terça-feira, 28 de maio de 2013

ERRANDO O CÉU POR ALGUNS CENTÍMETROS

A cada dia tem ficado mais claro para nós, que a morte não vem por ordem de antiguidade, nem recolhe primeiro os mais frágeis ou adoentados. 

Nem precisa dizer o quanto isso contraria a ordem das coisas… O natural é enterrar nossos velhos, não o contrário.

Preocupado, estive pensando na vida de muita gente jovem que sabidamente já ouviu o Evangelho, ou possui familiares e amigos, que são verdadeiros cristãos e testemunham diariamente diante deles uma vida de fé. Portanto não poderão afirmar que nunca ouviram, não foram questionadas, nem desafiadas a conhecer Jesus. 


Haverá os que dirão: “Sim, eu quero deste Jesus para minha vida”. 

Embora “a graça de Deus tenha se manifestado salvadora a todos os homens” (Tito 2.11), a maioria a rejeitará: “Não, eu não quero!”.

Se for lícito perguntarmos: “O que a igreja fez por eles?”, também será justo questionar: 

“Que resposta deram à oferta das Boas-Novas que tiveram?” 

Isso me faz lembrar duas pregações “frustradas” do apóstolo Paulo:

A primeira quando ele vai a Atenas e tem oportunidade de anunciar Cristo no Areópago à nata dos filósofos gregos. Ao ouvirem falar da salvação e ressurreição, escarneceram e disseram: “A respeito disso te ouviremos noutra ocasião” (At 17.32). O resultado foi decepcionante.

A segunda quando esteve encarcerado, e o rei Agripa manifestou curiosidade em conhecê-lo. Paulo não perdeu a oportunidade. Após ouvir do apóstolo uma longa explanação das virtudes de uma vida de fé, o rei se dirigiu a ele, e em tom de alívio, disse: 

“Por pouco me persuades a me tornar cristão” (At 26.28).


Creio que todos nós possuímos familiares e amigos que conhecem razoavelmente acerca de Deus e do Evangelho, mas responderam: “Agora, não!”.

Parece-me que todo mundo tem alguma coisa mais importante para fazer antes de seguir a Deus. 

Por outro lado, temos maravilhosos exemplos de verdadeira conversão: 

Stephen Baldwin teve sua vida transformada, e de sua família, ao ouvir sua empregada doméstica brasileira falar-lhe do amor de Deus (http://www.youtube.com/watch?v=3e9rjYsHTys).
 

Rodolfo Abrantes abandonou uma carreira de sucesso por algo mais importante que encontrou. 

Bono Vox tem na fé a motivação de fazer canções para um mundo sem Deus. 

Não adianta! Depois de ouvir do Evangelho do Reino é preciso vencer o último grande obstáculo: o ego. Converter é ceder. Mas nem todos estão dispostos.

Quantos queridos nossos já visitaram nossas igrejas….

E ouviram uma mensagem transformadora, 

E gostaram do ambiente de acolhimento, 

E com lágrimas nos olhos se emocionaram com o louvor,

E reconhecem que Cristo, de fato, é o Caminho para suas vidas, 

E…. na 2ª feira voltam às suas velhas e complicadas vidas.

- Amigo, o que houve?

- Nada, não… mas é que se eu continuo eu vou acabar me tornando um cristão… 

A vida é curta. O tempo se abrevia. Não é mais possível adiar o que é essencial.

Daniel Rocha, pastor
Fonte: http://pastordanielrocha.tumblr.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço e será um prazer receber seu comentário que depois de aprovado será publicado.