sexta-feira, 17 de maio de 2013

O sistema de viver do mundo

Lições Bíblicas CPAD -Jovens e Adultos - 3º Trimestre de 2009
Título: 1 João - Os fundamentos da fé cristã e a perfeita comunhão com o Pai
Comentarista: Eliezer de Lira e Silva
 
Lição 6: O sistema de viver do mundo - Data: 09 de Agosto de 2009

TEXTO ÁUREO
"E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus" (Rm 12.2).

VERDADE PRÁTICA
Todo crente fiel a Cristo precisa conhecer os nocivos padrões de procedimentos deste mundo, a fim de que possa rejeitá-los e firmar-se cada vez mais nos santos preceitos da Palavra de Deus.

LEITURA DIÁRIA
Segunda - Tg 4.4
Um amigo do mundo é um inimigo de Deus
Terça - Ef 2.2; 1 Jo 5.19
O mundo, que jaz no maligno, é regido por Satanás
Quarta - Rm 8.20-22
O mundo passa; ele está em processo contínuo de desintegração
Quinta - Mt 6.24
Ou amamos a Deus ou amamos ao mundo
Sexta - Jo 17.14
Não somos deste mundo
Sábado - Jo 16.33
Com Jesus o crente vence o mundo

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
1 João 2.15-19; João 15.18,19.

1 João 2
15 - Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele.
16 - Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo.
17 - E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre.
18 - Filhinhos, é já a última hora; e, como ouvistes que vem o anticristo, também agora muitos se têm feito anticristos; por onde conhecemos que é já a última hora.
19 - Saíram de nós, mas não eram de nós; porque, se fossem de nós, ficariam conosco; mas isto é para que se manifestasse que não são todos de nós.

João 15
18 - Se o mundo vos aborrece, sabei que, primeiro do que a vós, me aborreceu a mim.
19 - Se vós fôsseis do mundo, o mundo amaria o que era seu, mas, porque não sois do mundo, antes eu vos escolhi do mundo, por isso é que o mundo vos aborrece.

 OBJETIVOS
Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:
  • Explicar o significado da palavra "mundo" de acordo com as Escrituras Sagradas.
  • Saber que a Bíblia adverte a não amarmos o mundo.
  • Compreender que o crente não pode conformar-se com a mentalidade mundana.

ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA

Professor, converse com seus alunos explicando que vivemos em um mundo secular e relativista, onde os valores bíblicos são a cada dia mais rejeitados. Todavia, como servos de Deus, não podemos ser moldados, influenciados, pela maneira de pensar deste mundo. Nosso viver deve ser pautado pela Palavra de Deus. Para facilitar a aprendizagem, reproduza no quadro-de-giz a tabela abaixo. De modo resumido, estabeleça as principais diferenças entre o cristianismo e o mundo não-cristão, sem Deus.

COMENTÁRIO
introdução - Palavra Chave
Mundo (kosmos): Sistema constituído de pessoas, idéias, leis, instituições, comportamentos e atividades conduzidos por Satanás.

O "sistema do mundo", conforme denominado pela Bíblia, além de manipular, subjugar e manter os seres humanos sob o domínio de Satanás, também objetiva desviar, por todos os meios, os crentes dos caminhos do Senhor. A Igreja jamais pode minimizar, ou ignorar, as ardilosas tramas deste sistema. Ela precisa, sim, posicionar-se contra ele, a fim de prosseguir vitoriosamente em Cristo Jesus (1 Jo 5.4,5).

