quarta-feira, 10 de julho de 2013

FUGINDO DA ZONA DE CONFORTO



"... Depois disto Ben-Hadade, rei da Síria, ajuntou todo o seu exército, subiu e cercou a Samaria. Houve grande fome em Samaria, porque a cercaram até que se vendeu a cabeça de um jumento por oitenta siclos de prata, e a quarta parte de um cabo de cebola selvagem por cinco siclos de prata (...) Quatro homens leprosos estavam à entrada da porta, os quais disseram uns aos outros: Para que estaremos nós aqui assentados até a morte? Se dissermos: Entremos na cidade, há fome na cidade, e morremos ai. Se ficarmos aqui também morreremos. Portanto, vamo-nos ao arraial siro e nos rendamos. Se nos deixarem viver; viveremos; se nos matarem; tão somente morreremos. Levantaram-se ao crepúsculo, para irem ao arraial dos siros. Chegando eles a entrada do arraial, não havia ninguém, pois o Senhor fizera ouvir no arraial dos siros um ruído de carros e de cavalos, como o ruído de um grande exército, de maneira que disseram uns aos outros: Vede , o rei dos judeus alugou os reis dos heteus e os reis do egípcios, para vir contra nós. Pelo que se levantaram e fugiram, ao crepúsculo, e abandonaram as suas tendas, seus cavalos, e seus jumentos. Deixaram o arraial com estava, e fugiram para salvar a sua vida. Chegando esses leprosos à entrada do arraial, entraram numa tenda. Comeram e beberam e, tomando dali prata, ouro e vestes se foram-se e os esconderam. Voltaram, entraram em outra tenda, e dali também tomaram alguma coisa, e a esconderam. Então disseram uns aos outros: Não fazemos bem. Este dia é dia de boas novas, e nos calamos. Se esperarmos até a luz da manhã, algum castigo nos sobrevirá. Pelo que vamos e o anunciemos à casa do rei. Assim, vieram e bradaram aos porteiros da cidade, e lhes anunciaram: Fomos ao arraial dos siros e lá não havia ninguém, nem voz de homem, porém só os cavalos e os jumentos atados, e as tendas como estavam. Os porteiros gritavam a nova e anunciaram dentro da casa do rei..." ( II Re 6:24,25 ; 7:3-11)
Um dos maiores inimigos para experimentarmos o que de melhor Deus tem para nós é o comodismo de quando estamos num período de conforto. A maioria das pessoas estão tão preocupadas com a sua zona de conforto que elas não estão dispostas a fazer aquilo que é necessário a fim de irem adiante no que Deus preparou para elas.
Sair de nossa zona de conforto significa muitas vezes ter que se defrontar com certas pessoas, aprender uma nova habilidade, trabalhar em áreas diferentes, apresentar as suas idéias, assumir riscos, trabalhar duro - tudo isto é muito desconfortável, porém, absolutamente necessário na caminhada a uma vida bem sucedida.

Você é que tem que decidir se deseja uma vida de conforto ou uma vida de realizações. Se você quer ser qualquer coisa, fazer qualquer coisa, e ser aquilo que você sente que Deus deseja que você seja, você tem que estar disposto a dar um passo para fora da sua zona de conforto e tomar as decisões que forem necessárias serem tomadas.

Dê uma boa examinada nas coisas que você faz todos os dias e pergunte a si mesmo por que é que você esta fazendo essas coisas. Você as faz porque é confortável e por que é mais fácil? É muito comum evitarmos determinadas coisas só porque isso pode nos causar um certo desconforto.
A zona de conforto em si não é maligna. É o resultado daquilo que você já conquistou. Mas, se acomodar nela, pode ser algo maligno para você no futuro. O lado bom de partir para o desconhecido está em que o tamanho de sua realização pode ser ampliado. Um curto período de desconforto é muito melhor do que chegar no fim da vida e ver que você não realizou nada!
Portanto,vá adiante! Que tal se perguntar como aqueles leprosos:"Para que estaremos nós aqui sentados até morrermos?" Será que Deus não tem surpresas esperando por nós adiante do que conhecemos?
Que o Pai te dê a coragem e a ousadia necessária para sair de sua zona de conforto!

Pr. Anésio Rodrigues de Souza

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço e será um prazer receber seu comentário que depois de aprovado será publicado.