quinta-feira, 13 de junho de 2013

Lição 8: A nossa eterna salvação


Lições Bíblicas CPAD - Jovens e Adultos
Título: 1 João - Os fundamentos da fé cristã e a perfeita comunhão com o Pai - Comentarista: Eliezer de Lira e Silva

Lição 8: A nossa eterna salvação - Data: 23 de Agosto de 2009

TEXTO ÁUREO
"Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna" (Jo 3.16).

VERDADE PRÁTICA
Somente o imensurável amor do Altíssimo poderia elevar o pecador convertido à condição de santo, justo e filho de Deus.

LEITURA DIÁRIA

Segunda - Is 12.2 - A salvação vem de Deus

Terça - Ef 2.4-7 -Deus proveu a salvação da humanidade
 
Quarta - At 4.12 -Só há salvação em Cristo

Quinta - Hb 5.9 - Jesus é o autor da salvação

Sexta - Ef 1.13,14 - Selados com o Espírito Santo

Sábado - Gl 4.6 - O Espírito nos assegura que somos filhos de Deus

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
1 João 3.1-5; Romanos 8.14-17.

1 João 3
1 - Vede quão grande caridade nos tem concedido o Pai: que fôssemos chamados filhos de Deus. Por isso, o mundo não nos conhece, porque não conhece a ele.

2 - Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não é manifesto o que havemos de ser. Mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele; porque assim como é o veremos.

3 - E qualquer que nele tem esta esperança purifica-se a si mesmo, como também ele é puro.

4 - Qualquer que comete o pecado também comete iniquidade, porque o pecado é iniquidade.

5 - E bem sabeis que ele se manifestou para tirar os nossos pecados; e nele não há pecado.

Romanos 8
14 - Porque todos os que são guiados pelo Espírito de Deus, esses são filhos de Deus.

15 - Porque não recebestes o espírito de escravidão, para, outra vez, estardes em temor, mas recebestes o espírito de adoção de filhos, pelo qual clamamos: Aba, Pai.

16 - O mesmo Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus.

17 - E, se nós somos filhos, somos, logo, herdeiros também, herdeiros de Deus e co-herdeiros de Cristo; se é certo que com ele padecemos, para que também com ele sejamos glorificados.

INTERAÇÃO
Caro professor, nesta lição, é necessário que você trabalhe com seus alunos o significado mais profundo de "salvação". Infelizmente, hoje em dia, já não se valoriza a salvação eterna como antes. Parece que não há mais interesse e esperança no Porvir. O termo "salvação" é de profundo significado e de infinito alcance. Muitos têm uma pobre idéia da inefável salvação consumada por Jesus, o que, às vezes, reflete-se numa vida espiritual descuidada e negligente, onde falta aquele amor ardente e total por Jesus, e busca constante de sua comunhão.

Enfatize diante da classe que a nossa bendita salvação não significa apenas livramento da condenação do inferno. Ela abarca todos os atos e processos redentores e transformadores da parte de Deus para com o homem e o mundo através de Jesus, o Redentor, nesta vida e na outra.

OBJETIVOS
Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:

Explicar o processo da redenção humana mediante a morte expiatória de Jesus Cristo.
Compreender como a regeneração é operada pelo Espírito Santo no interior do crente.
Conscientizar-se de que a salvação é obtida pela graça.

ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA
Pergunte aos seus alunos: Em que consiste a salvação para vocês? Espere um pouco e, a seguir, reproduza o quadro abaixo e peça a três alunos para explicá-lo à luz do comentário da lição. É importante que os alunos tentem argumentar por eles mesmos, sem a sua ajuda. Faça seus comentários somente quando perceber que esgotaram as possibilidades de resposta.

A SALVAÇÃO PODE SER VISTA EM TRÊS TEMPOS
Passado - Presente - Futuro

a) No passado a salvação significou o livramento da condenação do pecado;
b) No presente, a salvação significa o livramento do poder do pecado;
c) No futuro, o salvação significará o livramento da presença do pecado.

COMENTÁRIO
Introdução

Palavra Chave

Salvação: Livramento do que aceita a Cristo do poder e da maldição do pecado.

A salvação é o resultado do grandioso propósito da Santíssima Trindade de resgatar a humanidade perdida. Deus, o Pai, arquitetou a salvação; o Filho a consumou quando veio ao mundo, morreu, ressuscitou, retornou aos céus; e o Espírito Santo a aplica no pecador contrito que, pela fé, aceita a obra redentora de Jesus efetuada no Calvário. A salvação não é primeiramente a prática de uma religião, mas um relacionamento real e vital com o Senhor Jesus Cristo (Jo 15.1-8).