I. O QUE É O MUNDO?

A palavra "mundo", conforme expressa na Leitura Bíblia em Classe, não diz respeito aos campos, mares, escarpas, acidentes geográficos e nem à ordem geral da criação. Este "mundo" designa a maneira de viver organizada, conduzida por Satanás e caracterizada pela indiferença, rejeição e oposição a Deus, à sua Palavra e ao seu Reino. Trata-se de um sistema constituído de pessoas, idéias, leis, instituições, comportamentos e atividades. Ler Jo 3.19; Tg 4.4; 1.27; 2 Co 4.4.
No princípio, Deus criou o mundo perfeito e bom (Gn 1.31). Todavia, lá no Éden, Satanás, em forma de serpente, induziu Eva a desejar ser igual a Deus (Gn 2.15-17; 3.1-6; 2 Co 11.3; 1 Tm 2.14). Foi a partir desta infeliz circunstância que todos os descendentes de Adão tornaram-se internamente portadores de uma natureza pecaminosa, e externamente opositores de Deus (Rm 5.12; Tg 1.14,15).
Com a contaminação do pecado, "o cosmos" (1 Jo 5.19) tornou-se um sistema maligno (Ef 2.2; Gl 1.4; 2 Co 4.4), controlado por Satanás, o príncipe deste mundo (Mt 4.8; Jo 14.30; 16.11; 2 Tm 2.26; 1 Jo 5.19). Ele exerce autoridade sobre grande parte das atividades típicas deste mundo e chefia um sistema invisível de maldade e destruição, no qual anjos malignos e homens ao seu serviço fazem direta oposição a Deus (At 8.4), à sua Palavra e ao seu povo (1 Pe 1.18,19; At 26.18). Isto pode ser claramente visto na mentalidade mundana dos nossos dias, expressa pelas idéias, opiniões, posicionamentos, leis, objetivos e metas do povo, dos governos, das nações e até mesmo de "certas igrejas" semelhantes à Laodicéia (Ap 3.14-18). Ler 2 Co 4.4; 2 Tm 3.1-5.
1. Os atrativos do mundo (v.16). Quando o cristão se deixa enganar pelas propostas desse mundo espiritualmente tenebroso, torna-se escravo de um sistema maligno que rouba, mata e destrói (Jo 10.10). Sua única saída é retornar imediatamente ao seio do Pai, por Jesus Cristo, nosso libertador (Jo 8.36). Foi o que aconteceu com o filho pródigo: desprezando o amor do pai e a vida abençoada no lar, resolveu bandear-se para o mundo, a fim de desfrutar de seus prazeres. Todavia, após perder toda a sua herança, abandonado e miserável, decidiu regressar a sua família. Retornando ao aconchego do lar, foi festivamente recebido pelo pai, que lhe restituiu tudo o que, no mundo, havia perdido (Lc 15.11-32). Todo crente fiel a Cristo deve evitar tal experiência (1 Jo 2.15). Ananias e Safira não tiveram a mesma sorte: amando o dinheiro e o engano, mentiram ao Espírito Santo e foram punidos com a morte (At 5.1-11).
2. O mundo sob a ótica de Deus. A Bíblia adverte-nos a não amarmos o mundo, uma vez que ele é dominado pelas trevas (Ef 6.12) e "jaz no maligno" (1 Jo 5.19; Jo 14.30). O mundo, ou seja, as pessoas são alvos do amor de Deus. Nesta perspectiva, temos a responsabilidade de resgatar do mundo todos os que vivem sem Deus, sem luz e sem salvação. "Deus amou o mundo de tal maneira que deu o Seu Filho" (Jo 3.16). Em sua oração sacerdotal, Jesus rogou ao Pai que não nos tirasse do mundo, mas que nos livrasse do mal. Ele, na verdade, queria que, pelo evangelho, alcançássemos a humanidade perdida neste cosmos (Jo 17.15,18). Deus não tem prazer na condenação do homem. O Senhor tem manifestado seu infinito amor desde que o primeiro homem lhe desobedeceu (Gn 3.15,21; Ez.18.4; 1 Tm 2.4). Todavia, este mundo não escapará da condenação eterna, caso não se arrependa de seus pecados, especialmente da incredulidade. É por isso que o apóstolo João registrou em seu evangelho: "a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz" (Jo 3.19).

SINOPSE DO TÓPICO (I)

Com a contaminação do pecado, "o cosmos" tornou-se um sistema maligno, controlado por Satanás, o príncipe deste mundo. Ele exerce autoridade sobre grande parte das atividades típicas deste mundo, e chefia um sistema invisível de maldade e destruição, no qual anjos malignos e homens ao seu serviço fazem direta oposição a Deus.

