a libertação instantânea que JESUS dá, então poderemos ajudar muitos a serem libertos dessa morte lenta e gradual. JESUS quer nos dar vida e vida em abundância.

O CRISTÃO E AS DROGAS

1. Agentes do diabo. São oferecidas gratuitamente primeiro, principalmente em portas de colégios e casas de shows; depois são vendidas aos novos viciados que se tornam escravos de Satanás como um Espírita que se torna servo do demônio que nele habita.

Quanto tempo precisa usar droga para ficar viciado?

Isto é variável pela própria natureza da pessoa e pelo o grau de afinidade que o ser humano tem com cada droga. Se a afinidade for elevada, como na heroína e no crack, o poder viciante da droga é alto e somente uma dose já pode viciar. A maconha também pode viciar em poucas semanas.

O álcool, apesar de levar rapidamente a mudanças de comportamento e ao comprometimento da qualidade de vida, demora anos para viciar.

Se a gestante usa drogas durante a gravidez, pode causar problemas para a criança?

Muito mais que a mãe, o feto está sujeito às consequências do consumo de drogas (lícitas ou ilícitas) durante a gravidez. Muitas vezes a mãe já desenvolveu tolerância, mas o feto que não teve nenhum contato anterior com a droga, não está acostumado e é muito mais vulnerável ao contato.

Até mesmo as pequenas doses podem ser lesivas, já que a relação entre o tamanho e peso da mãe e do feto são proporcionalmente desfavoráveis a ele.

Os problemas começam por diminuição do peso e altura do feto em relação à idade gestacional, queda da resistência a doenças e, no caso de drogas que causam dependência física, pode chegar à morte da criança por síndrome de abstinência fetal, após o parto. Logo após o nascimento, observa-se um aumento da inquietação, irritabilidade, choro excessivo é descoordenação motora entre os filhos de mães consumidoras de drogas. Ocorre uma incidência maior de casos de retardo no desenvolvimento motor e mental desses filhos. Há relatos de maior dificuldade no aprendizado dos filhos de mães consumidoras por comprometimento das funções psíquicas necessárias ao mesmo.

2. Motivos que levam às drogas. Uma multiplicidade de fatores relevantes para o uso de droga são estudados. A cultura química abraçada pela sociedade faz com que desde pequeno o jovem aprenda com a sua própria família que deverá usar drogas quando crescer. Ele presencia o consumo de bebidas alcoólicas e cigarros que seus familiares usam para se divertir nas reuniões festivas, o uso indiscriminado de analgésicos para tirar dores triviais, de tranquilizantes para resolver os problemas ou tirar a tristeza e de anfetaminas para emagrecer e ficar bonito. A informação que recebe é de que ainda é muito pequeno para experimentar essas coisas.

Na adolescência, passa por transformações físicas, lida com responsabilidades que antes não lhe eram atribuídas, incorpora as mudanças hormonais e o surgimento da sexualidade adulta, sente o desejo e o medo dos relacionamentos amorosos, inicia-se a luta entre a dependência e a independência, começa o afastamento da família e uma maior aproximação do grupo, sofre influência e pressão dos amigos, tem dificuldade de dizer não e tende a seguir as regras do grupo.

Além desses, existem outros fatores relevantes para o experimento e continuidade do uso de drogas, como: hereditariedade, aceitação, necessidade de novas descobertas, curiosidade, desafio aos perigos, contestação, depressão, insatisfação, frustração, rejeição, solidão e insegurança.

O CRISTÃO E OS JOGOS DE AZAR

1. A ilusão do jogo. "Os Pais Devem Orientar na Escolha dos Videogames", The Providence Journal-Bulletin, 6/12/1996, pg A-3. "Um grupo de vigilância da mídia e dois senadores norte-americanos sugerem que os pais exerçam cautela antes de comprar vídeos e jogos de computador excessivamente violentos e antissociais para seus filhos. Entre o brilho dos sinos e as músicas de Natal, este ano há outro conjunto de sons, os disparos eletrônicos contínuos, os gemidos e grunhidos dos combates, os gritos dos ciberadversários sendo despedaçados. Esses, de acordo com o Instituto Nacional Sobre a Mídia e a Família, são os sons dos vídeos e dos jogos de computador que estão fascinando as crianças com assassinatos e destruição... Muitos jogos que são sucesso de vendas estão 'mais violentos, mais antissociais e geralmente mais repugnante do que nunca.'"

"Em um jogo, Primal Rage, produzido pela Time Warner e voltado para o público adolescente, um combatente celebra uma morte urinando sobre o cadáver do adversário. Nos EUA, as vendas de videogames em 1996 estavam estimadas em 4.1 bilhões de dólares. O marketing dos vídeos e dos jogos de computador glorifica a violência. Fighting Vipers (Víboras Lutadoras), um jogo da Sega Saturn também voltado para o público adolescente, promete aos jogadores uma chance de 'aprender o verdadeiro significado da fúria manipulando os violentos lutadores de rua do jogo'. No impresso destinado a parecer como sangue, o jogo promete 'brutalidade, carnificina e muito realismo'."

"A página inicial da Sega na Internet convida as crianças a 'assumirem a personalidade psicótica de um dos seis mutantes homicidas furiosos e estourar o brutal planeta Raulf, abrindo caminho em uma galáxia perversa e imperdoável, em animação tridimensional.'"

CONCLUINDO

Os jogos de azar, os vícios, oficializados ou não, são instrumentos prejudiciais à vida moral e social, pois levam as pessoas a confiarem na sorte, em lugar de se dedicarem com mais afinco ao trabalho honesto, além de distorcerem a mente das pessoas sobre o certo e o errado, fazendo com que se tornem prisioneiros do Diabo, sendo capazes até de matar para sustentarem seu vício.

Bibliografia E. R. de Lima
Fonte: http://www.ebdareiabranca.com/2011/2trimestre/licao13ajuda01.htm

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço e será um prazer receber seu comentário que depois de aprovado será publicado.