I. DEUS, O PROVEDOR DA SALVAÇÃO
O apóstolo João, com muita certeza e entusiasmo, destacou o grande amor de Deus por nós ao nos tornar seus filhos, e, assim, participantes de uma tão grande salvação (3.1; Hb 2.3). Deus não somente concedeu-nos o perdão dos nossos pecados, mas manifestou seu amor graciosamente; enchendo-nos a alma de paz, convicção e consolo. Por sua imensa compaixão, substituiu nossa miséria, vazio e incertezas por júbilo, amor e esperança (Ef 1.3-6; 1 Pe 1.18-20).

1. A salvação na eternidade passada. No Éden, quando o primeiro casal pecou, imediatamente escondeu-se de Deus, pois o pecado afasta o homem de seu Criador (Gn 3.8b). Todavia, Deus, por seu amor indizível, busca o pecador a fim de restaurá-lo e livrá-lo da servidão do pecado (Gn 3.8,9,21).

Lá no Éden, o Senhor proferiu uma sentença acerca da serpente dizendo que sua cabeça seria esmagada. Esta foi a primeira promessa de redenção da humanidade (Gn 3.15). A Bíblia nos garante que na eternidade, Deus em Cristo nos abençoou com todas as bênçãos espirituais e elegeu-nos, predestinando-nos para filhos de adoção (Ef 1.3-5). Assim, pela providência de Deus, hoje somos seus filhos, salvos e herdeiros da coroa da vida (Ap 2.10; 2 Tm 4.7,8). Esse poder de filiação é tão expressivo que nos tira da dimensão terrena para a celestial (Jo 1.12,13; Cl 3.1-3).

2. A salvação hoje. O apóstolo João, em sua primeira epístola, usa a expressão "filhos de Deus" para identificar os crentes como criancinhas, nascidas de novo (1 Jo 2.1,12,28). A referida expressão está relacionada à comunhão e à convivência da criança com seus pais. Através da regeneração, Deus colocou em nós uma nova natureza (Jo 3.5,6), sem a qual não teríamos nos tornado novas criaturas (2 Co 5.17). Essa nova natureza, oriunda de Deus, habilita-nos a um novo estilo de vida, que nos conduz à boa, agradável e perfeita vontade de Deus. Esta divina natureza é completamente estranha aos que não conhecem a Cristo. É por isso que o mundo nos aborrece (1 Co 2.15,16; 1 Pe 4.3,4).

O fato é que estamos de passagem neste mundo. Aqui, somos estrangeiros e forasteiros (Hb 11.13; 1 Pe 2.11). Quando Cristo voltar, estaremos para sempre com Ele (Jr 31.3; Rm 5.8).

SINOPSE DO TÓPICO (I)
Deus não somente concedeu-nos o perdão dos nossos pecados, mas manifestou seu amor graciosamente; enchendo-nos a alma de paz, convicção e consolo.

II. JESUS, O AUTOR DA SALVAÇÃO (Hb 5.9)

Ao falarmos da missão salvífica de Jesus, devemos realçar seu nascimento, porque, sem o seu sacrifício, como propiciação pelos nossos pecados, jamais teríamos o poder de sermos feitos filhos de Deus (1 Jo 2.2; 1 Pe 2.24).

Em decorrência do pecado, a humanidade ficou sob o domínio e Satanás. Só Cristo poderia mudar essa situação, e de fato o fez: resgatou-nos das garras do Diabo, pagando um alto preço por nossa redenção (1 Pe 3.18). "Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que, por tradição, recebestes dos vossos pais, mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado" (1 Pe 1.18, 19). Cristo nos resgatou com seu precioso sangue: "Sem derramamento de sangue não há remissão" de pecados (Hb 9.22; Mc 10.45; 1 Co 6.20; 1 Tm 2.6).

1. Resgatados da prisão do pecado. Uma vez resgatado por Jesus, o crente precisa crescer e desenvolver-se na vida cristã. A Bíblia afirma que "se alguém está em Cristo, nova criatura é" (2 Co 5.17). Portanto, não existe meio termo. Ou a pessoa está em Cristo ou está sem Cristo. Está salva ou perdida. Permanecer salvo, do lado humano, depende da nossa disposição de seguir a Cristo até o fim (Hb 3.14; 1 Co 1.8; Mt 10.27). A salvação não é somente um ato, mas também um processo que requer exercício e vigilância (1 Co 10.12). É a nossa união com Cristo que nos mantém salvos (Jo 15.4,10). E essa união não consiste numa simples relação afetiva com Jesus, mas numa inserção integral no Ser divino (Jo 15.5).