II. COMO O CRISTÃO DEVE VIVER NESTE MUNDO

A expressão "não ameis o mundo nem o que no mundo há" (v.15) não é uma sugestão ou conselho, mas uma ordenança severa da Palavra de Deus. Toda desobediência tem suas consequências. Imagine o que aconteceria se, diante de um semáforo assinalando vermelho para os pedrestes, resolvêssemos atravessar uma avenida de grande fluxo. Provavelmente, sofreríamos uma terrível e traumática consequência. Consideremos, pois, este exemplo na perspectiva de nossa salvação eterna (Hb 2.1-3).
1. Os elementos do mundo (v.16). A Palavra de Deus nos alerta contra a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida.
a) A concupiscência da carne engloba desejos impuros, vícios e prazeres sensuais. A Bíblia exortanosa fugir de toda e qualquer impureza (1 Co 6.18). O corpo não é mau em si mesmo, mas é uma presa fácil para o pecado. Por isso, devemos vigiar e orar sem cessar. O crente deve estar ciente de que ele é templo do Espírito Santo (1 Co 3.16; 6.19) e, portanto, deve viver uma vida piedosa e consagrada a Deus. Seu corpo deve ser um sacrifício vivo, santo e agradável ao Senhor (Rm 12.1,2).
Os vícios podem ser considerados concupiscência da carne. Ninguém que se deixa vencer por eles herdará o Reino dos céus (Gl 5.21, Ef 5.3-5).
b) Pela concupiscência dos olhos, o homem se torna cativo daquilo que ele vê. Para que isto não aconteça, é preciso que o crente mantenha-se constantemente em vigilância e oração (Mt 26.36). Foi por essa via que Eva desobedeceu (Gn 3.6). O mesmo se deu com Acã: "vendo" entre os despojos dos inimigos do povo de Deus uma capa babilônica, desejou-a, trouxe-a para si e morreu com toda sua família (Js 7.20-26). Davi também foi atraído pela concupiscência dos olhos. Olhando com lascívia, deu lugar ao pecado, arruinando sua fidelidade a Deus (2 Sm 11.2). A Palavra de Deus exorta-nos a não nos conformarmos com este mundo, a fim de que possamos viver no centro da vontade do Eterno (Rm 12.1,2).
c) A soberba da vida. Desde o princípio, Satanás engana o ser humano com a falsa idéia de que é possível ser igual a Deus (Gn 3.5). Com isso, o homem tenta a todo custo viver à parte de seu Criador, buscando sua própria exaltação, através de riquezas, "status", títulos e posições, com o intuito de ser honrado por seus pares.
Muitos lutam aferradamente pelo poder, pelo direito de exercer autoridade sobre seus semelhantes, ou pelo simples deleite que isso possa lhe trazer. Ser visto e admirado por todos é o objetivo máximo da vida de muitas pessoas. A Palavra de Deus nos assevera que isto não vem de Deus, mas do mundo; deste sistema que Satanás governa (1 Jo 2.16). Jesus nos ensinou qual deve ser o maior objetivo da nossa vida: buscar o Reino de Deus e a sua justiça (Mt 6.33). Nesta busca devemos investir todas as nossas energias.

SINOPSE DO TÓPICO (II)

A expressão "não ameis o mundo nem o que no mundo há" não é uma sugestão ou conselho, mas uma ordenança severa da Palavra de Deus. Toda desobediência tem suas consequências.

CONCLUSÃO

O autêntico crente, que pratica os princípios do cristianismo bíblico, não deve adequar-se ao presente sistema mundano que engoda a humanidade e, se possível, até mesmo os filhos de Deus. Fomos chamados a viver uma vida separada deste mundo, com objetivos infinitamente mais nobres e que honram o nome do Altíssimo, que nos chamou das trevas para sua maravilhosa luz (1 Pe 2.9).

REFLEXÃO

"Mundo em João não se refere tanto a grandeza como a maldade. No vocabulário de João, mundo é primeiramente a ordem moral em rebelião intencional e culpável contra Deus". D. A. Carson

VOCABULÁRIO

Aferradamente: Entregar-se com afinco.
Concupiscência: Apetite carnal exagerado.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

COLSON, C. ; PEARCEY, N. O cristão na cultura de hoje. RJ: CPAD, 2006.
BLACKABY, H. Santidade. RJ: CPAD, 2005.