2. O Espírito Santo é o mantenedor da salvação. É o Espírito Santo que aplica a salvação à nossa vida. Ele é o guardião que ajuda o crente a alcançar a estatura completa de Cristo (Ef 4.13; 2 Co 3.18; 2 Tm 4.18).

a) O Espírito Santo convence. Ele convence plenamente o homem das realidades espirituais do Evangelho, especialmente no que diz respeito ao pecado, à justiça e ao juízo divino (Jo 16.8-11). Ele registra nitidamente essas verdades na mente do homem fazendo-o entendê-las e reconhecer que elas são vitais para a sua vida aqui e no além. É o Espírito de Deus que faz o crente entender a Palavra lida e ouvida, para que ele cresça e se fortaleça (2 Tm 3.16,17).

b) O Espírito Santo habita no crente. Ele habita permanentemente na pessoa que, arrependida dos seus pecados, pela fé aceitou a Cristo e nasceu de novo (Jo 14.16,17; 1 Pe 1.23). É a presença do Espírito Santo atuando em nós que nos dá a certeza de que pertencemos a Deus (1 Jo 4.13; 3.24; 1 Co 3.16).

c) O Espírito Consolador. É o Espírito Santo que confirma no íntimo do crente que, em Cristo, somos filhos de Deus, dando segurança espiritual aos nascidos de novo (Rm 8.15,16).

d) O Espírito Santo promove crescimento e fortalecimento espiritual. Ele produz em nós o seu fruto (Gl 5.22,23). A Bíblia, na Epístola aos Romanos, trata das bênçãos do Espírito na vida do crente fiel (Rm 8.4-13). É impossível ao crente viver a vida que agrada a Deus sem o auxílio do Espírito Santo. A recíproca é verdadeira: se somos filhos de Deus pela conversão, e o seu Espírito habita em nós, devemos viver em santidade e justiça (Lc 1.75). A santificação é um processo iniciado e levado a efeito pelo Espírito Santo durante toda a nossa vida. (2 Co 7.1; 6.1-3).

SINOPSE DO TÓPICO (II)

Sem o sacrifício de Jesus, como propiciação pelos nossos pecados, jamais teríamos o poder de sermos feitos filhos de Deus.

CONCLUSÃO

Vemos nesta lição a Trindade empenhada na salvação do homem, unida em prol do relacionamento íntimo do homem com Deus. A responsabilidade do homem é aceitar, sem restrições, o amor de Deus e o sacrifício vicário de Cristo, permitindo, incondicionalmente, que o Espírito trabalhe em sua vida.

VOCABULÁRIO

Indizível: Que não se pode dizer; raro, incomum.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

HORTON, S. M. Teologia Sistemática: Uma Perspectiva Pentecostal. RJ: CPAD, 1996.

MENZIES, W. W. & HORTON, S. M. Doutrinas Bíblicas: Os fundamentos da nossa Fé. RJ: CPAD, 2005.

EXERCÍCIOS

1. Depois de pecar, qual foi a primeira reação de Adão e Eva em relação a Deus?

R. Eles (Adão e Eva), imediatamente, esconderam-se de Deus.

2. Qual foi a sentença proferida pelo Senhor contra Satanás no Éden?

R. O Senhor disse que esmagaria a cabeça da serpente (Gn 3.15).

3. Em decorrência do pecado, a humanidade ficou sob o domínio de quem?

R. Satanás.

4. Qual a única maneira de o homem ser resgatado da prisão do pecado?

R. Mediante o precioso sangue de Jesus Cristo.

5. Quem é o mantenedor da salvação?

R. O Espírito Santo.

AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO

Subsídio Doutrinário

"A salvação não consiste numa série complicada de ritos, ou numa série de passos místicos. Ela ocorre instantaneamente na vida do que, de maneira sincera, busca a Deus. Entretanto, mesmo que não haja ordem cronológica nos eventos que cercam a salvação, há uma sequência lógica, conforme nos mostra claramente a Bíblia.

Vários termos cruciais estão vitalmente relacionados à admirável experiência da salvação. Comecemos, pois, com o ministério da convicção. [...] Esse gracioso ato de Deus, embora atribuído ao Pai, é realizado através do Espírito Santo. Como o executor da divindade, Ele aplica os métodos da redenção aos que se entregam a Cristo. [...] O principal instrumento usado pelo Espírito Santo nessa obra é a Palavra de Deus. [...] Embora o Espírito Santo não restrinja a liberdade do indivíduo, chama os pecadores a virem a Cristo Jesus. Esse trabalho do Espírito é chamado de 'a doutrina da vocação' ou 'do chamamento'".

(MENZIES, W. W. & HORTON, S. M. Doutrinas Bíblicas. RJ: CPAD, 2005, pp.85,86).

APLICAÇÃO PESSOAL
A única esperança de redenção da humanidade encontra-se no sangue de Jesus Cristo, o Filho de Deus, derramado no Calvário. A salvação é recebida através do arrependimento dos pecados, diante de Deus, e da fé em Jesus Cristo. Pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo, o homem é justificado pela graça, mediante a fé tornando-se herdeiro de Deus, de conformidade com a esperança da vida eterna.

A evidência interior da salvação é o testemunho direto do Espírito. A evidência externa, a todos os homens, é uma vida de retidão e de verdadeira santidade. 
Fonte: http://www.estudantesdabiblia.com.br/licoes_cpad/2009/2009_03_08.htm

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço e será um prazer receber seu comentário que depois de aprovado será publicado.