EXERCÍCIOS

1. O que significa "mundo", conforme expresso na Leitura Bíblica em Classe?
R. A maneira de viver organizada, conduzida por Satanás e caracterizada pela indiferença, rejeição e oposição a Deus, à sua Palavra e ao seu Reino. Trata-se de um sistema constituído de pessoas, idéias, leis, instituições, comportamentos e atividades.

2. O que ocorre quando o cristão se deixa enganar pelas propostas desse mundo?
R. O cristão torna-se escravo de um sistema maligno que rouba, mata e destrói (Jo 10.10).

3. Qual a única saída para aqueles que se deixaram levar pelos atrativos mundanos?
R. A única saída é retornar imediatamente ao seio do Pai, por Jesus Cristo, nosso libertador (Jo 8.36).

4. De acordo com a lição, cite os elementos do mundo.
R. A concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida.

5. O que precisamos fazer para que não nos tornemos cativo daquilo que vemos?
R. Precisamos estar em constante vigilância e oração (Mt 26.36).

AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO

Subsídio Doutrinário

Subsídio Teológico

Não amar o mundo
O apelo de João a seus leitores é feito de forma negativa, mas o lado positivo precisa ser compreendido também. Os cristãos não devem amar o mundo. Ao mesmo tempo, é preciso dizer que eles devem amar a Deus e fazer sua vontade. De fato, é apenas à medida que o amor de Deus os enche e o desejo de Deus os motiva, o mundo pode ser conquistado.
[...] Quando João diz que os cristãos não devem "amar o mundo ou nada que está no mundo", não está pensando tanto a respeito do materialismo ("coisas"), mas nas atitudes que estão por trás do materialismo. Pois ele sabe, como todos nós deveríamos saber, que uma pessoa sem os bens mundanos pode ser tão materialista como uma pessoa que possui muitos desses bens; e, de igual modo, uma pessoa rica pode ser bastante desapegada dessa e de qualquer outra forma de mundanismo. Na verdade, João está pensando a respeito de ambição egoísta, do orgulho, do amor pelo sucesso ou o luxo e de outras características parecidas. Law reconhece isso em sua excelente paráfrase do apelo do apóstolo. Ele escreve 'não busque a intimidade e o favor do mundo não-cristão que o cerca; não aceite seus costumes como sendo suas leis, não adote ideais nem receba seus prêmios, muito menos busque confraternizar-se com sua vida'"
(BOICE, J. M. As Epístolas de João. RJ: CPAD, 2006, pp.73,74.).

APLICAÇÃO PESSOAL

Deus quer usar a sua vida para proclamar sua Palavra ao mundo que jaz no maligno. Mas, para que você seja usado pelo Senhor, precisa manter-se puro. É necessário resistir aos impulsos diabólicos, que chegam a sua mente tentando destruí-lo. "... Toda pessoa que diz que pertence ao Senhor precisa abandonar o pecado" (2 Tm 2.19 NTLH). A falta de santidade conduz a inutilidade. Jesus nos advertiu: "Vós sois o sal da terra; e se o sal for insípido, com que se há de salgar? Para nada mais presta senão para ser lançado fora..." (Mt 5.13).
De acordo com Henry Blackaby, na sua obra Santidade, "Deus está chamando seu povo para voltar para Ele e ser um caminho de santidade, por meio do qual Ele possa alcançar o mundo perdido. Devemos construir nosso relacionamento com Deus de tal forma que nossas vidas possam ser uma estrada, por meio da qual, Deus possa alcançar o resto de nossa nação mediante um grande reavivamento entre o povo de Deus e um grande despertamento espiritual nos corações daqueles que não conhecem ao Senhor". O Senhor quer usá-lo neste mundo tenebroso.

Fonte: http://www.estudantesdabiblia.com.br/licoes_cpad/2009/2009_03_06.htm

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço e será um prazer receber seu comentário que depois de aprovado será publicado.